Em novembro do ano passado, a nona arte perdeu um de seus maiores contribuidores. Stan Lee é um dos nomes mais significativos dentro da Marvel Comics. O artista foi responsável por criar e cocriar diversos personagens populares da editora. Sua fama foi elevada quando ele passou a fazer cameos nos filmes de super-heróis da Marvel Studios. Embora Lee já tivesse esse costume muito antes do primeiro Homem de Ferro, inclusive em longas de outros estúdios, suas participações no universo compartilhado da empresa foram diferenciais.

Com seu falecimento em novembro de 2018, Capitã Marvel se tornou um dos últimos filmes do estúdio a contar com a participação do artista. Uma aparição mais do que especial dessa vez. Primeiro, o filme presta uma bela homenagem à Stan Lee logo nos créditos iniciais. As páginas dos quadrinhos colocadas dentro da logo do estúdio foram substituídas por cenas de todos os cameos que o artista teve no universo cinematográfico. Mais tarde, quando Carol Danvers (Brie Larson) procura por um Skrull disfarçado dentro do metrô, ela aborda um senhor que lê tranquilamente em seu lugar. A pessoa em cena é Stan Lee e o que ele tem em mãos é o roteiro do filme Mallrats, conhecido no Brasil como Barrados no Shopping.

Participação mais que especial

Publicidade
continue a leitura

Barrados no Shopping é uma comédia de 1995, escrita e dirigida por Kevin Smith, bem conhecido por ser um nerd absoluto. Na época, ele convidou Stan Lee para fazer uma participação no filme. O artista aceitou de bom grado, no entanto, sua aparição foi bem diferente das inúmeras que ele faria anos mais tarde. Lee não apareceu como um motorista de ônibus, um carteiro, entregador ou qualquer pessoa aleatória. Não. Stan Lee interpretou a si mesmo.

Publicidade
continue a leitura

Na cena, ele aconselha um jovem que foi deixado pela namorada a repensar suas atitudes. Durante a conversa, o artista cita sua própria amorosa como exemplo, a fim de convence-lo de que o amor vale qualquer sacrifício. A referência feita em Capitã Marvel, indica que, ali, Lee também não era qualquer pessoa aleatória. Stan Lee era simplesmente ele mesmo.

Assista a cena.

Publicidade
continue a leitura

Publicado em: 08/03/19 18h07