• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


A Groenlândia está 4 graus mais quente e isso é preocupante

POR Bruno Destéfano    EM Curiosidades      18/06/19 às 19h49

Com o verão se aproximando no Ártico, o gelo está derretendo de maneira descontrolada. A Groenlândia registrou temperaturas de até 4º C acima do normal nas últimas semanas. "É outra série de eventos extremos consistentes com a tendência de longo prazo de um aquecimento, mudando o Ártico", disse Zachary Labe, pesquisador do clima da Universidade da Califórnia em Irvine. Consequentemente, como imaginado, o calor anormal e o derretimento do gelo no Ártico podem estar atrapalhando nosso clima. As informações do Centro Nacional de Dados de Neve e Gelo mostram que o manto de gelo da Groenlândia parece ter testemunhado seu maior evento de derretimento precoce. "O derretimento é grande e cedo", disse Jason Box, climatologista do Centro Geológico da Dinamarca e Groenlândia. Assim sendo, a Groenlândia está 4 graus mais quente e isso é preocupante.

Marco Tedesco, pesquisador de gelo da Universidade de Columbia, acrescentou que também tem sido excepcionalmente quente no leste e centro da Groenlândia. "Isso desencadeou um derretimento generalizado que atingiu cerca de 45% da camada de gelo", escreveu ele em um e-mail.

Aumento na temperatura

Uma simulação do Centro Europeu de Previsão Meteorológica de Médio Prazo sugeriu que as temperaturas sobre a Groenlândia podem ter atingido um pico de cerca de 4º C acima do normal. O tempo nos próximos meses irá determinar a quantidade de camadas derretidas.

Se houver uma alta pressão, "devemos quebrar um novo recorde", publicou Xavier Fettweis, um climatologista da Universidade de Liège, na Bélgica. No entanto, não temos apenas notícias ruins. Os cientistas que estudam a região sabem que o clima da Groenlândia é altamente variável e pode mudar rapidamente.

Os satélites meteorológicos têm monitorado o gelo marinho no Ártico desde 1979. Por isso mesmo, é possível constatar que a atual cobertura de gelo é a mais baixa registrada em meados de junho. A extensão fora especialmente reduzida na parte do Oceano Ártico adjacente ao Oceano Pacífico. "É impressionante a quantidade de água aberta nessa área", disse Zachary Labe. Ele explicou que a alta pressão sobre o Ártico ajudou a tirar o gelo do mar da costa norte do Alasca.

Previsões

Labe disse que há tanto gelo derretido que é possível navegar desde o Estreito de Bering até o mar de Beaufort. "É muito incomum esse tipo de fenômeno", disse ele. A Groenlândia está 4 graus mais quente e isso é preocupante. Com toda a água exposta, a temperatura do oceano nesta região aumentará. Isso deve atrasar o congelamento e provavelmente resultará em um mínimo de gelo marítimo.

"Não há indicação de que este ano será tão baixo quanto 2012", quando o gelo do Ártico atingiu seu nível mais baixo já registrado, disse Labe. "Se ocorrer um tempo nublado, isso desaceleraria a taxa [de derretimento]. É realmente difícil de prever."

As zonas salientes de alta pressão no Ártico estão deslocando o ar frio normalmente contido naquela região para as latitudes médias. Grande parte do centro e leste dos Estados Unidos registrou temperaturas abaixo do normal na última semana. "A corrente de jato esta semana foi uma das mais loucas que eu já vi!" Jennifer Francis, uma das principais pesquisadoras da área.

Francis havia sugerido que as condições no Ártico podem ter desempenhado um importante papel nos Estados Unidos. Sobretudo, em relação à quantidade de tornados e inundações durante as duas últimas semanas de maio. "Não podemos dizer que o rápido aquecimento do Ártico esteja causando esse padrão particular. Porém, certamente é consistente com isso".

Próxima Matéria
Bruno Destéfano
Escritor, fotógrafo e jornalista // Deixe que o conhecimento te revolucione de dentro para fora.
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+