Entretenimento

Pai ajuda no parto da filha às vésperas do próprio aniversário

0

Em São Pedro da Aldeia, na Região dos Lagos do Rio de Janeiro, Eduardo Souza ganhou de presente de aniversário o nascimento da primeira filha. Pai de primeira viagem, ele ajudou a esposa na hora do parto. Maria Eduarda nasceu no dia 14 de setembro, dois dias antes do aniversário do pai.

“Eu estava grávida de 39 semanas, com uma gravidez super normal e tudo correndo bem. Mas no dia 14 de setembro de 2022, meia-noite, eu comecei a sentir leves cólicas, mas fiquei aguardando porque achei que pudesse ser cólica intestinal. Às 3h da manhã, falei da dor ao meu marido, ele massageou meus pés por um tempo e logo após fui ao banheiro, foi quando o tampão mucoso escorreu pelas minhas pernas”, contou ao G1 a mãe de Maria Eduarda, Nicole Trindade.

Nicole disse que notou que a bolsa tinha estourado e seguiu com o planejado. Ela ligou para o médico dela. No entanto, ele estava em outro estado e a direcionou para a maternidade escolhida para o parto, o Hospital Maternidade de São Pedro da Aldeia.

De acordo com a mãe, após chegar ao hospital, a médica de plantão a examinou e disse que a bolsa estava intacta. A equipe médica também fez um exame de cardiotocografia para avaliar a saúde da filha do casal e constatou que estava tudo bem.

“Voltamos para nossa casa, porém sentia dor, enjoos, náuseas e vômitos também. A única coisa que me relaxava era chuveiro com água quente na região da lombar, compressa morna, caminhar pela casa e massagem”, disse Nicole.

Volta para maternidade

Nicole contou que o marido, Eduardo, ficou preocupado ao notar que ela sentia muita dor e voltou com ela para a maternidade após a troca de turno para outro profissional avaliar.

“A médica então me fez outro toque e disse que a dilatação era de 2 centímetros, que estava tudo bem e que não poderia internar já que não era um trabalho de parto ainda. O Eduardo ficou um tempo conversando com a enfermeira pedindo informações para saber como identificar o início de trabalho de parto ou qual primeiro passo após a bolsa romper, já que não tínhamos ideia do que estava por vir. Ele muito preocupado, pediu auxílio para a mãe, que veio para nossa casa ajudá-lo nos cuidados”, disse.

De acordo com Nicole, ao chegar em casa, ela voltou para debaixo da água morna do chuveiro, já que era o lugar que amenizava as dores antes do parto da filha.

“Em outros momentos, eu gritava muito alto sem entender o que estava acontecendo, enquanto o Eduardo me fazia massagem, caminhava comigo pela casa, fazia compressa de água morna e ajudava a controlar minha respiração”, conta, relembrando que sentiu as dores por pelo menos mais de três horas consecutivas.

Parto da filha

Foto: Arquivo Pessoal/ G1

Nicole conta que às 11h55 sentiu uma dor forte e que gritou o marido dizendo que a bolsa estourou. O futuro pai foi confirmar se a bolsa havia estourado e acabou notando uma pequena parte da cabeça da criança.

“Ele sem acreditar, tocou no couro cabeludo para tentar entender o que estava acontecendo e confirmou que era nossa filha. Não estávamos acreditando mesmo, quem pensou em passar por isso na vida?”, disse.

A gestante e a sogra cogitaram ir até a maternidade, mas Eduardo acreditava que não daria tempo.

“Ele pediu para eu gritar o mais alto possível. Eu gritava e nada acontecia… Forcei um pouco mais e o Eduardo viu a cabecinha da nossa filha toda pra fora, mas o cordão umbilical estava em volta do pescoço. Nesse momento, ele mandou gritar ainda mais alto e pediu a minha sogra para bater nas portas do vizinhos para pedir ambulância enquanto rolava o procedimento. E eu gritei ainda mais forte e então a nossa filha estava nas mãos dele”.

De acordo com Nicole, o marido, chorando, tirou o cordão do pescoço da filha e passou o dedo na boquinha para tirar a secreção. “Ele ficou falando: ‘Fala comigo filha, é o papai!’. Até que ela abriu os olhos e chorou bem leve. Foi o suficiente para chorarmos aliviados.”

Finalizando o procedimento

Foto: Instagram/ @_nicoletrindade

A família não conseguiu acionar uma ambulância. Preocupado com a saúde da esposa e da filha, Eduardo enrolou a filha em uma toalha e colocou em cima de Nicole.

“Estávamos sem acreditar no que estava acontecendo. Eu estava com o cordão umbilical conectado à Maria Eduarda e ainda tinha a questão da placenta, não sabíamos se ela foi expelida por completo no processo. Ainda assustados e vendo a quantidade de sangue que deixei pelo caminho, entramos no nosso carro e fomos até a maternidade para finalizar o procedimento”, conta Nicole.

Na maternidade, o procedimento foi finalizado e os pais foram informados de que a filha estava saudável e segura.

“Até agora estamos desnorteados com história e nos fazemos diversas perguntas como: ‘E se Eduardo não tivesse a calma?’, ‘Como ele realizou um parto sem saber nada do assunto?’, ‘Como eu suportei tanta dor, sem entender o que estava acontecendo com meu corpo?'”, disse Nicole.

Bolo de aniversário após nascimento da filha

Foto: Arquivo Pessoal/ G1

Em casa e com a filha nos braços, Nicole afirma que o parto aconteceu da forma que deveria ser.

“No final entendemos que Deus quis assim. Dois dias antes dessa história acontecer, fizemos um vídeo em que Eduardo pedia para nossa filha chegar logo já que ele queria a presença dela no dia do aniversário dele, que foi 2 dias após o parto. Deus não só realizou esse desejo, como deu o privilégio do Eduardo tê-la em mãos na sua chegada ao mundo.”

Maria Eduarda nasceu no dia 14 de setembro. A família passou o dia 15 no hospital e no dia 16, aniversário de Eduardo, eles já estavam em casa para comemorar o aniversário do pai.

O bolo de aniversário de Eduardo estava com a frase: “O melhor parteiro desde 14.09.2022”.

Fonte: G1

SEMA apura chá revelação que ‘tingiu’ cachoeira em Tangará da Serra

Artigo anterior

Sonda da Nasa atinge asteroide em teste pioneiro de desvio de trajetória

Próximo artigo