Essa onda de remakes da Disney parece ser recente. Entretanto, vale lembrar que desde a década de 90 a Casa do Rato vem reimaginando suas clássicas animações. É comum O Rei Leão e Aladdin serem vistos como os principais exemplos de remakes da empresa atualmente. Entretanto, é necessário lembrar de Alice no País das Maravilhas, lançado 2010. O filme dirigido por Tim Burton foi responsável por reforçar que a representação live-action de sucessos animados era uma fórmula de sucesso entre o público. Se os 300 milhões de dólares arrecadados por 101 Dálmatas em 1996 chamaram a atenção da empresa, imagine o êxtase da mesma com a bilheteria bilionária de Alice. Pois bem, acontece que, apesar de todo o lucro, esses remakes contam com avaliações críticas fraquíssimas. Quer dizer, contavam, pois Mulan acabou de fazer história para a Disney.

Apenas fazendo uma breve retrospectiva, quando Mulan foi anunciado, os fãs mal podiam esperar para assistir a adaptação live-action. Todavia, a partir do momento em que começaram a ser liberadas informações a respeito das modificações no roteiro original, opiniões foram polarizadas. À primeira vista parecia inconcebível a ideia de um filme sem Mushu, Lee Shang e números musicais. Porém, as perspectivas mudaram após a divulgação do primeiro trailer da produção. Surpreendentemente, muitos não sabiam que a animação de 1998 fracassou quando foi lançada na China, país de origem da princesa. Isso ocorreu porque o longa conta com estereótipos chineses contados sob uma perspectiva estadunidense. Foi considerado um desrespeito.

Felizmente, o longa de Niki Caro prometia respeitar a lenda e a cultura da heroína chinesa. E, aparentemente, assim o fez.

Publicidade
continue a leitura

Mulan, um sucesso inesperado e necessário

Publicidade
continue a leitura

Apesar de ainda não ter sido liberado mundialmente, Mulan já está disponível para compra no Disney+. Infelizmente o serviço de streaming ainda não chegou ao Brasil. Sendo assim, ainda não pudemos conferir o longa por conta própria mas estamos ansiosos por isso, ainda mais considerando as críticas em torno da produção. Ainda no ano passado fizemos uma lista de coisas que queríamos ver nesse live-action. Pelo que vimos até agora, quase nenhum dos nossos desejos foi atendido. Contudo, isso não chega a ser um problema porque a Disney finalmente compensou com autenticidade.

Segundo Charlie Ridgely, do ComicBook.comapesar das bilheterias estratosféricas, os remakes anteriores da Casa do Rato eram apenas "frustrantes cópias de carbono de suas animações". Mulan, no entanto, contraria totalmente essa essência negativa. Como resultado disso, a Disney foi capaz de entregar um remake satisfatório do começo ao fim, "diferenciado-se de seu antecessor, ao mesmo tempo em que honra seu legado". Contudo, a maior conquista do estúdio com essa produção foi a percepção de que as futuras adaptações podem explorar mais originalidade e usar a liberdade criativa sem medo. Ademais, apesar de não apresentar os elementos caricatos e cômicos da versão original, Mulan não deixa de fazer referências apropriadamente sutis aos mesmos.

Publicidade
continue a leitura

De acordo com Jake Kleinman, do Inverse, "Mulan é um lindo filme que pode desapontar os fãs mais inflexíveis da Disney. Porém, mais importante, é o primeiro live-action da empresa que realmente faz algo interessante com o material original". Inclusive, as cenas de ação do longa foram amplamente elogiadas. Há quem diga que são as melhores de todos os filmes da Disney, incluindo aqueles do MCU.

Por fim, Mariana Tramontina, correspondente do Omelete nos Estados Unidos, pontuou que cada centavo dos 200 milhões de dólares investidos no filme, valeu a pena. E então, ansioso pra conferir?

Publicado em: 07/09/20 00h34