Curiosidades

Artista usa máquinas de escrever para criar obras de arte em desenhos

0

Obra de arte é o termo utilizado para designar uma composição criada e avaliada por sua função artística, do mesmo modo que é um produto que transmite uma ideia ou expressão da pessoa habilidosa que a fez. Felizmente, temos várias formas de arte produzidas das mais variadas formas, como por exemplo, esse artista que usa máquinas de escrever.

O artista em questão é o londrino James Cook, de 25 anos. Ele cria desenhos usando máquinas de escrever. Agora, ele está se preparando para fazer uma exposição com suas obras.

As obras do artista vão desde um retrato de Tom Hanks a uma reprodução do London Eye, atração turística da cidade em que mora. Ele consegue fazer tudo nas máquinas de escrever usando letras e símbolos.

Artista

G1

O estúdio do artista é cheio de suas obras de arte e vinte máquinas de escrever que ele usa para fazer seus desenhos. Em entrevista à agência de notícias AFP, Cook disse que, no começo, ele considerava a técnica “impossível” até que, por curiosidade, resolveu tentar desenhar com as máquinas.

“Desde 2014 eu estou aprendendo aos poucos como fazer os desenhos”, afirmou.

G1

Os primeiros desenhos feitos por ele eram construções e casas, porque era mais fácil para ele fazer linhas retas no começo. Com o tempo, o artista foi passando para formas mais complexas, como por exemplo, o rosto de pessoas.

Segundo Cook, ele gasta de quatro a cinco horas para fazer desenhos menores. Já as obras maiores podem demorar mais. A exposição que o artista irá fazer será entre julho e agosto em Londres.

Técnica

Por mais que Cook tenha começado recentemente com essa técnica, ele não foi o primeiro artista a usá-la. O artista chamado Paul Smith tem uma história realmente impressionante. Ele, que nasceu com paralisia cerebral e nunca conseguiu segurar sequer uma caneta, desenvolveu sua própria técnica de desenho usando uma máquina de escrever.

Seu amor pela arte era tanto que ele conseguiu digitar apenas com a mão esquerda, usando a direita para segurá-la. Mas, como não conseguia pressionar duas teclas ao mesmo tempo, costumava travar a tecla SHIFT e usar os símbolos das teclas numéricas (@#$%^) para criar suas imagens, que aliás eram ricas em detalhes.

Ao longo dos anos, o artista aperfeiçoou tanto sua técnica que passou a usar cores diferentes, texturas e sombras, usando apenas as teclas de sua máquina de escrever.

Infelizmente, o mundo perdeu esse exemplo de criatividade e persistência em 2007. Quando morreu, Paul Smith já tinha mais de 80 anos de carreira.

Modernidade

Instagram

A arte é um campo que está em constante mudança. Vários artistas vão inovando em suas técnicas, como por exemplo, o artista digital chamado Hidreley Dião. Ele usa técnicas que misturam inteligência artificial, Photoshop e outros programas de edição de imagem para criar seus projetos. Depois de prontos, ele os publica em sua rede social, que já tem mais de 263 mil seguidores.

Segundo o próprio Dião, em entrevista, ele aprendeu sozinho a usar a inteligência artificial. “Criei esse processo maluco de trabalhar com IA e estou feliz com os resultados, pois as pessoas ficam sempre impressionadas. Aprendi sozinho e hoje meu trabalho está nas principais plataformas da internet”, contou.

Esse trabalho de envelhecer as pessoas que se foram ainda jovens começou na pandemia, quando ele percebeu “que muitos artistas estavam aproveitando essas ferramentas para dar vida a estátuas e a pinturas famosas”. “Me desafiei a aprender e tentar fazer algo parecido. Gostei do resultado e não parei mais”, disse Dião.

Para começar, Dião escolhe quem ele quer recriar. Depois disso, ele procura, em bancos de imagens, por fotos parecidas com as de referência, em que a pessoa esteja na mesma posição que o artista ou político a ser recriado.

“Procuro sempre fotos que estejam fáceis de trabalhar, o formato do rosto, cabelo. Isso porque eu sobreponho a imagem do personagem e, através do Photoshop, vou preenchendo, começando sempre pelos olhos”, explicou.

É então que ele começa a imaginar como aquela pessoa estaria nos dias de hoje. Todo o processo, mesmo usando inteligência artificial, Photoshop e outros programas de edição de imagem, não passa de duas horas até que o resultado final fique pronto.

Fonte: G1, Aventuras na história

Imagens: G1, YouTube, Instagram

Conheça a cearense campeã de fisiculturismo nos EUA

Previous article

Ex-marinheiro dos EUA passa 70 anos procurando ex-namorada japonesa

Next article

Comments

Comments are closed.