O que acontece se você começar a comer proteínas em excesso?

POR Ana Luiza Andrade    EM Ciência e Tecnologia      10/08/17 às 19h14

O ser humano para ter uma alimentação saudável precisa ingerir os nutrientes necessários para o corpo funcionar corretamente. Os nutrientes são encontrados nos alimentos e se dividem em carboidratos, proteínas, lipídeos, vitaminas e sais minerais. Cada um deles tem uma função específica para a manutenção e construção de defesa do organismo. Quanto mais saudável e diversificada a sua alimentação, menos doenças o indivíduo estará propenso a desenvolver.

A proteína é fundamental para manter o corpo funcionando. Ela está presente nas carnes e é a queridinha entre as pessoas que querem emagrecer e frequentam academias.

Ultimamente a dieta da proteína está cada vez mais popular entre as pessoas, mas será que ela é de fato saudável?

O argumento das pessoas que seguem essas dietas restritivas, aumentando o consumo de proteína e reduzindo drasticamente o de carboidratos é que essa dieta auxilia na perda de peso, no ganho de massa magra, além de melhorar o desempenho da musculação.

O problema é que o excesso de proteínas pode causar sérios riscos à saúde e os médicos alertam que a melhor dieta é o equilíbrio de todos os nutrientes, na alimentação.

Segundo o endocrinologista e professor-livre docente da Faculdade de Medicina das USP, Alfredo Halpern, a dieta de proteína pode sobrecarregar os rins, entupir as artérias e consequentemente prejudicar o bom funcionamento do coração.

Ele explicou em entrevista ao programa Bem Estar, publicado na página do G1 - Globo que inicialmente esse tipo de alimentação pode ajudar a pessoa a emagrecer, porque ela faz com que a pessoa perca muita água.

Com o passar do tempo, a falta do carboidrato e outros nutrientes essenciais provoca fraqueza, falta de energia e caso o indivíduo não consiga mais manter a dieta, todo o peso poderá voltar à balança.

Um estudo científico foi realizado por pesquisadores de Universidade americanas em conjunto com Universidades italianas, à respeito de duas das mais conhecidas dietas que se baseiam em altas ingestões de proteínas: a "Dr. Atkins" e a "Paleolítica".

O resultado da pesquisa indicou que pessoas entre 50 e 65 anos que são adeptas das dietas excessivamente proteicas tem 4 vezes mais chances de morrer de câncer, do que as pessoas que tem uma dieta balanceada.

Além disso, o estudo revelou também que quem exagera no consumo de proteína em detrimento dos carboidratos tem até 3 vezes mais chances de desenvolver diabetes.

Outra pesquisa publicada pelo jornal americano The New York Times e reproduzida pelo portal IG também mostrou resultados preocupantes de quem se excede no consumo proteico.

O estudo foi publicado no periódico "Anais de Medicina Interna" e avaliou mais de 85 mil mulheres entre 34 e 59 anos que integravam o grupo "Saúde das Enfermeiras". Além de 45 mil homem entre 40 e 75 anos que formavam parte do grupo "Acompanhamento dos Profissionais de Saúde".

A quada quatro anos eles responderam à questionários sobre seus hábitos alimentares.

O resultado do teste mostrou que as pessoas que aderiram rigorosamente ao regime das proteínas tinham a taxa de mortalidade maior em 12%, em relação às pessoas que tinham dietas que incluíam os carboidratos.

Um ponto interessante é que aqueles que obtinham a proteína de fontes vegetais, como nozes e feijão, apresentava um risco de 20% a menos do que as pessoas que comiam muito carboidrato.

Por outro lado, aqueles que retiravam suas fontes proteicas de origens animais, como carnes vermelhas e processadas, tinham até 14% de chances a mais de morrer de doenças cardiovasculares, e 28% de desenvolver câncer.

Quem pratica esportes ou musculação intensa, realmente precisa ingerir mais proteínas do que quem não realizam atividades físicas. Isso porque a proteína auxilia o organismo a reparar o tecido muscular e isso acaba ajudando o corpo no ganho de massa magra.

Entretanto, também para essas pessoas o mais indicado é aliar o exercício com uma dieta equilibrada segundo um especialista nutricional, e o devido acompanhamento médico.

A médica Ana Escobar explica que a quantidade exagerada de alimentos proteicos pode ser inútil. Porque o organismo não conseguirá aproveitar tanta proteína e ela acabará sendo eliminada através da urina. O que explica a desidratação e o sobrecarregamento dos rins.

O nefrologista Décio Mion recomenda que todos devem consumir 1 grama de proteína por cada quilo que pesar. Por exemplo, se você pesa 80 quilos o consumo ideal de proteína é de 80 gramas por dia.

Lembrando que somente um médico ou especialista em nutrição pode avaliar as reais necessidades do seu organismo em relação à alimentação. Que deve ser analisada de acordo com seu biotipo, estilo de vida, entre outros fatores.

Se você achou interessante a matéria, aproveite para deixar o seu comentário logo abaixo. Também marque seus amigos que precisam ler mais sobre o assunto e não conhecem os riscos de uma alimentação restritiva e perigosa como essa.

Ana Luiza Andrade
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+