Tubarão do tamanho de uma camionete aparece em praia dos EUA
Tempo de leitura:2 Minutos, 38 Segundos

Tubarão do tamanho de uma camionete aparece em praia dos EUA

No início da semana passada, pescadores em Bremen, uma pequena cidade no Condado de Lincoln, em Maine, nos Estados Unidos, descobriram um tubarão morto na costa local. O animal, de acordo com a imprensa internacional, tinha o tamanho de uma tamanho de uma caminhonete.

Conforme informou os funcionários do Departamento de Recursos Marinhos de Maine, o gigante espécime, que possui cerca de 8 metros de comprimento, é um tubarão-frade macho (Cetorhinus maximus, que, em uma tradução aproximada, significa monstro marinho de nariz gigante).

Até hoje, a causa da morte permanece desconhecida.

O tubarão

Os tubarões-frade, de acordo com o Museu da Flórida, podem atingir até 12 metros de comprimento, perdendo apenas para o tubarão-baleia, que pode atingir mais de 18 metros. A espécie, por ser migratória, é encontrada em partes do oceano em que as águas são mais quentes, como, por exemplo, na Nova Inglaterra.

Apesar de sua aparência imponente, os tubarões-frade são, em sua maioria, inofensivos. Além disso, até então, acreditava-se que a espécie (também conhecida como tubarão-elefante ou tubarão-peregrino) era um nadador lento, principalmente por constantemente ser visto nadando com a boca aberta, em busca de alimento.

A suposição caiu por terra recentemente, quando um grupo de pesquisadores da Irlanda e da Escócia descobriu que estes tubarões são, sim, capazes não só de nadar tão rápido como também são capazes de saltar sobre as águas do oceano.

De acordo com uma publicação feita pelo jornal da Universidade Trinity, de Dublin, os tubarões-frade adotaram os saltos como um mecanismo de defesa para fugir de predadores, como, por exemplo, o tubarão branco.

Conforme indicam os registros dos pesquisadores, a espécie consegue nadar a uma velocidade superior a 18 quilômetros por hora, ou seja, o dobro da velocidade atingida por um nadador olímpico em uma prova rápida, como 50m rasos.

Basicamente, os os tubarões-frade alimentam-se de plânctons e, por isso, não oferecem qualquer perigo a seres humanos.

Comportamento

Atualmente, segundos uma reportagem publicada pela National Geographic, as lentas deslocações da espécie em dias em que há uma grande exposição de sol junto à superfície se devem ao fato de sua alimentação. Além de plânctons, o tubarão-frade, assim como outros grandes peixes cartilagíneos, por ser filtrador, alimenta-se também de crustáceos, larvas, pequenos peixes e ovos de peixes.

O ciclo biológico do animal começa com o início da primavera, nas águas temperadas frias. Daí, a espécie passa a migrar para águas mais quentes, pois o aumento progressivo da temperatura desperta na espécie uma produção de organismos microscópicos que compõem o fitoplâncton, multiplicando-se drasticamente para originar uma gama de explosões de vida.

Quando seguem as manchas de maior densidade de plâncton, acabam filtrando cerca de cinco mil toneladas de água por hora. Mesmo que sua estrutura seja comparada ao tamanho de uma caminhonete, a espécie passa despercebida em seu processo migratório. Ou seja, é, como dizem muitos pesquisadores, um gigante tímido e desconhecido.

Até hoje, sabe-se pouco sobre a distribuição e comportamento da espécie. As informações que foram obtidas até hoje é resultado de encontros, que, na maioria das vezes, são ocasionais.