Curiosidades

Madeleine McCann: frase fez de alemão principal suspeito do crime

0

O caso de Madeleine McCann, uma criança britânica que desapareceu quando tinha três anos de idade durante suas férias com seus pais em um aldeamento na Praia da Luz, no Algarve, em Portugal, é um dos desaparecimentos mais intrigantes do mundo. O caso aconteceu em 2007 e até hoje repercute.

Isso porque, mesmo depois de tanto tempo, o caso ainda permanece sem solução. Mas isso não quer dizer que as autoridades não tenham, pelo menos, um possível norte. No caso, Christian Brueckner tem sido o principal suspeito no desaparecimento de Madeleine. Mesmo assim, o alemão nega a frase que chamou atenção da polícia.

Frase possivelmente dita

Metrópoles

O ocorrido foi em 2008, quando Helge Busching teria estado junto com Brueckner e mais outros dois amigos, em um festival de música na Espanha, no momento em que ela falou sobre a menina desaparecida, o alemão teria falado: “Sim, ela não gritou”.

“Foi então que Christian fez um comentário sobre a menina desaparecida. O Christian perguntou se eu [Helge] ainda ia para Portugal, respondi: ‘Não vou mais para Portugal porque lá há muitos problemas, Portugal tem muitos policiais por causa da criança desaparecida. É realmente estranho que ela tenha desaparecido sem deixar vestígios’. Christian respondeu: ‘Sim, ela não gritou'”, teria contado Busching.

No entanto, em uma carta publicada recentemente pelo Daily Mail, Brueckner conta que Busching o denunciou para a polícia em 2017, na época em que ele estava cumprindo pena na Grécia por tráfico de pessoas. Na carta, o alemão também cita a frase e diz que as palavras nunca saíram de sua boca. “Nem são dignas de comentário”, escreveu ele.

Essa não foi a única carta que Brueckner escreveu. Em todas elas, o homem nega ter algum envolvimento com o desaparecimento de Madeleine e condena a polícia e outros envolvidos na investigação.

Atualmente, o homem está cumprindo pena de prisão na Alemanha por ter estuprado e assassinado uma mulher de 72 anos. E ele se tornou um suspeito do caso de Madeleine há três anos quando a polícia descobriu não somente essa suposta fala dele, mas também por ele ter sido identificado estando por perto do Algarve na mesma época em que a menina sumiu.

Investigações

Irish Mirror

Na quinta-feira da semana passada foi divulgado que “uma série de itens” foram encontrados em um dos endereços que podem ter relação com o suspeito. O local onde esses itens foram encontrados foi em uma reserva na Barragem do Arada, aproximadamente 50 quilômetros de onde Madeleine foi vista pela última vez.

Ao todo, foram abertos oito buracos no solo dentro de uma área de 14 metros quadrados para que fossem feitas análises forenses e de DNA. Segundo o Daily Mail, nessa região foram encontrados pedaços de roupas, como uma tira de sutiã, e itens de plástico. Essas buscas na Barragem do Arada começaram depois de a polícia alemã ter analisado mais de oito mil fotos que mostravam o principal suspeito do caso na região.

“Alguns itens foram apreendidos como parte da investigação. Eles serão avaliados nos próximos dias e semanas. A conexão desses itens com o caso de Madeleine não pode ser determinada ainda”, declarou o promotor Hans Christian Wolters, coordenador da investigação na Alemanha.

Caso

Independent UK

Madeleine McCann desapareceu no dia três de maio de 2007, quando a família McCann estava de férias em Portugal pela primeira vez. Na noite do desaparecimento, os pais de Madeleine tinham ido jantar com amigos no hotel e deixaram a menina e os irmãos dormindo no quarto.

Segundo os pais da menina, a cada 20 ou 30 minutos, eles iam até o quarto checar se estava tudo bem. Por volta das 22 horas, Kate McCann foi até o quarto e quando chegou lá, sua filha não estava mais na cama e a janela do quarto estava semiaberta.

A mãe da menina voltou para o restaurante e contou que Madeleine não estava mais no quarto e estava desaparecida. Os pais procuraram por ela no apartamento e em todo o hotel, mas não tiveram nenhum resultado. Depois disso, chamaram a polícia.

A polícia considerou o caso como um sequestro, porém, não encontrou pistas e nem vestígios que apontassem nesse sentido, ou que levassem à possibilidade de descobrir o paradeiro de Madeleine.

Por isso, o desaparecimento da menina virou o mais famoso do mundo e ainda não foi resolvido.

Depois de 14 anos de investigações controversas e pela exoneração dos pais, Gerry e Kate McCann, a Justiça portuguesa encerrou o processo em 2008. Entretanto, depois de cinco anos ele foi reaberto por conta de “novos elementos”. E até junho de 2020 o caso não teve nenhum avanço.

Fonte: UOL, Aventuras na história

Imagens:  Irish Mirror, Metrópoles, Independent UK

Homem negro tem mãos e pés amarrados e é carregado por PMs em SP

Artigo anterior

Arnold Schwarzenegger acredita que o céu é uma ‘fantasia’: “Não nos veremos novamente”

Próximo artigo