Em outubro de 2017, dois detectores de metal de caçar tesouros realmente acharam um perto do Lago Biel no Bernese Jura, que fica cerca de 45 quilômetros a noroeste de Berna na Suíça. O achado era um mão de bronze esculpida junto com um punho de ouro que data de mais ou menos 3.500 anos.

Nem mesmo os arqueólogos entenderam essa descoberta e nunca tinham visto algo parecido. Um dia depois de sua descoberta, os itens achados foram entregues à especialistas de História Antiga do Departamento de Arqueologia Romana do Serviço Arqueológico de Berna.

A agora chamada mão de Prêles é um pouco menor do que uma mão adulta e foi feita com meio quilo de bronze, segundo a National Geographic. E a datação feita por radiocarbono na cola, que foi usada para grudar a faixa de ouro no pulso da mão, coloca o achado entre 1.400 e 1.500 a.C, ou seja, na Idade do Bronze da Europa.

A equipe de arqueólogos liderada por Andrea Schae diz que é improvável que a mão tenha sido usada por alguém. Os pesquisadores voltaram ao local onde a mão foi achada para mais escavações e descobriram um possível túmulo que sofreu danos significativos.

Publicidade
continue a leitura

O homem teria sido enterrado junto com a mão sob a construção antiga que eles descobriram embaixo do túmulo. Os pesquisadores disseram que esse era um tipo comum de enterro suíço na Idade do Bronze e que o sujeito enterrado certamente era ser alguém de alto escalão.

Descobertas

Publicidade
continue a leitura

Os pesquisadores conseguiram fazer mais descobertas. Foram ossos de um homem de meia idade, um longo alfinete de bronze, um espiral de bronze, alguns pedaços a mais de folhas de ouro, que talvez estivessem junto com a mão, e um dos dedos que faltava na mão. A hipótese levantada pelos arqueólogos é que a mão foi enterrada junto com o homem do qual se sabe praticamente nada.

"Para o conhecimento de especialistas suíços, alemães e franceses, nunca houve uma escultura comparável que data da Idade do Bronze na Europa Central", segundo o comunicado de imprensa. “A mão de Prêles é agora a peça de bronze mais antiga que representa uma parte do corpo humano. É, portanto, um objeto único e notável ”.

Respostas

Publicidade
continue a leitura

O trabalho dos pesquisadores continua com fins de saber se os itens foram fabricados nas proximidades ou importados de longe. E também para entender o propósito da mão de bronze.

"Nós não sabemos o significado e a função atribuída à ela", escrevem os autores no comunicado de imprensa. “Seu ornamento de ouro sugere que é um emblema de poder, um sinal distintivo da elite social, até mesmo de uma divindade. A mão é estendida por uma forma oca que sugere que ela foi originalmente montada em outro objeto: talvez fosse parte de um cetro ou de uma estátua ”.

Publicado em: 27/09/18 17h00