Curiosidades

Conheça os problemas oculares que foram ocasionados pela pandemia

0

Com a pandemia ocasionada pelo novo coronavírus acabamos adquirindo novos costumes. A maioria destes costumes restringiram-se a apenas um ambiente – nossa casa. Por conta das medidas impostas para conter a transmissibilidade do vírus, tivemos que fazer tudo, praticamente tudo em casa.

Passamos a trabalhar em nosso lar, tivemos que fazer exercícios na sala ou na varanda, assistimos aulas em casa e confraternizamos com os amigos, mesmo distantes, em casa – graças às inúmeras chamadas de vídeos. Nos adaptamos? Sim, mas sabemos que não foi fácil. Não obstante, a preocupação, aqui, não gira em torno da adaptação, mas sim o que esses novos hábitos podem ter ocasionado.

Segundo uma reportagem publicada pelo portal de notícias HuffPost, todos esses novos hábitos foram responsáveis por um influxo de doenças oculares, as quais foram ocasionadas por todas essas atividades que passamos a realizar no interior de nossa residência, basicamente, diante de uma tela.

Conforme consta na matéria publicada pelo portal, a combinação específica de mudanças no estilo de vida impulsionadas pela pandemia aumentaram a pressão sobre nossos olhos e, por isso, para os especialistas, vivemos hoje um drama ocular. Por conta de tal cenário, oftalmologistas sugerem que o momento é mais do que ideal para colocar em dia a saúde. fazendo um simples exame de vista.

“A realidade é que os consultórios dos oftalmologistas são muito higiênicos e as pessoas não deveriam ter medo de ter seus olhos examinados”, disse Brian Boxer Wachler, oftalmologista credenciado em Beverly Hills. “Os idosos, especialmente, correm maior risco de glaucoma, degeneração macular e catarata, que são ladrões ‘silenciosos’ da visão, e exames de vista podem detectar isso nos estágios iniciais”.

Por conta de toda essa nova realidade, o portal HuffPost enumerou as principais doenças oculares que a pandemia ajudou a fomentar. Confira, portanto, quais são as doenças oculares às quais as pessoas mais estão sujeitas nesta pandemia.

Miopia

Desde que a pandemia começou, nos vimos passando cada vez mais tempo na frente da tela de um computador. Para atender as necessidades que a rotina e o trabalho exigem, acabamos fazendo poucas pausas e, mesmo quando tentamos ter um descanso, tendemos a olhar para outras telas (telefones, tablets, televisores, etc).

“Todo esse tempo que passamos diante das telas pode contribuir para a miopia. Ainda mais agora que as pessoas não estão tendo tempo suficiente para relaxar a visão”, disse Juanita Collier, optometrista comportamental em Connecticut, Estados Unidos. “E como estamos passando muito mais tempo dentro de casa, nossos corpos não estão recebendo aquela importante dose diária de vitamina D, a qual é responsável por diminuir a progressão da miopia”.

A maneira mais fácil de desacelerar a progressão da miopia é fazer pausas frequentes e seguir a regra 20/20/20: “Faça uma pausa de 20 segundos a cada 20 minutos para focar seus olhos em algo a 6 metros de distância”, disse Collier.

Para aumentar a vitamina D, Collier sugeriu fazer caminhadas e, sempre que possível, fazer suas teleconferências ao ar livre. “Cerca de 15 a 20 minutos ao sol, três vezes por semana, é o suficiente”, de acordo com a Clínica Cleveland.

Olho seco

“Quando olhamos fixamente para uma tela, piscamos 30% menos que o normal” disse Boxer Wachler. “Quando os olhos ficam abertos por mais tempo, são mais propensos a secar. Além disso, o constante uso da máscara também está provocando uma certa desidratação no olho seco, especialmente em profissionais de saúde, que usam máscaras por cerca de 40 horas por semana, se não mais”.

“A frequência do uso da máscara está provocando uma sequidão no olho devido ao fluxo constante de ar exalado, o qual, por conta da presença do objeto, retorna aos olhos expostos”, disse Rocio C. Pasion, optometrista certificado pela Siepser Eyecare, em Wayne, Pensilvânia, Estados Unidos.

Os sintomas mais comuns podem incluir: ardor, olhos lacrimejantes, sensibilidade à luz e visão turva. “Para ajudar a manter um filme lacrimal estável, lembre-se de não só aumentar a frequência das piscadas, como também certifique-se de que piscar uma única vez por um maior período de tempo, principalmente se estiver diante do computador”, disse Pasion.

Aumentar o consumo de água e diminuir a ingestão de cafeína também pode ajudar, pois o excesso de cafeína pode contribuir para a perda de volume lacrimal. Além disso, “o ômega-3 encontrado no óleo de peixe é excelente para reduzir a inflamação – uma das principais causas do olho seco”, disse Collier.

Síndrome de Visão ocasionada por telas

A síndrome da visão ocasionada por telas é, em suma, um grupo de problemas relacionados aos olhos e à visão que são resultados do uso prolongado do computador, tablet, e-reader e telefone. “Quanto mais tempo você passa em frente às telas, maior o risco de desenvolver fadiga ocular, dores de cabeça, visão turva e olhos secos”, disse Collier.

“A extensão dos sintomas em um indivíduo é fruto do tempo que uma pessoa gasta olhando para uma tela de um dispositivo digital”. Os sintomas, geralmente, diminuem após a interrupção do uso do aparato tecnológico, mas algumas pessoas podem sentir uma redução contínua nas habilidades visuais mesmo após a interrupção.

Isso ocorre porque as telas digitais fazem os olhos trabalharem mais. Letras, que não são tão definidas, palavras e planos de fundo, que não têm contraste suficiente, brilho e reflexos na tela podem tornar a visualização mais complicada.

Esse fóssil de um bilhão de anos pode ser o animal multicelular mais antigo

Matéria anterior

Confira as fotos que foram premiadas na segunda edição do projeto Leica

Próxima matéria

Mais em Curiosidades

Você pode gostar

Comentários

Comentários não permitidos.