Curiosidades

Trend no TikTok para deixar vagina com ‘cheiro bom’ pode ser prejudicial

0

O TikTok é um lugar onde se pode encontrar de tudo. Cada hora é uma trend nova para seguir. A trend do momento é um produto que funciona como “mágica” e promete “reequilibrar” o pH vaginal depois da relação sexual e também promete acabar com o “cheiro ruim” da vagina. É isso que os supositórios de ácido bórico prometem e por isso viraram tendência no TikTok.

Para se ter uma ideia do tamanho da trend, o termo “Boric acid suppositories”, supositórios de ácido bórico, em português, já teve mais de 100 milhões de visualizações na rede social.  Entretanto, a ginecologista Lilian Fiorelli, especialista em Sexualidade Feminina e Uroginecologia pela Universidade de São Paulo (USP), alerta sobre os riscos dessa tendência.

Dentro da vagina existe um mundo de bactérias que fazem parte da proteção. Além disso, o órgão feminino tem uma função “autolimpante”, o que significa que as mulheres não precisam lavar a parte de dentro. A limpeza deve ser feita na vulva.

Odor da vagina

Ilta Sanomat

Outro ponto a se lembrar é que a vagina também tem cheiro. Até porque, como o pH vaginal é ácido, o odor é uma coisa normal. A preocupação deve vir se o cheiro da vagina for forte, como por exemplo, um odor de peixe podre, já que isso pode indicar uma infecção.

E o ácido bórico da trend? Ele é usado em tratamentos de infecções vaginais, principalmente na candidíase de repetição e vaginose de repetição. “Ele tem uma propriedade antifúngica, antibacteriana. Quando usado, é como se ele ‘zerasse’ a flora vaginal”, explicou Fiorelli.

Entretanto, de acordo com a ginecologista, o ácido bórico não é o tratamento número um escolhido para tratar dessas infecções. “O ácido bórico pode ser um dos tratamentos, mas não é o principal. Ele zera a flora vaginal. Outros tratamentos agem diretamente na causa da infecção, eles tratam a infecção e mantêm a flora vaginal saudável como sempre foi. Em alguns casos, principalmente nos mais recorrentes, de repetição, o ácido bórico vem como aliado no tratamento”, disse ela.

A ginecologista alerta que o uso sem prescrição médica desse tipo de medicamento pode ser até prejudicial. “Como ele zera a flora vaginal, ele vai matar as bactérias que causam o odor, mas também vai matar as bactérias boas que fazem parte da proteção. Isso aumenta a chance de a mulher persistir com a infecção. Ela vai tirar a proteção, fazendo com que novas infecções sejam instaladas. isso vira um processo sem fim”, ressaltou.

Não é tratamento

G1

Se a busca pelo ácido bórico está sendo feita como um “produto cosmético” para tratar o odor vaginal ou para mudar o “sabor” da vagina, essa busca está errada.

“É preciso tomar muito cuidado com o que vemos na internet. O ácido bórico não é usado como tratamento cosmético e nem para o odor vaginal. Ele é usado como tratamento de infecções. Por isso, é preciso procurar um especialista e não usar qualquer coisa que aparece na internet”, alertou a ginecologista.

“Se ela tem um odor ruim ao ponto de precisar usar o ácido bórico para melhorar, ela pode estar com infecção e precisa tratar adequadamente. E talvez esse tratamento não seja o ácido, talvez tenha outro mais específico para a infecção que ela está”, continuou.

A respeito do sabor, Lilian pontuou que a vagina tem um pH normal de 4,2 e geralmente é ácida. O ácido bórico tem um pH entre 5 e 6, o que é um pouco mais básico, por conta disso ele não é indicado para o uso recorrente.

“Isso muda o pH e traz mais problemas. Do ponto de vista do sabor, é difícil falar. Ele pode deixar a vagina menos ácida, mas não deixa mais doce, com gosto diferente. A vagina tem o odor característico, mas não é desagradável. É cheiro de vagina. Se eventualmente a mulher sente algum cheiro diferente, pode ser bactéria. Nós sabemos qual é o cheiro habitual, que não incomoda. Se ficar muito forte, pode ser alguma coisa e a mulher deve investigar”, concluiu ela.

Fonte: G1

Imagens: Ilta Sanomat, G1

Saiba como é viver em locais com temperaturas acima de 50ºC

Artigo anterior

iPhone 14: inovações que a Apple trouxe na nova linha

Próximo artigo