Curiosidades

Conheça a história da americana que vingou a morte do irmão

0

Jason Ugwuh – natural da cidade de Kansas, Missouri, Estados Unidos – era um aluno exemplar e um jogador de basquete talentoso. O menino, de apenas 16 anos, foi morto no dia 10 de janeiro de 2021. Com o coração partido, e dominado pela raiva, a irmã de Jason, Tityana Coppage, decidiu fazer justiça com as próprias mãos. A jovem, de 21 anos, conseguiu rastrear o assassino do irmão e, quando o localizou, tirou a vida do suspeito.

De acordo com os relatórios da polícia, Coppage encontrou o suposto assassino, Keith Lars, na noite do dia 13 de janeiro. A irmã de Ugwuh ficou frente à frente com o sujeito em um estacionamento local. O indivíduo morreu após levar um tiro no peito e na perna.

A irmã

Coppage informou à polícia que foi Lars quem atirou primeiro. “Eu apenas retribui”, disse a irmã. Conforme a mídia internacional divulgou, Coppage reconheceu o suposto assassino do irmão após ter acesso às imagens de uma câmera de vigilância, de onde Jason foi morto.

Antes de ir ao encontro de Lars, a irmã do pequeno Jason enviou uma mensagem a um parente, pedindo munição para uma arma de calibre 45. Coppage, agora, por conta de sua vingança, está em uma prisão do condado de Jackson e só pode sair sob o pagamento de fiança, cujo valor é de US$ 200.000.

Infelizmente, Coppage teve que conviver com o luto desde pequena. A jovem, antes de perder Jason, teve que se despedir de um outro irmão – o caçula da família – e um primo. Ambos foram mortos a tiros, em 2016.

De acordo com o New York Post, Jayden Ugwuh, 9, e Montell Ross, 8, foram mortos dentro de casa. O crime, até hoje, permanece sem solução. Na época, Jason Ugwuh foi obrigado a ver o irmão caçula morrer. Segundo Coppage, ninguém foi preso.

“Tentei proteger vocês de tudo o que testemunhei quando criança”, Coppage escreveu no Facebook logo após a morte de Jason Ugwuh. “Trabalhei duro para conseguir pagar a casa que morávamos. Tudo que eu queria era ver você feliz. Eu queria ver você terminando a escola e chegando ao topo. Mas, de alguma forma, eu falhei”.

O assassino de Jason

Até agora, as evidências sobre o suposto envolvimento de Keith Lars no assassinato de Ugwuh não foram divulgadas à imprensa. Também não se sabe ao certo como a irmã de Jason teve acesso a imagens da câmera de segurança, que estava no local onde o crime ocorreu. A polícia acredita ainda que Coppage recebeu informações de moradores da cidade que a convenceram que Lars era o assassino.

Após a história da irmã de Jason estampar as manchetes dos principais meios de comunicação estadunidenses, os rappers DaBaby e 42 Dugg ofereceram destinar US$ 40.000 para o pagamento da fiança da jovem.

Tragicamente, os mesmos crimes que assolaram Coppage e sua família estão ocorrendo com frequência em diversas cidades em todos os Estados Unidos. Além disso, vale frisar também que Coppage não é a primeira cidadã a buscar justiça com as próprias mãos.

Em 2016, um homem que sobreviveu a agressões sexuais e físicas durante a infância identificou três pedófilos no registro público. O homem encontrou o endereço de todos os indivíduos. Diferente de Coppage, o indivíduo não assassinou nenhum dos pedófilos, mas os agrediu.

Coppage, mesmo estando atrás das grades, conquistou a simpatia de muitos cidadãos americanos. Embora Coppage tenha em mãos informações suficientes para justificar suas ações, a jovem, provavelmente, deve ir a julgamento.

7 pessoas ilustres de quem você provavelmente não sabia o verdadeiro nome

Matéria anterior

7 filmes que foram adiados para 2022 por conta da pandemia

Próxima matéria

Mais em Curiosidades

Você pode gostar