Ciência e Tecnologia

Estudo vê diferenças no cérebro de homens e mulheres

0

Novos estudos estão tentando entender a diferença entre o cérebro masculino e feminino, e os resultados já impressionam.

Segundo pesquisas, as mulheres apresentam um órgão ligeiramente menor, porém, com mais conexões na rede padrão do cérebro, um conjunto de circuitos que atravessa cinco regiões cerebrais e é ativado durante o “pensamento interno”, ou reflexivo.

Por outro lado, homens tendem a ter um corpo estriado mais desenvolvido, uma região cerebral associada à motivação e tomada de decisões, sendo maior em termos de tamanho.

Essas descobertas vêm de um estudo conduzido pela Universidade Stanford, que analisou exames de neuroimagem de 1.500 voluntários com idades entre 20 e 35 anos.

Embora estudos anteriores já tenham sugerido diferenças desse tipo, os novos resultados são considerados mais robustos, abrangendo 20 redes cerebrais.

Os pesquisadores também utilizaram esses dados para treinar um sistema de inteligência artificial, que demonstrou uma precisão de 90% ao classificar um cérebro masculino ou feminino.

Segundo os cientistas, compreender essas diferenças cerebrais entre homens e mulheres pode auxiliar no tratamento de doenças psiquiátricas e neurológicas, permitindo identificar a predisposição de cada sexo para diferentes condições.

Via Freepik

O que influencia no tamanho?

O tamanho do cérebro é influenciado por uma combinação de fatores genéticos, ambientais e relacionados ao desenvolvimento.

Inicialmente, o que primeiro se considera é a herança genética, que desempenha o papel mais importante no tamanho e da estrutura desse órgão.

Inclusive, estudos em gêmeos idênticos e não idênticos sugerem que os fatores genéticos contribuem significativamente para as variações no tamanho cerebral.

Além disso, ele também muda com a idade, por isso temos variações ao longo da vida. Durante o desenvolvimento infantil e adolescente, o cérebro passa por períodos críticos de crescimento.

O tamanho tende a aumentar até atingir a maturidade na idade adulta jovem e, em seguida, pode diminuir ligeiramente com o envelhecimento.

Ainda, os estudos também tentam entender se o tamanho do cérebro masculino e feminino sofre impactos com o ambiente, considerando experiências, ambiente e estimulação cognitiva adequada.

O mesmo se aplica para atividades cerebrais, estímulos mentais contínuos e funções. Por exemplo, profissionais intelectuais teriam um tamanho de cérebro diferente de trabalhadores manuais?

Externamente, as condições médicas do indivíduo também influenciam, como nutrição, doenças crônicas, lesões ou até mesmo abuso de substâncias podem impactar no tamanho do cérebro.

Via Freepik

Não afeta a inteligência

Por outro lado, é essencial pontuar que o tamanho e as formas de conexão neural do cérebro masculino e feminino não influencia na inteligência que o indivíduo pode desenvolver, existindo diversos fatores determinantes para as habilidades cognitivas.

Independentemente das condições genéticas, hormonais ou de influência externa, a variação individual é o que predomina. Ou seja, como a pessoa se estimula, aprende e vive suas experiências.

Além disso, a organização e a conectividade do cérebro, bem como a densidade e a eficiência das conexões neurais, podem ser mais importantes do que o tamanho absoluto.

A forma como diferentes áreas do cérebro se comunicam e interagem pode ter um impacto maior na inteligência do que o seu tamanho. Conforme a pesquisa, isso muda em um cérebro masculino e feminino, mas sem impactar no seu potencial.

Não existe uma relação direta entre essas diferenças e habilidades cognitivas específicas. Dessa forma, a pesquisa não pode ser usada como forma de descredibilizar e invalidar os conhecimentos femininos, por exemplo.

Afinal, como o estudo mesmo pontua, a intenção é saber como administrar tratamentos, lidar com doenças e propor intervenções mais bem-sucedidas para diferentes grupos.

Enquanto isso, a inteligência é um traço complexo e multifacetado, envolvendo diversas habilidades cognitivas, como raciocínio, memória, desenvolvimentos verbais, habilidades espaciais e diversos outros pontos.

Por isso, o tamanho do cérebro não é o único fator determinante nesse quesito, e ambos os indivíduos possuem plenas capacidades de desenvolvimento intelectual e lógico.

 

Fonte: SuperInteressante

Imagens: Freepik, Freepik

El Niño x La Niña: entenda como a mudança de fenômeno pode impactar a inflação no Brasil

Artigo anterior

Estudo desvenda por que jatos de xixi de gato cheiram muito mal

Próximo artigo