Curiosidades

Essas são as consequências do colapso da Geleira do Fim do Mundo

0

Estamos constantemente lidando com os problemas decorrentes das mudanças climáticas. O que não faltam são motivos para se preocupar com o futuro do nosso planeta. Um deles é a geleira de Thwaites, na Antártida, que há alguns anos causa grande preocupação entre os cientistas.

Ele é um bloco de gelo do tamanho do estado do Paraná que também é chamado de “geleira do fim do mundo”. Por seu nome é possível entender por que ela causa tanta preocupação assim.

“Thwaites é o único local na Antártida que tem o potencial de despejar uma enorme quantidade de água no oceano, nas próximas décadas”, disse o especialista, Sridhar Anandakrishnan, da Universidade Estadual da Pensilvânia, em 2021.

A preocupação com ela vem desde 2010, época em que Anandakrishnan já tinha visto que a geleira estava derretendo de uma maneira que não estava sendo compensada pelo seu crescimento na época do inverno.

Com o tempo, essa preocupação apenas aumentou. Tanto que dois estudos feitos pelos pesquisadores do British Antarctic Survey (BAS) foram publicados na revista “Nature” e também ressaltaram nos motivos de preocupação com a situação vista há algum tempo. De acordo com eles, a água quente está entrando nos pontos mais vulneráveis da geleira por conta do aumento das temperaturas visto no mundo todo. 

“Thwaites pode já ter entrado em um estado de perda de gelo rápida e irreversível. Seu colapso completo, em séculos, contribuiria a um aumento de 65 cm do nível global do mar”, apontou o estudo.

Ainda conforme os estudos mostraram, se a chamada geleira do fim do mundo realmente entrar em colapso, isso iria arrastar parte do manto de gelo da Antártica Ocidental, o que consequentemente causaria um cenário totalmente catastrófico.

Consequências do derretimento da geleira

MSN

Se caso isso realmente acontecer, o nível do mar pode subir até três metros. Por conta disso, ilhas, cidades, países e várias zonas costeiras iriam desaparecer do mapa.

Outra consequência seria nos terrenos agrícolas que por conta desse aumento do nível do mar acabariam inundados por uma concentração grande de sal na água.

Sabendo dessas possíveis consequências, os cientistas resolveram estudar a geleira do fim do mundo para saber qual realmente é a sua situação. Eles fizeram isso explorando vários pontos dela.

O primeiro grupo de pesquisadores fez uma perfuração a mais de meio quilômetro abaixo da linha de aterramento da geleira. Como resultado, eles conseguiram medir a temperatura do oceano, sua salinidade e também a taxa de degelo de Thwaites. 

Um outro grupo de pesquisadores fez uma análise na área inferior da geleira através de um veículo subaquático. O que eles viram foi que a água que está embaixo de Thwaites era bem quente para o local onde ela estava, tanto que sua temperatura era de 2,5° Celsius.

Isso é preocupante porque essa água derretida vai para as rachaduras basais da geleira do fim do mundo. Esses locais já são afetados também pelo sal do oceano, o que faz com que o derretimento do gelo seja acelerado.

O estudo mais recente foi feito por um grupo de cientistas da The International Thwaites Glacier Collaboration em 2021. As conclusões que eles chegaram foram realmente perturbadoras.

“Usamos dados de satélite, radar de penetração no solo e medições de GPS para sugerir que o colapso final da última plataforma de gelo remanescente da geleira Thwaites pode ser iniciado pela [interseção] de fendas com zonas ocultas de fendas basais em menos de 5 anos”, mostrou o estudo.

Perigo

MSN

Como visto, as consequências desse derretimento podem ser catastróficas. Então não é de se espantar que inúmeros estudos sejam feitos a respeito dela. De acordo com as medidas anteriores a respeito da geleira do fim do mundo, o estimado era que ela se deslocaria do continente, mas não se tinha uma precisão para entender a rapidez do degelo.

Por conta disso, os cientistas da Universidade de Gotemburgo decidiram pesquisar o estado da geleira no fundo do oceano. Como resultado, eles viram que ela está prestes a se tornar um iceberg.

“Thwaites está realmente se segurando hoje pela ponta dos dedos. Devemos esperar grandes mudanças em um futuro relativamente próximo”, disse o geofísico marinho Robert Larter, um dos coautores do estudo.

Sabendo que a geleira do fim do mundo tem pouco tempo para se descolar, o que isso significa? Um dia apocalíptico irá acontecer quando no descolamento? As medições anteriores esperavam que um aumento de 63 centímetros no nível do mar iria causar uma inundação quase que instantânea em todas as regiões costeiras da Terra.

Entretanto, de acordo com o que mostram novas pesquisas, o derretimento completo da geleira do fim do mundo aconteceria em aproximadamente seis meses. Isso dá tempo suficiente para que quem mora nas regiões litorâneas se desloque antes que o inevitável nível do mar suba.

O estimado é um aumento de 63 centímetros. Se ele fosse de 60 centímetros, de acordo com o observatório climático oficial do governo dos EUA, isso já destruiria boa parte da costa da Louisiana, no sul dos EUA, e afundaria algumas partes da Flórida. No Brasil, as cidades costeiras também sofreriam impacto com esse descolamento.

Fonte: MSN, Hypeness

Imagens: MSN

Conheça Pedrinho Matador, assassino em série dos anos 80 encontrado morto

Artigo anterior

Esses famosos sobreviveram a acidentes aéreos

Próximo artigo