Curiosidades

Aviões do Juízo Final são à prova de guerra nuclear

0

Na história da humanidade, confrontos entre países já fizeram centenas de milhões de vítimas fatais. O maior medo talvez seja de uma guerra nuclear, ou guerra atômica, como preferir. Isso porque trata-se de uma guerra em que são usadas armas nucleares. Esse tipo de armamento só foi utilizado no final da Segunda Guerra Mundial. Os Estados Unidos usaram bombas atômicas para atacar as cidades japonesas de Hiroshima e Nagasaki. Agora, imagine o que aconteceria com o mundo caso uma guerra só com esse tipo de armamento se iniciasse hoje, envolvendo pelo menos dois países inteiros.

O pior de tudo é pensar que isso pode não ser apenas uma situação hipotética e realmente acontecer. Por isso que países se preparam não apenas com armamentos, mas também com formas de se protegerem. Exemplo disso é um avião que pode voar por vários dias sem pousar e que tem a capacidade de comandar um país inteiro se uma guerra nuclear realmente começar.

Guerra nuclear

Valor

Isso pode parecer uma coisa que existe apenas nos filmes, mas eles realmente existem. Essas aeronaves são chamadas de aviões do Juízo Final e são adaptadas para conseguirem se transformar em postos avançados de comando no caso de uma guerra.

Atualmente, somente os EUA e a Rússia têm esse tipo de aeronave que tem um sistema especial de comunicação e dá apoio para as lideranças dos dois países. Esses aviões servem como base de comando e comunicação para os chefes das Forças Armadas, além dos presidentes e ministros da Defesa.

Os aviões dos dois países foram pensados na época da Guerra Fria, quando ambos países estavam em uma escalada de armamento nuclear. E se algum deles atacasse seria preciso que a estrutura de comando fosse mantida longe do solo.

O nome desses aviões faz uma referência religiosa. Isso porque, de acordo com a tradição, o Dia do Juízo Final é o momento em que Deus irá julgar toda a humanidade e a Terra irá deixar de existir como as pessoas a conhecem.

Por conta disso, o nome foi dado aos aviões por conta do sentimento de insegurança que a Guerra Fria deixou e acabou somente no começo dos anos 1990.

Avião dos EUA

UOL

O avião do Juízo Final dos EUA é o E-4B Nightwatch, que é uma versão militarizada do Boeing 747, e pode ser reabastecido enquanto está em voo. A aeronave pode levar até 112 pessoas, como equipes de operações conjuntas do comando militar, de comunicações, manutenção e de segurança. Além deles, em casos especiais, pode levar pessoas selecionadas para determinada missão.

Esse avião começou a ser implementado em 1980 a partir da modernização do modelo E-4A, que já estava em operação desde 1974. O modelo é dividido em seis áreas, sendo elas: sala de conferências, de briefing, área de trabalho do comando, de trabalho da equipe de operações, de comunicações, de descanso.

Atualmente, existem quatro aviões desse construídos e todos estão a serviço do governo norte-americano. Desses, pelo menos um está sempre pronto para entrar em ação caso seja preciso.

A estrutura dele foi feita para resistir aos efeitos das pulsões eletromagnéticas. Ele também tem uma blindagem térmica e contra os efeitos de uma possível explosão nuclear. Além disso, o avião tem um sistema de comunicação via satélite que lhe garante uma conexão com os principais líderes do mundo.

Ficha técnica

Construtor: Boeing

Propulsão: Quatro motores General Electric CF6-50E2

Comprimento: 70,5 metros

Envergadura: 59,7 metros

Altura: 19,3 metros

Peso máximo de decolagem: 360 toneladas

Capacidade de voo: até 12 horas (sem ser reabastecido)

Altitude máxima de voo: Acima de 9.091 metros (30.000 pés)

Custo unitário: US$ 223,2 milhões à época (R$ 1,2 bilhão no câmbio atual sem correção da inflação)

Capacidade: Até 112 passageiros

Avião da Rússia

UOL

As informações a respeito do posto de comando aerotransportado da Rússia, que é o nome dado ao avião do Juízo Final do país, são pouco compartilhadas. O que se sabe é que o modelo usado por eles atualmente é o Ilyushin Il-80 Maxdome, criado a partir do avião de transporte civil Il-86.

Logo menos, o modelo deve ser substituído pelo quadrimotor Il-96-400M, que é mais moderno e maior. O novo modelo irá conseguir voar durante mais tempo e por maiores distâncias, o que aumentará a efetividade das missões.

Atualmente, assim como nos EUA, existem quatro modelos a serviço do governo do país. Essas aeronaves começaram a voar em 1985, mas eles entraram em operação definitiva em 1992.

O que diferencia esse modelo da versão civil dele é que ele não tem janelas, a não ser as na cabine de comando. Isso foi feito para que os passageiros não fossem afetados pelos efeitos de uma explosão nuclear.

Na parte de cima desse avião tem antenas e mecanismos para a comunicação, enquanto que em sua parte de trás tem uma antena específica para a comunicação com os submarinos da marinha russa.

Ficha técnica

Fabricante: United Aircraft Corporation

Propulsão: quatro motores PS-90A1

Comprimento: 64,7 metros

Envergadura: 60,1 metros

Altura: 15,9 metros

Peso máximo de decolagem: 270 toneladas

Capacidade de voo: alcance de até 9.000 km com a carga máxima

Altitude máxima de voo: até 13,1 km de altitude

Custo unitário: Ainda não definido

Capacidade: Ainda não definida

Fonte: UOL

Imagens: UOL, Valor

Mãe perde filho e vai na sua formatura receber o diploma em cerimônia emocionante: ‘você conseguiu, campeão’

Previous article

Londres passa a cobrar taxa de carros poluentes

Next article

Comments

Comments are closed.