• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE

Cura da herpes pode estar perto através de um ''hackeamento'' genético

POR Cristyele Oliveira    EM Ciência e Tecnologia      26/04/19 às 14h52

A cada nova doença descoberta inicia-se uma incessante busca pela sua cura. Felizmente com o grande avanço tecnológico, a busca por tratamentos e cura de doenças tem sido cada vez mais eficaz. Em uma nova pesquisa, cientistas usaram técnicas de hackeamento genético em células humanas pela primeira vez. O estudo marcou um grande avanço nesse campo da ciência. E os resultados mostraram que, através dessa edição genética, é possível que os médicos destruam completamente vírus como herpes ou hepatite B dentro das células humanas.

A nova técnica inovadora, chamada CRISPR-Cas3, é capaz de apagar eficientemente longos trechos de DNA. Segundo o comunicado à imprensa publicado pela Universidade de Cornell, nos Estados Unidos, os pesquisadores acreditam essa técnica pode ser usada para curar diversas doenças virais.

Edição genética

O sistema de edição genética Cas3 é uma dás variações da tecnologia CRISPR que é capaz de apagar de forma eficaz longos trechos de DNA. O Cas3 mostrou uma capacidade muito maior e alcançável de localizar um alvo no genoma humano do que os sistemas CRISPR-Cas9 tradicionais.

O resultado da pesquisa já é um grande avanço. Embora as aplicações mais complexas da tecnologia possam demorar um pouco mais para ser uma realidade. O novo sistema mostrou todo o seu potencial de buscar e apagar vírus ectópicos. Isso poderia ser a cura de doenças como herpes simplex, Epstein-Barr e hepatite B. Todas essas doenças representam uma ameaça à saúde pública e encontrar a sua cura é de interesse mundial.

"Meu laboratório passou os últimos dez anos descobrindo como o CRISPR-Cas3 funciona. Estou muito feliz que meus colegas e eu finalmente demonstramos sua atividade de edição do genoma em células humanas", disse Ailong Ke , professor de biologia molecular e genética e autor do artigo publicado na revista Molecular Cell.

Essa utilização do sistema pode permitir ainda que os cientistas identifiquem especificamente as informações genéticas e como elas interagem com determinadas doenças.

"Nossas ferramentas podem ser feitas para direcionar esses vírus muito especificamente e, em seguida, apagá-los de forma muito eficiente. Em teoria, poderia fornecer uma cura para essas doenças virais".

O estudo

Pela primeira vez, os pesquisadores conseguiram deletar com sucesso sequências de até 100 kilobases de DNA. O foco dessa vez foi em células-tronco embrionárias humanas e um outro tipo de célula chamado HAP1.

Mesmo que o CRISPR-Cas3 tenha um potencial maior para ser uma ferramenta de edição de genoma mais eficaz que a Cas9, os pesquisadores agora estão trabalhando para descobrir por quanto tempo essa sessão é excluída. "Não podemos definir os limites de exclusão com precisão, e isso é uma falha quando se trata de terapêutica", disse Ke.

Além disso, a tecnologia CRISPR-Cas3 permite que os pesquisadores analisem o genoma por inteiro e encontrem elementos genéticos não codificadores. Esses elementos constituem 98% de todo o genoma humano. Além de atuar como reguladores que controlaram a expressão de proteínas dos genes. Eles são fundamentais para a diferenciação celular e determinação do sexo.

A pesquisa é financiada pelo National Institute of Health (NIH). Ke e sua equipe continuam trabalhando no sistema de edição genética.

E você, o que achou dessa nova tecnologia? Conta para a gente nos comentários e compartilhe com os seus amigos.




Matérias selecionadas especialmente para você

Cristyele Oliveira
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+