Curiosidades

Quando o ser humano usou fogo para cozinhar pela primeira vez?

0

O fogo é essencial para a humanidade e isso ninguém pode negar. Há quem afirme que as chamas lideram a lista de maiores conquistas humanas desde a pré-história. Foi a partir daí que os homens começaram a extrair a energia da natureza, além de moldá-la de acordo com as necessidades.

No começo o fogo era visto como algo protetor, uma vez que afastava os animais selvagens e aquecia nos dias frios. No entanto, com o passar do tempo, começou a ser utilizado na caça, em tochas com a intenção de assustar a presa e capturá-la rapidamente. Na antiguidade o fogo era tido como matéria. Na Idade Média, os alquimistas passaram a acreditar que ele era capaz de alterar as propriedades químicas das substâncias.

Daí, podemos ver a importância dele. E quanto ao fogo para cozinhar, quando começou a ser usado? Hoje uma das principais funções dele é preparar alimentos e foi assim por muitos anos. Um novo estudo apontou algumas coisas interessantes que vão além do que acreditávamos.

Os humanos usam fogo para cozinhar há mais tempo do que acreditamos

Cientistas de importantes universidades de Israel descobriram, recentemente, algo incrível. Segundo eles, os humanos usam fogo para cozinhar há mais tempo do que imaginávamos. A equipe pôde identificar restos de antigas carpas gigantes cozidas por hominídeos (ancestrais extintos da raça humana).

Essa descoberta foi registrada em um estudo publicado no último dia 14 de novembro na revista Nature Ecology and Evolution. De acordo com os estudiosos envolvidos, os humanos da pré-história usavam o fogo para cozinhar muito antes do que eles pensavam. Para ser mais exato, cerca de 600 mil anos antes do que antes havia sido registrado.

Até esse estudo, as primeiras evidências de cozimento de alimento com fogo datavam de aproximadamente 170 mil anos atrás. A equipe envolvida chegou a essa conclusão depois de analisar os dentes de peixes encontrados no sítio arqueológico de Gesher Benot Ia’a’ov, em Israel.

Os cientistas usaram então os métodos geoquímicos para identificar as mudanças no tamanho dos cristais do esmalte dentário dos achados. Essas indicavam exposição a temperaturas diferentes. “O fato de que o cozimento do peixe é evidente durante um período tão longo e ininterrupto de assentamento no local indica uma tradição contínua de cozinhar alimentos”. Essa foi uma afirmação feita por Naama Goren-Inbar, paleontropóloga envolvida nos estudos.

De acordo com esses resultados, podemos afirmar que os humanos antigos que caçavam tinham um conhecimento mais amplo sobre o fogo e como ele melhorava os alimentos. “Ganhar a habilidade necessária para cozinhar alimentos com o fogo marca um avanço significativo, pois forneceu um meio adicional para otimizar o uso de recursos alimentares disponíveis”, disse Naama. “É até possível que a culinária não se limitasse ao peixe, mas também incluísse vários tipos de animais e plantas”, completou a estudiosa.

A história do fogo

Primeiramente, o fogo foi a primeira fonte de energia descoberta que o humano pôde controlar. No entanto, quando descobriram, podiam apenas transportá-lo. Segundo alguns estudiosos, o fogo surgiu a partir do atrito entre dois pedaços de madeira. Porém, esse só fora descrito tempos depois.

O homem na pré-história notou que faíscas saíam quando o vento entrava em contato com dois galhos se esfregando. Estudos antigos apontam ainda que os povos primitivos começaram a produzir e a usar fogo ainda no período neolítico. Isso data 7 mil anos antes de Cristo.

No entanto, era difícil conseguir o feito. Eles precisavam então usar tipos diferentes de pedras. Foi assim até que conseguiram encontrar as melhores para produzir as chamas.

A produção do fogo exigia um trabalho árduo. Felizmente hoje em dia temos o fogo de forma fácil na palma das mãos.

Fontes: Revista Oeste; Dimensão Incêndio.

Imagens:

O incrível novo mapa interativo do universo

Artigo anterior

Copa do Mundo no Catar terá árbitras pela primeira vez

Próximo artigo