Ciência e Tecnologia

Conheça a equipe brasileira de Física que precisa de ajuda para representar o Brasil em mundial

0

Entre os dias 21 a 26 de abril de 2019, acontece na Suíça o International Physicist’s Tournament (IPT), Torneio Internacional dos Físicos, um campeonato de Física o qual participarão estudantes de graduação e mestrado da disciplina do mundo todo. O evento será sediado na Escola Politécnica Federal de Lausanne.

Entretanto, para que a equipe brasileira, composta por estudantes da Universidade Federal do ABC (UFABC), possa participar do evento e representar nosso país, eles precisam conseguir angariar aproximadamente 20 mil reais.

A equipe é composta por 8 pessoas. Entre eles estão Henrique dos Santos, mestre em Física, os mestrandos André Juan Ferreira, Lucas Mais, Lucas Tonetto, Thiago Américo, Rafael Alves e o estudante do Bacharelado em Física, Matheus Pessoa e Melissa Carvalho, estudante de Ciência e Tecnologia.

Caso eles consigam todo o dinheiro, essa inclusive será a primeira vez de Melissa, que é a única mulher na equipe no mundial. “Tenho bastante interesse pela ciência de modo geral, mas a Física é um carinho maior. A natureza tem um padrão e pode ser descrita pela matemática”, disse a estudante.

Contando as moedas

A equipe brasileira, visando conseguir fundos para a viagem e participarem da competição, estão contando com doações feitas pelas pessoa através de uma plataforma de financiamento coletivo. Segundo eles, por não conseguirem incentivo financeiro, eles precisaram recorrer a esta alternativa. A equipe, cuja a meta é 20 mil reais, já conseguiu arrecada pouco mais de 6,8 mil reais. A data de encerramento da campanha para obter os recursos está para o dia 05 de maio deste ano.

Esta não é a primeira vez que a equipe da UFABC vai representar o Brasil na competição. Eles já participaram de outras duas edições do IPT. Uma na Rússia, em 2018, e a outra na Suécia, em 2017. Na edição russa, os brasileiros competiram com outras 15 equipes e conseguiram alcançar o 3º lugar. Este é o melhor resultado para um país não europeu até o momento. Esta também foi a primeira vez que o Brasil subiu ao pódio no torneio.

A equipe do Brasil foi classificada para participar do torneio novamente depois de vencerem a seletiva nacional em novembro do último ano. No IPT, as equipes precisam resolver um problema da Física que ainda não possui respostas ou explicações definitivas. Uma vez solucionado, eles apresentam os resultados.

A competição

Uma equipe faz um debate com argumentos científicos, o que é chamado no torneio de Physics Fights. Uma outra equipe avalia o confronto de ambas equipes. No evento, já foram solucionados problemas que envolviam até mesmo a construção de uma aurora boreal em laboratório. Outro tópico incrível, enfrentado por eles na competição, foi a modelagem de um buraco negro sônico.

Enquanto ainda estava cursando o Ensino Médio, Melissa, participou do International Young Physicist’s Tournament (IYPT). Sua equipe, formada por apenas mulheres, acabou se classificando em 6º lugar na etapa nacional da competição. Melissa vê a sua participação na equipe brasileira no IPT como uma forma de mostrar a importância de mais mulheres nas Ciências Exatas.

“Estar no meio da equipe é uma espécie de grito de guerra, chamando as meninas para se envolverem com a Ciência e não terem medo dos desafios que esse caminho representa.  Seria bom se as mulheres da ciência pudessem incentivar as filhas delas e as irmãs mais novas, pois ninguém vai lutar pela mulheres, somente nós mesmas podemos lutar por nós”, afirmou a estudante.

Então pessoal, o que acharam da matéria? Deixem nos comentários a sua opinião e não esqueçam de compartilhar com os amigos.

10 comentários mais épicos da Fatos Desconhecidos #19

Matéria anterior

Como saber se você está bloqueado nessas 5 redes sociais

Próxima matéria

Você pode gostar

Comentários

Comentários não permitidos.