Curiosidades

Como deixar suas redes sociais mais felizes, de acordo com cientistas

0

A tecnologia evoluiu em um curto período de tempo. É quase impossível pensar que, há poucas décadas, a Internet nem existia. Ela criou uma verdadeira bola de neve de tecnologia. O que nos deu várias ferramentas para nos comunicarmos. Em pouco tempo, uma variedade de redes sociais, como MySpace, Orkut, Facebook, Twitter e Skype, mudaram drasticamente a forma como nos conectamos.

Muitas vezes a internet é tida como um lugar ruim, terra de ninguém, ou até mesmo um lugar que deixa as pessoas para baixo. Como por exemplo, ano passado quando alguém começava a ver uma notícia sobre a pandemia e por pior e mais sem esperança que ela podia ser a pessoa se via presa lendo um emaranhado de notícias infinitas. O que com certeza fazia com que o humor desse um mergulho e uma caída drástica.

De acordo com um estudo, as pessoas tem uma tendência de buscar informações em tempos de incerteza. Isso é um mecanismo natural de enfrentamento. No entanto, essa busca sem parar de informações nas redes sociais é realmente útil durante a pandemia ou a qualquer momento?

Estudo

Os estudos a respeito dos efeitos das más notícias sobre o humor sugerem que, de forma geral, a exposição a notícias negativas sobre a pandemia pode ser prejudicial para o bem estar emocional das pessoas. E realmente, as primeiras evidências a respeito dos efeitos do consumo de notícias da pandemia sobre o sofrimento mental mostravam isso.

Um estudo feito em março de 2020 com mais de seis mil americanos descobriu que quanto mais tempo os participantes ficavam consumindo notícias a respeito do coronavírus durante um dia, mais infelizes eles se sentiam.

As descobertas foram impressionantes, mas também deixaram algumas questões sem resposta. Como por exemplo, esse consumo de notícias deixa as pessoas infelizes, ou pessoas infelizes tem uma tendência maior a procurar esse tipo de notícia? Quanto tempo gasto vendo esse tipo de notícia é um problema? E o que iria acontecer se ao invés de notícias ruins as pessoas estivessem consumindo notícias boas?

Para tentar responder essas perguntas um novo estudo foi feito. Nele, foi  mostrado conteúdo do mundo real a centenas de pessoas, no Twitter ou no YouTube, durante dois ou quatro minutos. O feed do Twitter e vídeos do YouTube tinham notícias gerais sobre o COVID ou então notícias a respeito de boas ações durante a pandemia.

Depois disso, os pesquisadores mediram o humor dos participantes através de um questionário. Então, eles comparara os humores com os participantes que não se envolveram com nenhum conteúdo.

Experiência

O resultado mostrou que as pessoas que viram notícias gerais relacionadas ao COVID tinha um humor mais baixo do que aquelas que não tinham visto nada. Já as pessoas que viram as notícias de bondade envolvendo o COVID não tiveram a mesma queda de humor, no entanto também não aumentaram o humor como se previa.

As descobertas sugerem que gastar entre dois a quatro minutos consumindo notícias negativas a respeito do COVID pode ter um impacto negativo no humor das pessoas. E mesmo que não se tenha notado uma melhora no humor entre os participantes, pode ser porque as notícias estavam relacionadas ao COVID. Visto que em um outro estudo, as notícias positivas se relacionaram com melhoras de humor.

Os pesquisadores então dão algumas dicas de como fazer com que a experiência na redes sociais seja mais positiva.

1 – Estar atento ao que se consome nas redes sociais.

2 – Procurar um conteúdo que deixe a pessoa feliz e dê um equilíbrio ao feed de notícias.

3 – Usar as redes sociais para promover positividade e gentileza.

Claro que as pessoas não podem evitar por completo todas as notícias negativas. Até porque é preciso saber o que está acontecendo no mundo. Mas é importante também que se atente à saúde mental.

Fonte: https://www.sciencealert.com/seriously-stop-doomscrolling-here-s-how-to-make-your-social-media-a-happier-place

A paisagem do planeta foi mudada até mesmo por pequenas comunidades de coletores

Matéria anterior

Estudo mostra que produtos de cannabis podem realmente ter um efeito antidepressivo

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos