Nesta sexta-feira (28/08), o mundo se emocionou após a trágica notícia de que o ator norte-americano, Chadwick Boseman, de 43 anos, teria nos deixado após travar uma batalha de quatro anos contra um câncer no cólon. No entanto, ainda que este seja um momento delicado, bem como em Pantera Negra, "a morte não é o fim". Por isso, separamos 7 fatos para celebrarmos a vida e o legado de Chadwick Boseman.

Conhecido por ter interpretado o rei de Wakanda no MCU, Chadwick fez muito mais do que "apenas" um filme de herói. Para além disso, em sua carreira, sempre lutou por representatividade, interpretando grandes personagens negros e também, se torno um símbolo cultural. De fato, ele foi um verdadeiro herói para todos nós.

1 - Sua importância para os esportes

Enquanto ator, Chadwick interpretou Jackie Robinson. o primeiro jogador negro da história da liga americana de beisebol, o filme "42 - A História de uma Lenda", lançado em 2013. Mas, em Pantera Negra, ao se tornar um herói, tudo mudou. Isso porque, sua imagem se tornou um símbolo de inspiração.

E claro, isso também se refletiu em outros esportes. Na fórmula 1, Lewis Hamilton transformou o carro Silver Arrow, da Mercedes, em Black Panther.

Publicidade
continue a leitura

O basquete, por exemplo, é um esporte bastante forte dentro da cultura negra e Chadwick, no manto de Pantera Negra, trouxe uma imagem de esperança para muitos jogares que lutavam e ainda lutam contra o racismo e outras dificuldades dentro do esporte.

2 - Ele ainda tem produções que não foram lançadas

Em seu mais recente trabalho, Chadwick interpretou Stormin em Destacamento Blood, disponível na Netflix. Contudo, este não será seu último trabalho. Isso porque, ele já gravou o filme "Ma Rainey's Black Bottom" ("O fundo do poço de Ma Rainey", em tradução livre). O filme se passava em Chicago dos anos 1920 e conta a história de quatro membros de uma banda que buscam o estrelato. Para isso, eles aguardam a cantora de blues Ma Rainey, interpretada por Viola Davis, para gravar novas músicas. Sendo produzido por Denzel Washington e baseado na peça escrita por August Wilson, em 1982, o filme possui previsão de estreia para este ano. Na adaptação para os cinemas, Ruben Santiago-Hudson assinou o roteiro e George C. Wolfe, a direção do longa-metragem. Assim, no filme, Chadwick vive Levee, o jovem trompetista que lidera, mas que também precisa lidar com uma série de outros problemas pessoais.

3 - Não é o fim para o rei de Wakanda

Pelo que sabemos, as gravações de Pantera Negra 2 ainda não haviam se iniciado. Entretanto, para muitos fãs, outro não deve ser escalado para o papel de Chadwick. Dessa forma, é provável que não veremos outro T'Challa no MCU. Contudo, Chadwick ainda possui algumas cenas não gravadas como Pantera Negra. Essas são cenas que fazem parte da série "What If" ("E Se", em tradução livre). Na série, acompanhamos "e se" os heróis fossem diferentes da forma que conhecemos. Assim, ainda que não tenhamos outro T'Challa, é possível que vejamos outra pessoa sob o manto de Pantera Negra, o que daria continuidade no legado do personagem.

4 - Das telas do cinema para as paradas musicais

Publicidade
continue a leitura

Com o fenômeno cultural de Pantera Negra, muitos artistas lançaram músicas inspiradas no personagem. Entre eles, podemos citar "Black Panther: The Album - Music From And Inspired By", lançado por Kendrick Lamar e a música "Pantera Negra", do rapper Emicida.

Dessa forma, também lembramos de músicas de Baco Exu do Blues, Negra Li, Rael, Daniela Mercury e Djonga. De fato, a revolução criada pelo personagem pôde ser refletida em todas as mídias.

5 - Ele era o rosto de muitas figuras históricas

No cinema, como já citamos, Chadwick foi Jackie Robinson. Mas, além disso, também interpretou James Brown e Thurgood Marshall, o primeiro negro a entrar para a Suprema Corte americana. Isso mostra que, Chadwick não foi escolhido para ser um herói atoa. Em seus papeis, Chadwick ficou conhecido por grandes personagens que lutaram contra o racismo, que, em sua maioria eram figuras históricas. Com isso, antes de ser um herói dos quadrinhos, ele foi muitos heróis da vida real.

Publicidade
continue a leitura

6 - Seus maiores trabalhos foram feitos em seus momentos mais difíceis

Em 2016, o Pantera Negra apareceu pela primeira vez na Marvel. Isso aconteceu no filme "Capitão América: Guerra Civil". Nesse mesmo ano, Chadwick foi diagnosticado com câncer no cólon de estágio 3. De lá para cá, seu estado piorou e o câncer progrediu para estágio 4. Contudo, nem por isso, ele desistiu da carreira. De 2016 até 2020, ele atuou em nove filmes. Mesmo com as incontáveis cirurgias e quimioterapia, Boseman continuou perseverante e se manteve estrelando filmes de ação e que exigiam muito condicionamento físico.

7 - O primeiro herói negro da Marvel

Por fim, lembramos da importância de Chadwick Boseman ter interpretado o primeiro herói negro do Universo Cinematográfico da Marvel. Antes do rei de Wakanda, tivemos Blade, e claro, precisamos lembrar de sua importância, mas Blade era um anti-herói e aqui, temos um super-herói. É impossível falar do filme sem falar de seu impacto cultural. Nos despedimos de Boseman, lembrando que a morte não é o fim e que seu legado será lembrado. Wakanda Forever!

Aqui, deixo um diálogo de T'Challa, no filme Pantera Negra. "Na minha cultura, a morte não é o fim. É mais um ponto de partida. Você estende ambas as mãos e Bast e Sekhmet, eles o levam para uma savana verde onde você pode correr para sempre".

Publicado em: 29/08/20 21h48