• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


Ela foi enterrada viva por seus sequestradores e sobreviveu mesmo 3 dias debaixo do solo

POR Jesus Galvão    EM Terror & Sobrenatural      30/05/19 às 14h37

Em 1968, uma pandemia de gripe, que foi chamada de Gripe de Hong Kong, afetou boa parte dos estudantes da Universidade Emory, nos Estados Unidos. Entre eles, estava Barbara Jane Mackle, de 20 anos. A jovem é filha do milionário Robert F. Mackle, sócio-proprietário da Deltona Corporation, uma grande construtora no país.

A mãe da menina, Jane Mackle, dirigiu de sua residência, em Coral Gables, no estado da Flórida, para buscar Bárbara em Atlanta, na Geórgia, cidade em que a menina vivia para estudar, e levá-la para casa para receber os devidos cuidados. Voltando para casa, mãe e filha decidiram passar a noite em um hotel na cidade de Decatur, na Geórgia.

O sequestro

Tarde da noite, alguém bate na porta do quarto em que estão hospedadas. Uma pessoa, a quem elas acreditam se tratar de um homem, começou a dizer que o namorado de Bárbara, Stewart Woodward, teria se envolvido em um acidente de carro. Quando abriu a porta para ver quem era a pessoa, Jane foi surpreendida com a visão de um cara vestido de policial apontando uma arma para sua cara.

O homem era Gary Steven Krist, de 23 anos. Ele estava acompanhado de Ruth Eisemann-Schier, de 26, que estava disfarçada de homem. Com clorofórmio, a dupla fez Jane desmaiar, em seguida, a amarraram e amordaçaram. Barbara ficou sob a ameaça durante esse tempo, e depois foi obrigada a entrar em um carro azul.

Gary seguiu em direção à floresta de uma parte isolada da cidade por cerca de 30 quilômetros. Em seguida, com a ajuda de Ruth, eles colocaram Bárbara em uma caixa de fibra de viro e a enterraram. Dentro do "caixão", a dupla deixou água misturada com sedativos, comida, um cobertor, uma lanterna e um pequeno ventilador. Enquanto enterravam a jovem, Gary tirou uma foto dela dentro da caixa transparente com um papel onde estava escrito a palavra "sequestrada".

O desespero

Muito tempo depois, Bárbara ainda se lembra daquele terrível momento. Especialmente da terra caindo sobre o caixão. "Eu gritava e gritava. O som da terra foi ficando mais e mais longe. Finalmente, eu não conseguia ouvir mais nada. Gritei por um longo tempo depois disso", escreveu ela em seu livro, publicado em 1971, 83 Hours Till Dawn. 

Naquele mesmo dia, Robert, pai de Bárbara, recebeu uma ligação informando que a menina estava enterrada e que sufocaria até a morte caso ele não pagasse o resgate no valor de 500 mil dólares. O empresário deveria levar o dinheiro sozinho em uma maleta até o local combinado. Caso ele concordasse, ele deveria fazer um anúncio em um jornal local chamado Miami Herald. E assim ele o fez.

No dia seguinte, as seguintes palavras foram publicadas no periódico: "Amada, por favor, venha para casa. Nós pagaremos todas as despesas e encontraremos você em qualquer lugar, a qualquer hora".

Dois dias depois, os sequestradores entraram em contato com a família de Bárbara novamente para informar o local onde Robert deveria deixar o dinheiro. E conforme combinado, o pai da jovem se deslocou até o lugar para dar fim ao inferno vivido por eles. A movimentação na área combinada com os sequestradores chamou a atenção de um morador que alertou a polícia. Os policiais entraram em ação, mas não conseguiram prendê-los. Posteriormente, foi encontrado o carro azul em que Bárbara foi transportada. Em seu porta mala, a polícia encontrou uma outra foto tirada da jovem naquela noite.

O resgate

Robert Mackle, desesperado para encontrar sua filha, deu uma declaração pública garantindo aos sequestradores que não havia chamado a polícia, como combinado. Gary, algum tempo depois ligou na casa da família Mackle para passar a localização aproximada de Bárbara. Agentes do FBI foram acionados para ajudar a encontrar a jovem.

Enquanto a procuravam, os homens chamavam seu nome e ficaram atentos em busca de pistas. Um dos agentes ouviu umas leves batidas vindas do solo. De pronto, ele chamou outros homens e começaram a cavar usando suas próprias mãos. Depois de longos 12 minutos, Bárbara foi finalmente tirada da caixa de vidro, onde passou 3 dias. Ela estava fraca e pesava cerca de 10 quilos a menos.

Seus sequestradores foram encontrados e condenados. Gary foi encontrado na costa da Flórida, pilotando um barco. Junto dele, boa parte do dinheiro pago por Robert no resgate de sua filha. No entanto, Gary foi solto 10 anos depois. Ruth foi presa em Norman, no estado do Oklahoma. Condenada a sete anos de prisão, ela foi deportada para seu país natal, Honduras, no quarto ano de prisão.

Em seu seu livro, Bárbara nos conta com mais detalhes tudo o que fez para sobreviver. De acordo com seu relatos, tudo o que ela fazia era tentar se manter calma e pensar nas boas lembranças com sua família. Porém, em diversos momentos, ela achou que tudo estava perdido. "Três ou quatro vezes, eu pensei: 'esse vai ser o meu caixão'. Eu pensava em quem iria me encontrar. Quem, quando e como. Talvez um fazendeiro ou alguém que estaria construindo algo. Em dez anos? Vinte anos?".

Então pessoal, o que acharam da matéria? Deixem nos comentários a sua opinião e não esqueçam de compartilhar com os amigos.

Próxima Matéria
Jesus Galvão
Goiano, Canceriano e Publicitário.
As categorias Terror, Sobrenatural, CreppyPasta e entretenimento têm como único objetivo de entreter. Não devem ser utilizadas como fontes de artigos científicos ou trabalhos escolares.
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+