Curiosidades

Princesas da Disney são desenhadas com corpos reais

0

Basta olhar para uma princesa da Disney para perceber que as proporções do desenho são totalmente erradas quando comparadas com as proporções do corpo humano real. Para aqueles que acreditam que isso se explica pela caracterização de um desenho infantil, vale destacar que, no caso dos personagens masculinos, o mesmo não ocorre.

Nas situações de personagens muito fortes da Disney, como o caso de Gaston ou Hércules, seus músculos refletem suas personalidades e características essenciais. No primeiro caso, de A Bela e Fera, Gaston é o bonitão valente da cidadezinha. Já no segundo, o semideus é, bem, um semideus extremamente forte. O mesmo não vale para explicar a cintura impossível da Cinderela.

Então, frente a essa situação, é comum que crianças naturalizem os corpos das princesas da Disney, chegando a se comparar com as personagens. Como resultado, a comparação entre a expectativa e a realidade, em um público tão jovem, pode ser prejudicial para a saúde mental e a autoestima, refletindo até a idade adulta.

Portanto, a ilustradora estadunidense Wethe Smallish decidiu repaginar as princesas da Disney, com corpos que se parecem mais com os de pessoas reais. Seu objetivo é recriar as princesas de uma maneira mais real e o exercício é terapêutico não só para aqueles que veem as novas imagens, como para a própria artista.

Corpos reais

princesa da disney cinderela corpo humano real

Reprodução/TikTok

“Tenho meus próprios problemas de imagem corporal, em que já estou trabalhando, e uma das principais maneiras que faço isso é por meio da minha arte”, explicou, em entrevista ao site Bored Panda. Assim sendo, o projeto pessoal de Wethe acabou ajudando para além de suas próprias inseguranças, visto que seu perfil no TikToko já acumula milhares de visualizações.

“Sempre admirei as princesas e amava as histórias. Mas percebi que todas elas tinham as mesmas proporções corporais e passou a ser difícil ter que lidar com essa comparação enquanto eu crescia”, completou a artista, que já alcançou mais de 6 milhões de pessoas na plataforma.

Representatividade

a pequena sereia Halle Bailey

Reprodução/Adoro Cinema

Além da necessidade de corpos com formatos mais reais, muito se fala sobre a falta de representatividade em princesas da Disney, considerando que a maioria é branca. Com isso, o burburinho em relação à nova produção da empresa, A pequena Sereia, está ligado à insatisfação das pessoas que gostariam de ver uma Ariel branca, uma vez que, nessa adaptação, a princesa será negra.

O primeiro teaser do tão aguardado filme de “A pequena Sereia” finalmente foi lançado durante a convenção D23, da Disney. No entanto, logo após a divulgação das imagens nas redes sociais, o vídeo ganhou dislikes no YouTube.

“A pequena Sereia”, que tem como protagonista a cantora Halle Bailey como Ariel, estreia no dia 26 de maio de 2023. Assim sendo, desde o anúncio da princesa sendo interpretada por uma atriz negra, a produção vem ganhando críticas nas plataformas digitais.

Dislikes

Por conta disso, o YouTube removeu a contagem pública de dislikes em vídeos desde novembro de 2021. Mas, por meio de um extensor no navegador, é possível visualizar o número de contas que desaprovaram o vídeo. Dessa forma, na primeira semana, o teaser em inglês na página da Disney contava com mais de 9 milhões de visualizações, 332 mil likes e 1,2 milhão de dislikes.

No entanto, na versão dublada em português, o vídeo teve mais curtidas. O teaser na página brasileira do estúdio tinha 517 mil visualizações, 76 mil likes e 65 mil dislikes. Nas redes sociais, é possível encontrar vídeos de garotinhas entusiasmadas quando percebem que a Ariel possui a pele parecida com a delas. “Mamãe!”, uma garotinha diz em um vídeo postado pelo usuário do TikTok nickyknackpaddywack. “Ela é marrom como eu!”

Seu vídeo está entre os diversos compartilhados no TikTok e no Twitter, com os pais usando hashtags como #representationmatters para ajudar a demonstrar a importância do elenco diversificado na mídia infantil. Em um dos vídeos de reação, postado pela usuária do TikTok, Precious Avery, uma criança chamada Emery descansa no sofá, mas se senta quando Bailey aparece na tela.

“Eu acho que ela é marrom!”, diz Emery radiante no vídeo. “Ariel marrom é fofa”. Sendo assim, o debate sobre as amadas princesas da Disney e sobre como elas afetam crianças ao redor do mundo continua, e deve continuar por um bom tempo.

Fonte: Hypeness

”É como ter meu corpo incendiado”, diz adolescente alérgica à água

Artigo anterior

Escola defende professora criticada pelos pais devido a suas próteses gigantes

Próximo artigo