Curiosidades

Por que essas 5 coisas acontecem durante o pouso e a decolagem de aviões?

0

Para muitas pessoas, viajar de avião é um sonho. E aqueles que já viajaram sabem o quão prática e confortável é essa experiência. Mas ao mesmo tempo, muitas pessoas têm medo desse tipo de viagem. Até porque, mesmo sendo um dos meios de transporte mais seguros do mundo, algumas coisas podem deixar a viagem um pouco tensa, como por exemplo, o momento do pouso ou da decolagem dos aviões.

Muitas coisas acontecem nesses momentos que deixam os passageiros apreensivos, até mesmo porque eles não sabem o motivo de determinada coisa estar acontecendo. Por isso que saber mais sobre fará com que a pessoa se sinta mais segura dentro da aeronave.

Tanto os pousos como as decolagens dos aviões são feitos contra o vento. Isso acontece porque correndo contra o vento a sustentação das aeronaves é aumentada e isso faz com que as operações sejam mais seguras. Saiba mais cinco situações que acontecem nesses momentos.

Pouso e decolagem de aviões

Olhar digital

1- Por que o piloto avisa quando chega a 10 mil pés após a decolagem ou antes do pouso?

Esse aviso é feito para que a tripulação saiba que pode entrar em contato com os pilotos. Isso porque quando os aviões chegam a 10 mil pés, a cabine de comando é estéril. E antes desse momento, ela é chamada de cockpit estéril, o que quer dizer que não pode ter nenhuma contaminação para que os pilotos tenham uma concentração maior.

Outro ponto de aviso dos pés é para que o uso dos aparelhos eletrônicos seja liberado.

Quando o aviso é feito no momento da descida, ele serve para que a comunicação com os pilotos seja interrompida por segurança. Normalmente, o aviso é feito através do sistema de som com a mensagem “Tripulação, dez mil pés”, ou algo parecido.

Com relação à altitude de um voo comercial, ela varia entre cerca de 9.000 a 12.000 metros, ou 30.000 a 40.000 pés. Isso é ideal para que os aviões tenham eficácia e desempenho, e dá um ambiente mais favorável para a aerodinâmica e diminuindo a resistência do ar.

2- Por que tem que abrir a janela (persiana) do avião na decolagem?

Normalmente, os comissários pedem para que as persianas fiquem abertas tanto na decolagem como no pouso para que eles avaliem quaisquer perigos externos. Para isso, a tripulação precisa ver partes estratégicas da aeronave para que possam avaliar uma emergência.

3- Por que o encosto das poltronas deve estar na vertical durante o pouso e a decolagem?

Isso é pedido para que possa ser feita uma evacuação rápida no caso de alguma emergência. Até porque, a maior parte dos acidentes com aviões acontecem no momento do pouso ou da decolagem, e o tempo que a tripulação tem para dar instruções é bem pequeno.

No caso de acidente, as poltronas são a maior proteção dos passageiros. Então, se a cadeira estiver inclinada, a pessoa pode ser arremessada para trás e pode acabar atingindo o passageiro atrás dela.

Outro motivo para isso é a segurança. Isso porque em uma desaceleração brusca o corpo é jogado para frente e pode causar ferimentos se ele colidir com a mesa. E a mesa pode acabar sendo um obstáculo grande no caso de uma evacuação de emergência. Por conta disso que elas têm que estar fechadas e travadas no momento do pouso e da decolagem.

4- Por que celulares devem ser colocados em modo avião ou desligados durante o pouso e a decolagem?

Isso é algo pedido há tempos nas viagens de aviões e muitas pessoas não sabem o motivo. É porque as conexões de ondas eletromagnéticas que os aparelhos usam podem afetar os equipamentos de algumas aeronaves.

Outro ponto é que as tentativas de conexão do celular com as torres de transmissão durante o voo podem gerar interferências nos aparelhos de navegações dos aviões.

Essas regulamentação são variáveis, dependendo da companhia aérea e dos países, sendo que algumas permitem que os aparelhos sejam usados durante o voo, enquanto outras fazem uma restrição somente para a decolagem e pouso.

5- Por que crianças e idosos não podem sentar na saída de emergência?

Segundo o RBAC 135 da ANAC, para ocupar os assentos de saída de emergência, é necessário ter entre 15 a 60 anos, não estar grávida, não estar com criança de colo e não ter nenhuma incapacidade física, visual, auditiva ou mental.

Outro requisito é que os passageiros devem ter mobilidade e força suficiente para manusear a porta, serem fluentes em inglês ou no idioma do país da companhia, conseguir se comunicar oralmente com os outros passageiros e com a tripulação e não estar acompanhado de uma pessoa com necessidades especiais ou dificuldade de locomoção.

Fonte: Olhar digital

Imagens: Olhar digital

IA pode ser a responsável por ainda não termos encontrado civilizações alienígenas

Artigo anterior

Como destruir informações pessoais em encomendas, sejam envelopes ou embalagens

Próximo artigo