Notícias

Crianças órfãs de Uganda ganham 1,3 milhões de seguidores com dança na internet

0

Um grupo de crianças órfãs vem conquistando as pessoas ao redor do mundo por meio da dança. Em vídeos mostrando seu talento, as crianças da Uganda esbanjam animação.

Os dançarinos são atendidos pela ONG Masaka Kids Africana, que estabelece como uma das metas “ajudá-los a reconhecer o próprio potencial e a ter esperança em seus futuros”.

Assim sendo, a ONG atende crianças a partir dos dois anos que perderam seus pais, seja por devastação da guerra, por fome ou doenças. De acordo com a apresentação no canal do Youtube, o lema do grupo de Uganda é “dançar, despertar e brilhar”.

As crianças conseguiram se conectar com os outros, ao redor do mundo, por conta do talento que têm na dança. Enquanto isso, a ONG fornece abrigo seguro, roupas, alimentação, educação e cuidados médicos.

Eles chamaram tanta atenção que até astros estão vendo o vídeos das crianças, como é o caso do rapper Drake, dos hits “Hotline Bling” e “God’s Plan”. Em 2020, o famoso divulgou um vídeo das crianças dançando “Toosie Slide”, uma das faixas do canadense.

Dança oferece futuro melhor para crianças

Dessa forma, a dançarina Karina Palmira é a responsável pelas aulas, montagem das coreografias e também da produção dos vídeos. Ela destaca que a dança é capaz de transformar a vida das crianças, apesar da perda dos pais. Com isso, podem imaginar um futuro melhor.

“As crianças derretem o coração do público com seus sorrisos encantadores e deliciosas melodias africanas, acompanhadas por movimentos de dança vibrantes. […] Apesar da tragédia que arruinou suas jovens vidas, as crianças estão radiantes de esperança, musicalmente talentosas e maravilhosamente divertidas”, diz o site do projeto.

órfãos em Uganda

Masaka Kids Africana

O site também ressalta que, por causa da epidemia de AIDS, pobreza extrema e décadas de conflito civil, a Uganda concentrou o maior número de órfãos do mundo, com mais de 2,4 milhões de criança sem pais.

Para doar ou saber mais sobre a ONG, basta acessar o site.

Órfãos em Uganda

Segundo dados do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF, da sigla em inglês), mais de duas milhões de crianças se tornaram órfãs na Uganda na última década. Dessa maneira, acredita-se que dentre os motivos para tal, há crianças nascidas com HIV ou tendo pais positivos e famílias com dificuldades financeiras. Por conta da epidemia, cerca de 1,5 milhão dos 43 milhões vivem com HIV, sendo que a maior parte dos casos positivos é de mulheres.

Em 2018, a enfermidade foi responsável por mais de 20 mil mortes, demonstrando o quanto o país passava por crise. Vale ressaltar que o desenvolvimento da AIDS afeta o sistema imunológico do indivíduo, fazendo com que ele fique mais vulnerável às demais enfermidades ao longo da vida.

De acordo com Avert, até 2018, 33% das crianças com HIV ainda não tinham acesso ao tratamento. Porém, o maior problema é o estigma social, além do número alto de mães que faleceram.

Como resultado de uma guerra civil que explodiu em 1981, o número de orfanatos cresceu. Então, nos anos seguintes, em meio à violência, meninos foram sequestrados para se tornarem soldados e outras crianças nasceram de casamentos forçados e violência sexual, excluindo não só elas, como suas mães da sociedade. Esse tanto de conflito contribuiu de forma notável para o número de crianças dos orfanatos.

No entanto, há mais de 300 orfanatos irregulares que visam ganhos monetários no país por meio de doações. No total, orfanatos sem licença ganham cerca de um quarto de bilhão de dólares por ano. Por essa razão, a questão das crianças em situação de vulnerabilidade se tornou um dos pontos principais quando se diz respeito aos problemas enfrentados no país africano.

Fonte: G1

Urubu pousa em piloto durante voo de parapente no Ceará

Matéria anterior

Idosa torcedora do Juventude vai para a balada com os netos

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos