Curiosidades

Funcionário foi demitido depois de aparecer em foto de aniversário com refrigerante concorrente

0

As redes sociais são usadas pelas pessoas para elas postarem o que quiserem e poderem compartilhar com seus seguidores um pouco de quem elas são. No entanto, nem todas as postagens feitas podem ser vistas com bons olhos e as pessoas podem acabar sendo desligadas. Esse foi o caso de um funcionário que acabou sendo demitido por conta de uma foto.

Por conta desse caso, duas marcas de refrigerante de Rondônia acabaram se tornando assunto nacional. Foram elas: Frisky e Dydyo. Isso porque Keoma de Oliveira era funcionário da Frisky, mas acabou sendo demitido da empresa depois de fotos nas redes sociais da festa de aniversário do seu filho terem sido publicadas e terem garrafas do refrigerante concorrente, no caso a Dydyo, na mesa.

Demitido

Terra

Segundo a Frisky, o funcionário não foi demitido por conta disso, mas sim por conta de uma redução de funcionários. No entanto, a empresa não conseguiu comprovar através de documentos o real motivo da demissão. Na visão de Keoma, ele foi desligado justamente por conta da foto com o refrigerante rival em um momento da sua vida pessoal. Por conta disso, a Frisky foi condenada a pagar uma indenização ao funcionário de sete mil reais.

Como a notícia da demissão de Keoma viralizou, alguns dias depois, a empresa concorrente, a Dydyo, decidiu contratar o funcionário para trabalhar em sua empresa. Ou seja, no fim das contas as duas marcas de refrigerante acabaram tendo um destaque nacional. E claro que muitos ficaram surpresos por nunca nem terem ouvido falar desses refrigerantes.

Marcas de refrigerante

Frisky

Terra

Os refrigerantes dessa marca começaram no fim de 2010. Ao todo são seis sabores: Frisky Uva, Frisky Laranja, Frisky Cola, Frisky Guaraná, Frisky Limão e Frisky Baína.

Essa marca é parte da Indústria Femar, uma das maiores no segmento de bebidas não alcoólicas no estado de Rondônia, que fica no município de Ariquemes. Por isso que além do Frisky, ela também é responsável por comercializar marcas como Tampico, a água mineral Puragua e o energético Blue Ray.

Dydyo 

Terra

Essa marca nasceu da amizade dos jovens estudantes Cley Muniz e Robisson Dorner há 22 anos, de acordo com o site deles. A sede da empresa é em Porto Velho, na capital do estado. E ao contrário da concorrente, ela tem 10 sabores de bebidas. São eles: Dydyo Cola, Dydyo Cristal (soda), Dydyo Framboesa, Dydyo Graviola, Dydyo Guaraná, Dydyo Guaraná Champagne (também na versão zero açúcar), Dydyo Laranja, Dydyo Limão, Dydyo Tubaína e Dydyo Uva.

E um fato curioso sobre a Dydyo é que ela é a única empresa de Rondônia que envasa suas próprias latas.

Outro caso

Além de Keoma, outra funcionária também foi demitida por conta de uma publicação nas redes sociais. Nesse caso, Grazi Rodrigues estava trabalhando na “Tardezinha”, show do pagodeiro Thiaguinho, quando foi convidada por Neymar para dançar com ele no meio dos outros convidados. O momento foi filmado e acabou viralizando nas redes sociais.

Depois disso, Grazi foi demitida, desse que era seu emprego temporário, na mesma noite. Na visão da mulher isso aconteceu como preço de ela ter aproveitado a oportunidade. Tudo isso aconteceu no último domingo. Mas isso levantou uma dúvida em muitas pessoas: a mulher realmente podia ter sido demitida por conta do ato?

De acordo com Marcela Menezes, advogada especialista em Direito do Trabalho e Previdenciário, a demissão de Grazi foi “plenamente possível”. Ela explicou que a conduta da mulher pode ter ferido as regras de contratação dela, o que gera um encerramento antecipado do contrato.

“O fato emblemático dessa história não foi pelo jogador ter lhe chamado, mas pela esteticista estar festejando junto com os convidados – algo que não se podia tolerar. Afinal, tal atitude demonstra que ela não estava fazendo o que foi contratada para fazer”, explicou Marcela.

Outro ponto que Marcela ressaltou foi a exposição nas redes sociais, o que eram provas de que a mulher deixou de trabalhar para aproveitar a festa. “Isso foi utilizado como prova contra ela, inviabilizando que pudesse argumentar sobre sua responsabilidade”, disse.

Como dito, Grazi estava com um contrato temporário para o trabalho no show. “O trabalho temporário não configura vínculo empregatício entre profissional e empresa”, explicou Marcela. A característica principal dele é já ter um término pré-estabelecido. No entanto, mesmo assim ele pode ser terminado com o funcionário sendo demitido ou com ele pedindo a dispensa para o empregador.

“A principal causa para encerramento do contrato de trabalho temporário através da demissão se dá, geralmente, pela quebra das cláusulas contratuais entre as partes e até por questões relacionadas a pagamento”, pontuou a advogada.

Mesmo com essas práticas, Ivandick Cruzelles Rodrigues, doutor em Direito do Trabalho e Seguridade Social e advogado trabalhista, essa modalidade de contratação é regulamentada pela CLT através da lei própria, a nº 6.019/74.

Fonte: Terra

Imagens: Terra, Instagram

Obcecados por Barbie, fãs ostentam coleções, decoração de R$ 200 mil e casas cor-de-rosa

Previous article

Ciência explica por que o seu café pode ficar melhor com sal

Next article

Comments

Comments are closed.