Notícias

Conheça o “Castelo do Cigano” que virou ponto turístico em Ribeirão Preto, SP

0

O “Castelo do Cigano” se tornou ponto turístico de Ribeirão Preto (São Paulo). As torres com características da arquitetura medieval são cercadas por plantações de cana-de-açúcar e chácaras.

O imóvel está localizado no Recreio Anhanguera, bairro da zona Leste da cidade, e foi construído há 25 anos. O ponto turístico é fruto do trabalho de um pedreiro e de uma dona de casa que, por meio da reciclagem, decidiram realizar um sonho.

Inspirado por filmes e séries, José Eurípides da Costa, de 64 anos, construiu o castelo que é o lar dele e da mulher, Neusa Maria Bezerra, de 60 anos.

“Eu nunca tive medo de me aventurar. Fiz uma parede, não caiu. Aí fui fazendo as outras, aprendendo na prática só de olhar nos filmes, e o castelo foi nascendo”, afirma Costa.

Início do reinado

Foto: Larissa Vieira/G1

De acordo com Cigano, apelido de José Eurípedes, a construção se iniciou no ano de 1997, depois de um longo período de vida nômade do casal.

Descendentes de ciganos, ele e Neusa viajavam pelo país, ficando curtos períodos em locações improvisadas. No entanto, Ribeirão Preto acabou se tornando o destino mais duradouro do casal depois de uma oferta de emprego.

“Montamos barraca em uma fazenda, na época era eu, minha mulher e meu filho, que não tinha nem 10 anos. Aí o dono loteou esse terreno e propôs que a gente fizesse uma casinha aqui. Levei uns seis meses levantando essa casa”, disse o pedreiro ao G1.

Com o passar dos anos, o pedreiro notou que suas habilidades melhoraram e decidiu construir o castelo. No começo, Neusa não colocava muita expectativa no desejo do marido, mas gradualmente começou a gostar da ideia.

“Pensei que não ia dar certo, que iria gastar muito dinheiro, dar muito trabalho. Mas ele foi fazendo de pouquinho em pouquinho e saiu o castelo. Parece até história de filme”, disse Neusa.

Sobras de materiais de construção e outros objetos recicláveis são a base do imóvel. Desde o término da construção do castelo, o casal já recebeu quatro propostas de compra do imóvel. Mas, contrariando as raízes nômades, Cigano e Neusa se recusam a deixar o local.

“Vieram quatro pessoas tentando comprar, mas não quisemos vender. A gente se sente realizado aqui”, disse o pedreiro.

A fuga dos ciganos

Foto: Larissa Vieira/G1

Nascido em Ituiutaba (MG), o casal cresceu participando de viagens e festas tradicionais de grupos ciganos e foi assim que se conheceram. José Eurípides afirma que se apaixonou por Neusa à primeira vista.

“Eu fui em uma festa de cigano e ela estava lá. Com uma saia longa de veludo, uma blusa de lã, cheia de correntes. Eu tinha o cabelo comprido e vi logo que a gente combinava. Olhei e falei: É essa aí”, relembra o pedreiro.

Depois do primeiro encontro, o casal não se separou mais. O romance foi desaprovado pelos pais, o que fez com que eles rompessem as tradições familiares e fugissem juntos em uma bicicleta.

“Éramos bem novinhos e nossas famílias não queriam deixar a gente casar porque eram duas tribos diferentes de ciganos. Aí fugimos de bicicleta e começamos a andar pelo mundo”, conta Cigano.

Atualmente, o casal leva uma vida simples. Neusa cuida do castelo, passeia de motocicleta com o marido, brinca com os cachorros e assiste novelas. Já Cigano, quando não está trabalhando como pedreiro em construções pela cidade, está aprimorando o seu castelo.

Estrutura do castelo

Foto: Larissa Vieira/G1

O castelo possui cinco quartos, duas salas de TV, cozinha, salão transformado em bar, calabouço e banheiro. Em breve, o lugar deve ganhar um novo banheiro e mais algumas áreas.

De acordo com Cigano, sempre surgem novas ideias para ampliar o imóvel. Por isso, ele se considera um ‘caçador de relíquias’, sempre atento aos símbolos, placas e demais objetos que podem ser ressignificados com a reciclagem.

“Eu fiz tudo sozinho, de sábado, domingo, feriado. Todos os filmes que fui assistindo serviram de base. Construí a churrasqueira, lareira, essas cruzes. Vou, por aí como um caçador de relíquias”, disse ao G1.

Visita ao castelo

Foto: Larissa Vieira/G1

Os visitantes podem conhecer o interior do ‘Castelo do Cigano’. De acordo com José Eurípedes, a visitação é muito bem-vinda e ajuda a financiar a manutenção do prédio.

Veja abaixo as principais informações para visitar o castelo.

  • Endereço: Via Anhanguera, km 305,5 + 900 metros – Recreio Anhanguera;
  • Horário: Sábados e domingos, a partir das 12h;
  • Entrada: R$ 5 por pessoa. Se houver consumo no bar, o valor da entrada é anulado.

Fonte: G1

Portadora de nanismo compra apartamento todo adaptado em Fortaleza

Matéria anterior

Victor Hespanha foi o 1° turista espacial brasileiro

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos