Ciência e Tecnologia

Isso é o que acontece quando você usa sapatos em casa, segundo a ciência

0

Você tem o hábito de tirar os sapatos, antes de entrar em casa? Caso não tenha, é melhor incorporá-lo em seu dia a dia. Em muitos países e culturas, por exemplo, não é aceitável entrar e andar na casa, em seus sapatos sujos. Em contrapartida, aqui no Brasil, é muito comum. Não deveria ser. Os motivos? Há uma série de razões pelas quais você deve tirar seus calçados e deixá-los na porta da frente.

Segundo pesquisadores da Universidade de Houston, Universidade do Arizona e Universidade Baylor, nos Estados Unidos, não tirar os sapatos antes de entrar em casa, pode expor você e sua família a um risco maior de contrair doenças causadas por bactérias. Tais bactérias são trazidas da rua, pelas solas dos sapatos. É isso mesmo. E em casa, mesmo sendo um ambiente limpo, esses microrganismos multiplicam-se.

As bactérias

1 11 600x347, Fatos Desconhecidos

De acordo com os pesquisadores, as bactérias impregnadas nos solos dos nossos calçados estão relacionadas a inúmeros problemas de saúde, que vão desde diarreia até câncer. E quais bactérias são essas? Os pesquisadores envolvidos, no estudo, descobriram que bactérias coliformes como a E. coli, aderiam regularmente à parte externa dos sapatos.

O contato, com bactérias coliformes E. coli, pode causar infecções desagradáveis. Exemplos? Meningite. Obviamente, há outras doenças. “É incrível o quanto as pessoas andam durante o dia, e toda essa caminhada traz consigo os germes”, disse Kevin Garey, professor na Universidade de Houston, nos Estados Unidos.

O estudo fez com que até os pesquisadores repensar alguns de seus hábitos pessoais. “Isso me impediu de colocar os pés na mesa”, admitiu um dos envolvidos. No estudo, ao todo, foram detectados 421.000 tipos diferentes de bactérias nos sapatos. Os coliformes, presentes nas fezes humanas, foram rastreados em 96% dos sapatos analisados.

Nesse ínterim, as pessoas que viviam nas proximidades de estradas asfaltadas com alcatrão de hulha, líquido escuro derivado do carvão, tinham um maior risco de contrair câncer devido às toxinas levadas pelos sapatos.

Mesmo o revelando tais riscos, há ainda uma outra realidade mais difícil de digerir. Segundo o microbiologista de alimentos da Universidade Rutgers, Donald W. Schaffner, se estamos abordando riscos que são ocasionados por hábitos comuns, usar sapatos em ambientes fechados, não deve estar no topo da pirâmide.

Outros riscos

2 9 600x452, Fatos Desconhecidos

Bactérias mais perigosas que as que encontramos nas solas dos sapatos existem. E como temos contato com esses organismos? Fácil. Se você é do tipo que apoia bolsas e necessaires, no piso e em superfícies de banheiros públicos, cuidado.

Esses acessórios podem conter altos níveis de bactérias, potencialmente letais. Os testes de laboratório mostraram que, com apenas seis meses de uso, esses utensílios são já podem conter bactérias como a Salmonella. A Salmonella, para quem não sabe, causa intoxicação alimentar. Além disso, tais objetos podem contar também Cronobacter, que pode causar meningite, em adultos e crianças.

Além desses objetos, há outro em questão que devemos ter cuidado. Na verdade, um cuidado ainda maior. Afinal, o objeto que vamos apontar aqui, não sai de casa. E que objeto seria esse? As esponjas de cozinha. Estas absorvem água e partículas de alimentos, que apodrecem na esponja, tornando-se uma “fossa” de bactérias.

Nova história de Death Note ganha data de lançamento e mais informações

Matéria anterior

7 atores de Meninas Malvadas com os maiores patrimônios líquidos

Próxima matéria

Você também pode gostar

Comentários

Comentários não são permitidos