Curiosidades

Uma maneira simples de ganhar 10 anos na sua expectativa de vida

0

Você já pensou em viver mais? E se soubesse que existe uma forma simples de aumentar sua expectativa de vida em 10 anos?

Muitas pessoas dão dicas genéricas para chegar à terceira idade com saúde, como praticar exercícios físicos e ter um estilo de vida mais saudável. No entanto, agora estudos comprovam, com mais certeza, que existem certos alimentos que podem te fazer viver mais.

Uma nova análise do Global Burden of Disease mostra que determinada dieta pode prolongar a vida útil de seis a sete anos em adultos de meia-idade, e chegar a dez anos em jovens adultos.

Os pesquisadores reuniram dados de diversos estudos diferentes, propostos ao longo dos anos em diversos países. Combinando essas informações, os autores foram capazes de determinar que leguminosas (feijão, ervilha e lentilha), grãos integrais (aveia, cevada e arroz integral) e nozes, e menos carne vermelha e processada formam a dieta da longevidade.

Via Freepik

Essas informações foram descobertas com base nos hábitos alimentares do ocidente, conhecido por seus hábitos de consumir alimentos processados, carne vermelha e alto teor de gordura, além de alimentos ricos em açúcar.

Os pesquisadores determinaram que focar nessa base alimentar permite que homens e mulheres dos Estados Unidos, China e Europa possam viver mais em até dez anos. Claro, com base nos perfis típicos de alimentação.

Adultos e idosos podem viver mais

O estudo indica que não são apenas os adultos que podem viver mais com uma dieta especial. Idosos acima de 60 anos podem aumentar sua expectativa de vida em até oito anos. Pessoas de 80 anos conseguem surpreendentes três anos e meio.

Por outro lado, é importante deixar claro que nem todas as pessoas conseguem mudar completamente a sua dieta para seguir as indicações dos especialistas, principalmente adultos do oriente, que não estão acostumados com a dieta ocidental.

Mesmo assim, inserir alguns elementos diariamente, como leguminosas ou grãos integrais, também ajuda jovens a viver mais, aumentando a expectativa total em sete anos.

Pesquisa com metanálise

Enquanto isso, também é fundamental pontuar que se trata de uma pesquisa de metanálises. Isso significa que o estudo se baseou em dados de vários estudos diferentes, combinando cientificamente os seus resultados.

A maioria das pesquisas realiza avaliações objetivas com voluntários, acompanhando suas informações sobre dieta e mortalidade. No entanto, para encontrar resultados mais completos, o estudo sobre alimentos e expectativa de vida se baseou em um quadro mais amplo.

Isso faz com que existam algumas suposições sobre a efetividade dessa teoria, uma vez que ela não pôde ser aplicada em um grupo de estudos objetivos.

Outro ponto importante é que o estudo não levou em consideração alguns fatores. Por exemplo, a dieta deve vir acompanhada com uma mudança de longo prazo, dentro de cinco a dez anos. Ou seja, para viver mais na terceira idade, não é possível começar alguns meses antes, e sim seguir por muito tempo.

A pesquisa desconsidera os critérios individuais de cada pessoa, como doenças anteriores, que afetam a expectativa de vida, e se ela já possui hábitos saudáveis, como exercício físico.

Efeitos em cada um

Na prática, os efeitos podem ser diferentes para as pessoas, dependendo dos fatores genéticos e estilo de vida que as acompanham.

Embora a pesquisa tenha uma base fundamentada de dados para definir a dieta que permite viver mais, os benefícios da dieta apontada pela pesquisa refletem em uma média.

Por outro lado, não é preciso uma pesquisa especial para saber que é possível viver mais comendo melhor e tendo hábitos mais ativos. No entanto, agora as pessoas já podem saber por onde começar, e mudar um pouco por dia, um legume por vez.

 

Fonte: Hypescience

Imagens: Freepik

Morre mais um jornalista durante cobertura da Copa do Mundo no Qatar

Artigo anterior

Inteligência artificial mostra Steve Jobs mais velho; veja imagem

Próximo artigo