Conheça a história de Victoria Wright, portadora da rara 'Doença do Anjo'

POR Isabela Ferreira    EM Experiências      18/05/18 às 19h09

Sempre estamos por aqui falando sobre a quebra de padrões. Que não devemos julgar ninguém apenas por suas características físicas ou comportamentais, já que o que é realmente válido é o caráter de cada um. É claro que a sociedade, como um todo, ainda passa por lentas transformações para aprender a aceitar o que é diferente, mas não podemos negar que já fizemos um longo progresso. Entretanto, desde pequena Victoria Wright não soube o que era receber olhares sem julgamento. Isso porque ela é portadora da rara Doença do Anjo.

Também chamada de querubismo, esta é uma doença genética que provoca o excesso de tecido fibroso na face. Ganha tal nome por um motivo único: o rosto das pessoas afetadas adquire grande semelhança com os anjos querubins... Figuras angelicais que possuem bochechas e rosto mais arredondado. Eles eram bastante comuns em pinturas feitas na época do Renascimento.

A descoberta

Os primeiros sinais da Doença do Anjo surgiram apenas quando Victoria já tinha 4 anos. "Minha mãe estava escovando meus dentes e notou que eles não estavam no lugar certo", disse ela. Os médicos acreditavam que a condição poderia regredir após a puberdade da menina, mas as coisas apenas pioraram. Seu queixo começou a ficar mais saliente e seus olhos também começaram a ser afetados.

Ela precisou fazer uma cirurgia para evitar que sua visão fosse prejudicada. Ela começou a sofrer grande pressão sobre os olhos e o problema precisava ser resolvido o mais rápido possível. No entanto, ela ainda sente fortes dores de  cabeça. Segundo Victoria: "Querubismo não é uma condição indolor. Eu recebo pontadas de dor e minha cabeça está muito pesada. Os médicos dizem que é tão pesado quanto uma bola de boliche".

Embora tenha sofrido bullying durante toda a infância, ela conta que sua autoestima sempre foi capaz de superar isso. Situações do tipo apenas a fizeram ficar mais forte, entendendo que o problema estava nos outros e não nela. "Eu não quero me esconderem casa, com medo de sair e das outras pessoas. Se eles têm problemas sobre como eu olho, o problema é deles e não meu [...] Estou acostumada com o jeito que pareço",diz ela.

Chegou a recusar cirurgias que poderiam amenizar as formas da doença. Conta: "Estou feliz com o meu rosto na maioria dos dias. Afinal, eu sou uma mulher e nenhuma delas está completamente feliz com a própria aparência. Mas eu não vou me mudar para deixar as outras pessoas felizes".

Olhares

No início, Victória não aceitava muito bem o fato de as pessoas ficarem a encarando. Por vezes, ela ficava com raiva e chegava a tirar satisfações com aqueles que fizessem isso. No entanto, ela conta que à medida que o tempo passou, foi entendendo que esta é uma reação natural do ser humano. Querendo ou não, todos acabamos olhando para aquilo que é diferente e isso não quer dizer que seja algo ruim.

Segundo ela: "Eu eu me vejo sendo encarada de forma agressiva, isso pode ser perturbador. Mas eu não me deixo abalar. Se alguém está olhando por curiosidade, eu apenas sorrio e aceno para mostrar que sou um ser humano e não há nada para se assustar". Ela ainda menciona que a maioria das pessoas lhe sorri de volta, o que a faz se sentir bem, pois sabe que acabou de estabelecer uma certa conexão.

Mesmo possuindo a Doença do Anjo, em momento algum ela se deixou abalar. Mas conta que o apoio da família e dos amigos foi essencial para isso, sem contar que conheceu uma ONG que também a ajudou muito. A sensação foi de imediato acolhimento e a percepção de que ela era sim uma pessoa normal.

Conta: "Quando os conheci, me senti: Uau, você pode ter uma carreira, ser feliz e confiante mesmo com uma desfiguração". Hoje, ela continua firme em sua jornada pela vida e ainda atua ajudando pessoas que também sofrem com algum tipo de deformidade, representando um verdadeiro exemplo de superação e aceitação para o mundo todo.

E então pessoal, o que acharam? Que história, hein?! Já conheciam a Doença do Anjo? Compartilhem suas ideias com a gente aí pelos comentários!

Isabela Ferreira
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+