Curiosidades

Cortar freio da língua dos bebês vira moda e levanta polêmica

0

Cada parte do corpo humano, por menor que seja, tem sua função e seu propósito de existir. Contudo, algumas tendências que surgem podem prejudicar o corpo daqueles que estão nascendo em determinado momento, como por exemplo, a moda em vários países de cortar o freio da língua dos bebês.

Esse corte do freio da língua dura um segundo para ser feito e é feito com bisturi ou com laser. O objetivo é porque isso, supostamente, facilita a amamentação do bebê.

O impressionante é que cada vez mais pais estão pedindo para que o freio da língua de seus filhos seja cortado ao nascer. No entanto, os médico consideram essa nova tendência algo ineficaz.

“Cabe se perguntar sobre o aumento vertiginoso da frenotomia lingual na França e em todo o mundo nos bebês”, alertou a Academia de Medicina francesa.

Freio da língua

Clínica primeiro sorriso

Quando o freio da língua do bebê é cortado, teoricamente, o recém nascido pode conseguir mamar com mais facilidade. Entretanto, na realidade, é “um gesto agressivo e potencialmente perigoso para os recém-nascidos ou para os bebês”, insistiu a Academia de Medicina.

De acordo com Virginie Rigourd, pediatra do hospital Necker em Paris, especializada na atenção às crianças, essa moda começou, provavelmente, nos Estados Unidos e no Canadá, e logo se espalhou por outros países.
Isso pode ser visto na Austrália, por exemplo, onde o número de frenotomias quintuplicou nos últimos dez anos. De acordo com Rigourd, o corte do freio da língua dos bebês já é feito por dois tipos de especialistas que não têm um título propriamente dito. São eles: os osteopatas e os conselheiros de maternidade.
Embora a Organização Mundial de Saúde (OMS) recomende a lactância materna, alguns pais levam essa recomendação muito ao pé da letra. Com isso, a lactância pode ser bem dolorosa para algumas mães, podendo se estender por vários meses.
“Há um retorno à lactância, mas falta pessoal bem formado, assim há um recrudescimento dos problemas”, advertiu Rigourd.

Possíveis vantagens

Pediatria descomplicada

Além dessa recomendação da OMS, os especialistas que fazem o procedimento do corte do freio da língua dos bebês também dizem que a ação tem outras vantagens, como por exemplo, evitar os problemas de fala ou aparentes problemas digestivos.
“Deixar esse frênulo restritivo põe em perigo a lactância e a saúde, tanto dos bebês como das mães”, disse um site de uma consultora em amamentação, que propõe uma formação online por cem euros.
“Não há nenhum estudo que tenha demonstrado que a frenotomia lingual permita uma melhor lactância a longo prazo”, adverte um comunicado da  Cochrane, uma organização independente. Essa associação também assegura que tem mais de 28 mil voluntários que reúnem informações médicas no mundo todo.
O pior de tudo é que vários pais inexperientes se deixam iludir e convencer sobre a utilidade do corte do freio da língua de seus filhos, mesmo vendo que o recém nascido consegue mamar por conta própria de forma perfeita.

Caso

Mães amigas

Um desses casos é o de Léa. Essa mãe se consultou com uma osteopata em Paris depois do nascimento do seu filho em 2018. A consulta era para um check-up básico. Nela, a osteopata sugeriu a Léa que ela fizesse o corte do freio da língua de seu filho porque ela o considerou “muito grosso”.
Segundo a mãe, a orientação da médica parecia ser algo preventivo, mas no final das contas, Léa optou por não fazer o procedimento. No entanto, ela diz que entende os outros pais que fazem o procedimento por serem mais apreensivos e acabarem caindo em tentação.
“Sempre pensamos em dar tudo de melhor para nosso filho, e se te dizem que tem que cortar o frênulo, mesmo se não há uma razão para isso, você faz”, pontuou ela.
Fonte: R7

Idosa de 121 anos da Bahia pode ser a pessoa mais mais velha do mundo

Matéria anterior

Dia das Mães na Casas Bahia tem promoção e cashback em milhares de produtos

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos