Curiosidades

Advogado pró-armas é baleado pela própria arma

0

Ter ou não uma arma e se ela realmente protege quem a tem é um ponto que divide opiniões. A única certeza é que elas têm o potencial de ferir e matar alguma pessoa, até mesmo quem a comprou. Esse foi o caso do advogado Leandro Mathias de Novaes, de 40 anos. Ele foi baleado por um disparo da sua própria arma.

O caso aconteceu no Laboratório Cura, na Avenida Brigadeiro Luís Antônio, no Jardim Paulista, na região central de São Paulo, na segunda-feira. O advogado estava acompanhando sua mãe em uma ressonância magnética quando o disparo aconteceu. Por conta disso, Leandro está internado em estado grave.

De acordo com a Secretaria da Segurança Pública de São Paulo (SSP-SP), o boletim de ocorrência diz que o advogado estava acompanhando sua mãe durante o exame. “Quando a máquina do procedimento foi acionada, o magnetismo puxou a arma que estava na cintura de Leandro e disparou, atingindo o homem na região do abdômen”, disse a secretaria.

Disparo da arma

UOL

“Antes de entrar no local, o homem assinou um termo de contraindicação de campo magnético para os acompanhantes. Ele foi socorrido ao Hospital São Luiz, onde permaneceu internado”, continuou o órgão.

Por conta do acidente, foi verificada a numeração da arma e com isso foi possível ver que ela era registrada e que Leandro tinha autorização para portá-la. O caso foi registrado pelo 14° Distrito Policial como disparo de arma de fogo. Depois disso, a DP solicitou perícia técnica. Além disso, o 15° DP, que é responsável pela região onde o caso aconteceu, instaurou um inquérito. Com isso, oitivas e diligências serão feitas para esclarecer o caso.

De acordo com um funcionário do escritório onde Leandro trabalha, o advogado teve um “acidente” e será hospitalizado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). “Ele [Leandro] passou por um procedimento cirúrgico ontem e passará por uma nova cirurgia amanhã cedo, mas ele se encontra na UTI e o quadro clínico é grave”, disse o funcionário.

Conforme disse o Hospital São Luiz Itaim, ele “tem por política não divulgar informações clínicas sem autorização do paciente ou familiares”.

Orientações

RKP engenharia

Em entrevista para o UOL, o Laboratório Cura lamentou o que aconteceu com o advogado e confirmou que somente ele se feriu com o disparo acidental da arma. Ainda segundo eles, tanto a mãe de Leandro como o advogado estão “recebendo toda a assessoria e acompanhamento do CURA grupo”, além de eles estarem colaborando com as investigações que estão sendo feitas.

“Reforçamos que todos os protocolos de prevenção de acidentes foram seguidos pelo time do CURA, como é de praxe em todas as unidades. Tanto a paciente como o acompanhante foram devidamente orientados quanto aos procedimentos para acesso à sala de exame e alertados sobre a retirada de todo e qualquer objeto metálico. Ambos assinaram termo de ciência com relação a essa orientação”, disse o Laboratório Cura.

Eles também pontuaram que “mesmo diante dessas orientações, a arma de fogo não foi mencionada pelo acompanhante, que entrou com o objeto na sala de exame por sua decisão”.

Pró-armas

@leandromathias_adv

Respondendo a @luciano18sennatjf

♬ som original – Leandro Mathias

O advogado tem um perfil no TikTok com quase oito mil seguidores e mais de 49 mil curtidas nos conteúdos que ele posta. Nesse perfil, ele responde as dúvidas dos seus seguidores a respeito do uso de armas.

Para suas publicações, normalmente, o advogado usa sempre as mesmas hashtags. São elas: CAC (Colecionador, Atirador Desportivo e Caçador), pró-armas, legítima defesa, direito à vida, eu reajo, direita conservadora, direita, pátria, família, Deus e Estatuto do Desarmamento.

Uma das dúvidas respondidas por Leandro foi a de um seguidor que disse que já tinha uma pistola e queria saber se ele podia comprar um revólver. “Não só pode, como deve comprar, tá? O Exército não tem aquela restrição de efetiva necessidade, então, você pode, sim, comprar. Faz a aquisição, aproveita. Só toma um cuidado agora que a gente não sabe como vai ser a próxima regra do governo federal no quesito de calibres, mas eu pegaria revólver .38, pistola de calibre 380 pelo menos”, o advogado começou a responder.

“Já aproveitava agora que a gente não sabe o que vai acontecer. Vamos aguardar aí e ver o que vai rolar. Passado isso aí, aconselho a comprar os calibres que forem autorizados. Vamos tocar para frente”, finalizou ele.

Fonte: UOL

Imagens: UOL, TikTok, RKP engenharia

Jovem vê sonho de intercâmbio virar um verdadeiro pesadelo

Previous article

Conheça as infrações que não dão mais pontos na CNH, mas rendem multas

Next article

Comments

Comments are closed.