Curiosidades

Esses são os indícios de que você está caindo em um golpe

0

Mesmo que sempre saiam notícias sobre golpes na mídia, as pessoas ainda caem e são extremamente prejudicadas por eles. Ainda mais quando a promessa é extremamente tentadora. Ainda que a maior parte das pessoas saiba que o ditado “quando a esmola é muita, o santo desconfia” faz todo sentido, em alguns casos elas esquecem disso na esperança de que determinada oferta seja real e acabam caindo em um golpe.

No Brasil, os golpes virtuais viraram uma febre bastante perigosa. Tanto que, de acordo com uma pesquisa feita pela Nord Security, uma empresa de segurança digital, pelo menos 71% dos brasileiros já sofreram alguma tentativa de fraude eletrônica.

Essa porcentagem é reforçada por um estudo da AllowMe, que é especialista em cibersegurança, que mostra que pelo menos 51% dos brasileiros já sofreram tentativas de golpes entre janeiro e setembro do ano passado.

De acordo com especialistas em cibersegurança, por mais que os golpistas aperfeiçoem suas técnicas, existem padrões que podem ser identificados. Isso faz com que seja mais fácil da vítima se tocar de que ela está sendo vítima de um golpe.

“Cada golpe tem uma característica específica na qual, ao se comparar com a execução de uma operação verdadeira, conseguimos extrair informações valiosas e detectar o golpe”, destacou Diego Marcos Moreira, diretor de segurança da informação do Instituto de Defesa Cibernética (IDCiber).

Segundo Márcia Netto, CEO da Silverguard, especialista em cibersegurança, os golpistas usam do que se conhece como “engenharia social”. Que não passam de “histórias muito bem elaboradas, convincentes, contextualizadas e que se renovam frequentemente”.

“Os golpistas personalizam o golpe de acordo com fotos e informações da vítima coletadas pelas redes sociais, celular roubado ou por listas com dados sensíveis vendidas ilegalmente na Dark Web”, disse Márcia.

“É fundamental que as pessoas estejam atentas a sinais de alerta que podem indicar que estão sendo alvos de um golpe virtual. Isso se adquire com educação periódica e sistemas básicos de proteção para os dispositivos. Alguns sinais comuns que devem acionar o alerta de uma potencial vítima”, completou Longinus Timochenco, vice-presidente de cibersegurança da Clear IT, empresa que oferece soluções de proteção de dados.

Sinais para saber que é golpe

Olhar digital

1 – Pedido de senhas

Quando uma pessoa liga ou manda mensagem pedindo para confirmar senha do banco ou de qualquer outra conta é cilada. Nesse tipo de golpe, as abordagens são as mais variadas, indo desde um falso atendente de banco até um funcionário de instituições de crédito.

Normalmente, os golpistas têm uma boa articulação e têm um discurso pronto, alegando uma falsa invasão na conta e que por isso precisam da confirmação da senha e outros dado. A realidade é que bancos não têm esse padrão.

2 – Urgência em pedidos

Para alguns golpistas, o tempo é crucial. Por isso que eles entram em contato com a vítima e passam um senso de urgência para que a vítima seja forçada a dar seus dados sem pensar nas consequências.

Esse senso de urgência também é usado no conhecido “golpe do pedido do pix”, em que o criminoso clona o WhatsApp de uma pessoa e entra em contato com seus parentes e amigos para pedir dinheiro.

“Sempre duvide da urgência colocada pela pessoa que está tentando fazer o golpe. Geralmente ela pede ações rápidas da vítima, fazendo com que ela não tenha tempo de pensar ou avaliar melhor a situação”, disse Júlio Concílio, do Instituto Brasileiro de Segurança Cibernética (Ibsec).

3 – Preço baixo

O que todo mundo quer é comprar o seu produto dos sonhos com um preço baixo. Por isso que quando as pessoas veem determinadas ofertas elas se empolgam, mas conforme alerta Márcia, o problema é que ela pode ser um golpe.

No caso de ver uma oferta muito tentadora, a pessoa deve pesquisar a reputação da empresa ou do site para saber se aquilo realmente é verdade, se está na loja de verdade ou se é um golpe.

“Se a oferta do produto ou serviço está muito abaixo do preço ou boa demais pra ser verdade, geralmente é golpe”, alertou Márcia.

4 – Erros de português

Mesmo com os criminosos usando a inteligência artificial para fazer e-mails com menos “cara de fraude”, ainda existem pequenos erros na escrita e até na fala, se o golpista ligar para a vítima, que podem entregar que aquela situação não é real. Isso porque, os funcionários de bancos ou grandes empresas financeiras são treinados para que falhas como essas não aconteçam.

“Preste muita atenção em detalhes como erros ortográficos e pronúncias informais em ligações”, frisou Diego.

5 – Pagamentos antecipados

Se a pessoa receber algum pedido para fazer o pagamento antecipado para liberar produtos ou serviços que não dependem do dinheiro para serem liberados é um grande alerta de golpe. Alguns exemplos disso são vagas de empregos ou descontos em compras.

6 – Pagamentos a terceiros

Em compras pela internet é extremamente importante ficar de olho no destino do dinheiro. No momento do pagamento, olhe o nome que está no boleto ou na conta do Pix e se ele está de acordo com o nome da loja virtual. Isso porque, normalmente os golpistas usam contas bancárias de terceiros para receber o valor dos golpes.

O que fazer?

SET

Segundo os especialistas em cibersegurança, existem coisas a serem feitas se a pessoa perceber que está sendo vítima de um golpe. São elas:

  • interromper o contato imediatamente;
  • registrar um boletim de ocorrência;
  • mudar as senhas dos bancos, redes sociais e e-mails;
  • registrar tudo se possível, como por exemplo, o número que entrou em contato, o horário, ou os prints.

Fonte: UOL

Imagens: Olhar digital, SET

Apple pode cobrar taxa para permitir que usuários instalem apps por fora da loja no iPhone

Artigo anterior

Mais de 160 planetas podem ser habitáveis, aponta estudo

Próximo artigo