• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


Esse pequeno chip pode curar qualquer órgão, entenda

POR Gustavo Camargo    EM Ciência e Tecnologia      14/08/17 às 12h39

Todos os dias e a todo momento, cientistas e pesquisadores buscam novos tipos de curas para doenças que hoje em dia muitos consideram "incuráveis".

Oque muitos pensavam que era apenas ficção científica recentemente se tornou realidade: alguns órgãos foram totalmente curados por um simples chip. Os responsáveis pela tecnologia inovadora, afirmam que em pouco tempo poderão restaurar qualquer órgão do corpo. Os desenvolvedores são uma equipe de pesquisadores do Wexner Faculdade de Medicina da Universidade Estadual de Ohio e da Faculdade de Engenharia da Universidade de Ohio em Columbus.

A invenção tem como objetivo mudar a função das células de forma não invasiva. É baseado em um tipo de nanotecnologia chamado: tecido nanotransferencia, que pode reprogramar células adultas vivas em qualquer outra célula. A tecnologia se baseia em dois elementos, o primeiro é o chip. Usando a nanotecnologia, cientistas usaram um dispositivo que poderia injetar uma carga genética na célula. O segundo elemento é a própria carga genética: o chip carrega um código genético específico na forma de ADN ou ARN, quando aplicados a células, muda a sua estrutura e as funções acima e reprograma tão necessário para reparar o dano.

A reprogramação é enviada para o celular usando um 'altamente intensa e focada através do campo elétrico nanocanal ordenou'. Em suma, o chip é colocado sobre a pele e com um toque, uma pequena corrente elétrica canais de forjamento quase imperceptíveis no tecido.

O DNA ou RNA é enviada através destes nanocanais e começa o processo de células reprogramadas, dando-lhes um novo "identidade" . "Apenas uma fração de um segundo é necessário, você tem que tocar o chip na área lesada e, em seguida, remova -o , apenas, em seguida, a reprogramação de células começa ," diz Chandan Sen, líder do trabalho.

Os primeiros teste do dispositivos foram realizados em ratos, e a tecnologia foi aplicada sob a pele dos animais. O dispositivo conseguiu transformar com sucesso células da pele de murganhos em células vasculares. "Em uma semana que começou a notar a transformação ," diz Sen.

Na segunda semana do teste, as células tornaram-se vasos sanguíneos funcionais e na terceira semana as pernas dos roedores foram completamente curada sem outra intervenção farmacológica.

E ai, acham que esse estudo vai para frente? Comenta ai e não se esqueça de compartilhar com os amigos, lembrando que seu feedback é sempre muito importante.

Próxima Matéria
Gustavo Camargo
A verdade é que eu queria ser astronauta, mas na minha cidade ainda não tem a escolinha. Instagram: gustavoloopi
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+