• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


7 práticas brutais feitas pelos caçadores de bruxas na Idade Média

POR Rafael Miranda    EM História      21/10/15 às 08h57

A caça às bruxas foi uma busca por pessoas rotuladas como "bruxas" ou acusadas de feitiçaria. Isso envolvia, geralmente, pânico moral ou histeria coletiva. O período clássico da caça às bruxas na Europa Moderna e na América do Norte Colonial foi entre 1450 e 1750. Esse movimento levou a um número estimado de 35.000 a 100.000 execuções.

As últimas execuções de pessoas condenadas como bruxas na Europa aconteceram no século 18. No Reino da Grã-Bretanha, a feitiçaria deixou de ser um ato punível por lei com a lei de feitiçaria de 1735. Na Alemanha, a feitiçaria permaneceu punível por lei até o final do século 18.

Na Índia, pelo menos 2.100 pessoas suspeitas de serem bruxas foram assassinadas entre 2000 e 2012. A caça às bruxas nos dias atuais também foram registrada na África subsariana e na Papua Nova Guiné. Legislações oficiais contra a feitiçaria ainda são encontradas na Arábia Saudita e Camarões.

Desde pelo menos a década de 1930, o termo "caça às bruxas" tem sido usado figurativamente para descrever as atividades dos governos para procurar e expor supostos inimigos, muitas vezes, aparentemente, como um meio de dirigir a opinião pública através de pânico moral. Conheça a seguir os 7 principais caçadores de bruxas de história e seus atos de crueldade:

1. Matthew Hopkins

14

Hopkins foi um inglês que trabalhou como advogado antes de se tornar um caçador de bruxa para ganhar um dinheiro extra. Ele era conhecido por torturar suspeitos de serem bruxas através de privação de sono.

2. Pierre de Lancre

15

Acusações de feitiçaria eram comuns na França provincial do início dos anos 1600. De Lancre foi nomeado juiz pelo rei e foi encarregado de lidar com acusações de feitiçaria. Durante um período de quatro meses, ele executou cerca de 80 pessoas que foram acusadas de feitiçaria.

3. Johann Von Schonenberg

16

Johann von Schonenberg foi o arcebispo que atuou durante o maior julgamento de bruxas da história britânica. Os ensaios duraram mais de dez anos e 368 execuções foram registradas.

4. Peter Binsfeld

17

Binsfeld foi um teólogo alemão do século 16 que era considerado um especialista em bruxaria. Ele mesmo escreveu diversos livros sobre o assunto. Ele acreditava que bastava uma acusação para começar a questionar e torturar as supostas bruxas.

5. Alonso De Salazar Frias

18

Alonso De Salazar Frias foi chamado de "advogado de bruxas" pois ele era contra a bruxaria. Ele não considerava uma acusação sem provas uma evidência viável de bruxaria. Durante o tempo que ele passou no tribunal de inquisição, 7.000 pessoas foram acusadas, mas apenas 31 foram condenadas e 11 foram executados.

6. Balthasar Von Dernbach

19

Balthasar Von Dernbach foi um monge beneditino durante o século 16. Ele começou a trabalhar contra o protestantismo e forçando convertidos a retornar à fé católica. Mais tarde, ele se concentrou em bruxas e forçou confissões de mais de 200 mulheres.

7. Nicholas Remy

20

Remy tem uma reputação de ser o caçador de bruxas mais prolífico da história. Ele era um magistrado francês do século 16 que afirmava ter sido envolvido nas denúncias e execuções de mais de 900 bruxas. Ele trabalhou como um advogado e, em seguida, historiador, mas seu fascínio com a feitiçaria veio depois que seu filho morreu. Ele acreditava que havia sido amaldiçoado por um mendigo.

Próxima Matéria
Rafael Miranda
Criando forças para segurar o forninho de cada dia. Instagram: @rafaelmiranda17
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+