Curiosidades

Homem que diz ser último parente vivo de Hitler é preso

0

Romano-Lukas Hitler é um alemão que alega ser o “último parente vivo” do líder nazista, Adolf Hitler. Como o ditador não deixou filhos, o seu parentesco com o homem seria bem distante. Em suma, Romano virou notícia recentemente devido a uma acusação de pedofilia. O homem, de 69 anos, acabou sendo condenado, pela polícia alemã, por beijar uma garota de 13 anos, nas bochechas e no pescoço.

O caso aconteceu na cidade de Goerlitz, na Alemanha, quando Romano visitou a casa de um homem, que fazia um bazar para vender objetos usados. A filha do dono da casa foi a vítima. De acordo com o pai dela, Romano nunca foi até lá para comprar nada, mas sim para ver a sua filha menor de idade. Romano se defendeu das acusações, dizendo que o beijo foi inofensivo, mas, ainda assim, foi condenado pelo ato.

O herdeiro de Hitler

Romano-Lukas Hitler tem 69 anos e mora na Alemanha, ele afirma ser a última pessoa viva a ter um parentesco, mesmo que distante, com Adolf Hitler. Segundo ele, o pai de Adolf, Alois teve um irmão mais novo, cujo o neto dele migrou para a Eslováquia, depois da Segunda Guerra Mundial. Romano afirma que esse neto é o seu pai. Depois da morte dos seus pais, Romano foi levado a um monastério e foi adotado por uma família polonesa.

Para ele, não parece ser um incômodo carregar o sobrenome do líder nazista. O nome Hitler aparece em todos os seus documentos, desde a carteira de identidade, passaporte e cartões de crédito. Afinal, esse é o seu nome, querendo ou não. No entanto, nem tudo são flores. Ele confessa que esse sobrenome marcante, às vezes, é um empecilho quando ele procura um emprego. Romano chegou a dizer que esse sobrenome é uma “cruz, que tem que carregar”.

Inclusive, por conta desse detalhe, é que ele acabou virando notícia pelo recente acontecido. Se não fosse por esse sobrenome, essa seria apenas mais uma notícia qualquer, e não chegaria aos meios de comunicação do mundo todo.

Prisão

Recentemente, o “herdeiro” de Hitler foi condenado pela polícia alemã, acusado de pedofilia. Segundo informações do jornal alemão Bild, ele teria assediado uma garota de apenas 13 anos de idade.

O caso aconteceu durante uma visita à casa de um homem, que vendia objetos usados em sua garagem. Mas, como relatou o dono da casa, Romano só estava ali devido ao interesse na sua filha. Inclusive, ele teria até levado flores de presente para a garota.

Ele foi denunciado depois de ter beijado a menina nas bochechas e no pescoço. “Ele seduziu a minha filha com doces, levou à casa dele, comprou roupas para ela e até a pediu em casamento”, disse Piotr, o pai da menina.

No tribunal, Romano alegou que o beijo foi “inofensivo” e que esse é um costume alemão de dar “boas-vindas”. O juiz do caso ignorou esse argumento, e o homem foi condenado a uma multa de 800 euros, cerca de R$ 3.620. Ele também recebeu uma medida restritiva na qual ele está proibido de se aproximar da menor.

E você, já tinha ouvido falar sobre esse parente distante de Hitler? Conta para a gente nos comentários e compartilhe com os seus amigos.

Marvel anuncia importante morte para este ano

Matéria anterior

Arte incrível mostra Piccolo transformado em modo Deus

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos

Fatos Desconhecidos Nós gostaríamos de enviar notificações dos últimos conteúdos e atualizações que fazemos.
Dismiss
Allow Notifications