• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE

As baratas são mesmo resistentes a uma explosão nuclear?

POR Thamyris Fernandes    EM Curiosidades      17/06/14 às 12h47

Elas são odiadas por muita gente e são, talvez, uma das criaturas mais feias e asquerosas do mundo. Isso mesmo, acertou quem acha que estamos falando sobre as baratas.

Sua estrutura cascuda e seu tamanho diminuto são armas potentes contra o tempo e outros fatores nocivos à sobrevivência dos demais bichos. Talvez daí, lá pelos idos de 1960, tenha nascido o tal mito de que esses insetos conseguiriam resistir a um desastre nuclear. Isso não passa de um grande exagero!

Aquela conversa conhecida de que as baratas teriam sobrevivido à explosão das bombas de Hiroshima e Nagasaki não passa de uma bela mentira, inventada para tirar o sossego de quem não suporta as "bichinhas". Segundo os especialistas, elas são 20 vezes mais resistentes que os seres humanos quando o assunto é radiação, mas as bombas atômicas seriam muitas vezes mais potentes que seus corpinhos de composições simples poderiam suportar.

1

Conforme estudiosos, meros mil rads (unidade de radiação absorvida), que derrubaria fácil o ser humano, seria "fichinha" às baratas. Mas, somente a bomba de Hiroshima, por exemplo; irradiou 34 mil rads no seu epicentro. Ou seja, isso tudo não tem fundamento (apesar dessas pragas realmente sobreviverem semanas sem cabeça e conseguirem passarem bem em ambientes inóspitos).

Há outros seres vivos, no entanto, que talvez sejam capazes de resistir a "perrengues" como os altos índices de radiação. Mas esses heróis se tratam, na verdade, de organismos extremamente básicos, como musgos, algas, protozoários e bactérias, como a Deinococcus radiodurans, capaz de se multiplicar sobre os lixos radioativos.

 

Próxima Matéria
Thamyris Fernandes
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você


Fatos + Deezer (Podcast)

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+