Curiosidades

Câmera fotográfica que será usada na lua é testada na Europa

0

A lua foi o único corpo do sistema solar onde os humanos já pisaram, mesmo assim não se descobriu tudo a respeito dela. Justamente por isso que várias missões são lançadas em sua direção. Saber mais sobre nosso satélite natural é essencial porque ela influencia marés, movimenta os oceanos, é responsável pela vida nos mares, e por nosso planeta se manter em seu eixo.

Tanto é que está previsto o retorno de astronautas para o nosso satélite natural dentro de dois ou três anos. Claro que chegando novamente na lua os astronautas irão tirar várias fotos. Mas isso pode ser feito com qualquer câmera?

De acordo com a Agência Espacial Europeia (ESA), parceira da NASA no Programa Artemis, ela está ajudando no desenvolvimento da melhor câmera possível para que os astronautas levem em sua futura missão.

Câmera

Olhar digital

A câmera em questão se chama Câmera Lunar Universal Portátil (HULC) e foi pensada pela equipe de engenharia do Centro Espacial Marshall, da NASA. Esse instrumento foi testado recentemente em Lanzarote, na Espanha. O teste foi feito pelos membros do PANGEA, que é um programa da ESA que prepara astronautas para agirem como cientistas de campo nas missões à lua. Foram eles: Thomas Pesquet, da ESA; Jessica Wittner, candidata a astronauta da NASA; e Takuya Onishi, da Agência Japonesa de Exploração Aeroespacial (JAXA).

Nesses testes foi visto a capacidade da câmera nos cenários de exploração geológica parecidos com as paisagens que serão encontradas na lua. O instrumento foi testado tanto na luz do dia, como em locais que tinham pouca iluminação, como por exemplo, em cavernas vulcânicas.

A exploração feita com a câmera foi registrada no Livro de Campo Eletrônico da ESA. Isso deu aos geólogos a possibilidade de acompanhar os trabalhos da sala de ciências do PANGEA, recebendo vídeos e áudios em tempo real.

Fotos da lua

Olhar digital

A câmera levada para as futuras missões tem que ser a melhor possível porque a captura de fotos da lua é essencial para que as descobertas científicas sejam documentadas. E mesmo com condições extremamente difíceis os astronautas vão fazer fotos de perto, vídeos e imagens panorâmicas da superfície lunar.

“As condições para a fotografia serão complicadas de várias maneiras, desde operar a câmera com luvas até níveis de luz muito baixos e grande contraste entre fontes claras e escuras”, disse Thomas Pesquet, em comunicado da ESA.

Por isso que na criação da câmera foram levados em consideração três desafios principais na captura de imagens. Foram eles: efeitos térmicos, de vácuo e de radiação, e a natureza abrasiva da poeira lunar.

Por conta disso que os instrumentos com alta sensibilidade à luz e lentes de última geração sofreram adaptações e ganharam uma manta protetora contra a poeira e temperaturas negativas. Além disso, as câmeras também ganharam botões mais ergonômicos para que o manuseio com as luvas grossas dos astronautas seja possível.

A HULC irá ser a primeira câmera mirrorless para uso portátil no espaço. Ela é um tipo de câmera que não precisa do mecanismo de espelho que é visto nos modelos de reflexo digital de lente única (DSLR). Por conta da falta dos espelhos a câmera fica menor e mais leve, ainda mantendo suas características, como as lentes intercambiáveis e imagens de alta qualidade.

Esses testes realizados agora não serão os únicos feitos com essa câmera, que irá ser usada na missão Artemis 3. Logo menos, um protótipo irá ser enviado para a Estação Espacial Internacional (ISS) para mais testes.

Retorno

G1

O chamado programa Artemis é um programa de missões lunares liderado pela NASA. Seu nome vem da deusa grega Artemis, irmã gêmea do deus Apolo, que, na década de 1960, deu o nome às missões originais de pouso na lua.

A missão Artemis tem o objetivo de ser o retorno do homem à lua. De acordo com a NASA, o objetivo é pousar perto do polo sul lunar. Isso já é diferente do informado em relatórios antigos, que diziam que a agência planejava o pouso perto dos lugares das antigas missões Apollo.

Quando os astronautas já estiverem no polo sul lunar, eles terão que coletar gelo de água, coisa que as tripulações do Apollo não conseguiram fazer nos seus lugares de pouso.

Essa missão Artemis será dividida em três etapas. A Artemis I, sem tripulação, seria o lançamento inaugural do Sistema de Lançamento Espacial da NASA.

A Artemis II seria lançada em algum momento de 2023. Ela levaria os astronautas para a órbita lunar, funcionando como uma reprise das missões de ensaio Apollo 8 e 10. A missão vai dar à tripulação a oportunidade de pilotar manualmente a Orion.

E finalmente, na Artemis III, agora prevista para 2025, a NASA levaria dois astronautas, um homem e uma mulher, para a superfície da lua, lugar que não vê uma pegada humana desde 1972. Seria a primeira mulher e a primeira pessoa de cor na lua.

Nessa missão, os astronautas ficariam na lua aproximadamente sete dias, coletando amostras, fazendo experimentos e mais outras coisas.

Fonte: Olhar digital, G1

Imagens: Olhar digital, G1

Conheça o cientista que tenta viajar no tempo após perder o pai

Artigo anterior

Banana nanica pode desaparecer em alguns anos. Entenda

Próximo artigo