Curiosidades

Epidemia de roubos de cabos mudará semáforos no Brasil

0

Muitas pessoas podem nem saber que esse problema está acontecendo, mas os casos de furtos de cabos de cobre estão disparando. E por conta deles são causados transtornos como apagão dos semáforos e a interrupção de outros serviços, como por exemplo, o fornecimento de energia elétrica, de telefonia e até do transporte ferroviário. E esse problema tem afetado várias metrópoles do nosso país.

Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), que é relacionada com a Prefeitura de São Paulo, normalmente são registrados 20 chamados diariamente com relação a vandalismo de furto de cabos de semáforos. E para que novos cabos sejam instalados, conforme a própria CET, são necessárias mais de 12 horas de trabalho.

Para se ter uma noção do tamanho dessa epidemia, entre janeiro e março foram registrados 2.018 casos de furtos de cabos. Por conta disso, foram precisos 211,3 quilômetros de fios para fazer toda a reinstalação. Esse volume é quase o dobro do visto nos últimos três meses de 2022.

Cabos de semáforos

G1

O motivo desses cabos de semáforos serem furtados é o preço do cobre, que geralmente é o material usado para fazer a fiação e componentes eletroeletrônicos. Desde o começo da pandemia, o preço desse material aumentou muito, principalmente depois que a Rússia invadiu a Ucrânia. Colocando em números, o preço dele mais do que quintuplicou desde o começo de 2020.

E os furtos desses cabos tem a finalidade de abastecer os desmanches e o mercado ilegal de cobre no país. Os casos tem aumentado tanto em várias cidades do Brasil que várias prefeituras começaram a trocar os fios de cobre dos semáforos e da rede elétrica por cabos de alumínio, que são menos eficientes para a condução de eletricidade, mas mais baratos.

Em São Paulo especificamente, a CET informou que a concessionária responsável pela manutenção dos semáforos, a Ilumina SP, está estudando alternativas para a mudança do fio de cobre. Ela também disse que o custo para essas reposições por conta dos furtos não gera custos adicionais para a administração municipal.

A mesma coisa também é vista no Rio Grande do Sul. De acordo com a Rádio Gaúcha, a CEE Equatorial, concessionária local de energia elétrica, fez a substituição de aproximadamente 150 quilômetros de cabos de cobre por fios de alumínio no ano passado.

Onda de furtos

Semob

O número desses furtos aumentou tanto que se tornou uma preocupação grande Tanto que a Câmara dos Vereadores de São Paulo aprovou uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para que seja investigada essa onda de furtos de cabos de semáforos.

Além disso, também se buscam soluções para que essa epidemia criminosa seja contida. Essa ação é feita com a colaboração de órgãos como a CET e o Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) d  Polícia Civil.

De acordo com o vereador Coronel Salles, que é o relator da comissão, essa CPI também irá fazer a análise do caminho que esses fios furtados fazem para conseguir propor mudanças na legislação com relação ao comércio de fios e cabos de cobre.

Mudança

Correio de Minas

Além da mudança nos fios, os semáforos podem ter uma outra mudança em breve. Ela será feita nas conhecidas três cores. Isso pode acontecer porque, conforme especialistas viram, os carros autônomos estão sendo mais vistos nas ruas e para eles um sinal na cor branca começará a fazer parte dos semáforos.

Com isso, as cores dos semáforos serão: vermelha, amarela, verde e branca. Essa mudança no trânsito é para ser feita no mundo todo e tem o objetivo de dar uma fluidez maior no tráfego de veículos, especialmente nos grandes centros urbanos.

A mudança veio por conta do aumento dos carros autônomos, que são os veículos com uma tecnologia avançada e não precisam de uma pessoa dirigindo. Esse tipo de carro é equipado para conseguir perceber o ambiente à sua volta e andar por ele tomando decisões certas. O carro autônomo dirige, faz manobras, acelera e freia sem precisar de uma pessoa.

A implementação da quarta cor se deu através de um estudo feito pelos pesquisadores da North Carolina State University, nos EUA. Em seu estudo, eles queriam que as três cores se mantivessem como são e desempenhando as mesmas funções no trânsito. Ou seja, verde dizendo “siga”; amarelo, “atenção”; e vermelho, “pare”. E no caso do branco, ele iria servir para alertar os motoristas a “seguir o carro à sua frente”.

Na visão dos pesquisadores, essa mudança tem o potencial de diminuir de forma significativa os atrasos no trânsito. Isso porque essa luz branca iria indicar aos motoristas que os AVs estão coordenando seu movimento e também o trânsito. Isso tornaria o tráfego mais eficiente nos momentos de congestionamento.

Essa melhora viria porque a ideia é que os veículos autônomos se comunicassem uns com os outros e também com os semáforos nos cruzamentos que estivessem em seu alcance. Dessa forma, o motorista humano será informado pela luz branca. No caso, se ela apagar, quer dizer “pare”, mas se ela estiver acessa significa “continue”.

Fonte: UOL,  IG

Imagens: G1, Semob,  Correio de Minas

Tatá Werneck relembra 2 anos sem Paulo Gustavo: “Lembro de você todos os dias”

Artigo anterior

O que falta para a polícia descobrir sobre o motorista do caso ”menos um fazendo L”

Próximo artigo