Curiosidades

Golpe! Programa do governo ainda não lançado é usado para dar golpes

0

Mesmo que sempre saiam notícias sobre golpes na mídia, as pessoas ainda caem e são extremamente prejudicadas por eles. Ainda mais quando a promessa é extremamente tentadora. Ainda que a maior parte das pessoas saiba que o ditado “quando a esmola é muita, o santo desconfia” faz todo sentido, em alguns casos elas esquecem disso na esperança de que determinada oferta seja real e acabam caindo em um golpe.

Infelizmente, a maneira que os criminosos encontram de enganar as pessoas cresce e se diversifica muito rápido. Tanto que, um novo golpe está usando um programa do governo que ainda nem foi lançado.

No começo do ano, o governo federal fez o anúncio de um programa que iria possibilitar a compra de passagens aéreas por R$ 200 chamado Voa Brasil. No entanto, ele ainda não foi lançado e nem tem uma data prevista para começar a funcionar. Mas isso não impediu os criminosos de o usarem para dar golpes nas pessoas.

Golpe

Folha de São Paulo

De acordo com um levantamento feito pelo NetLab, um laboratório de pesquisa da Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), foram identificados 457 anúncios falsos que envolviam o programa Voa Brasil em somente 24 horas.

Quando a possível vítima clicava na propaganda ela era redirecionada para um chat, que também era falso, com o símbolo do governo federal. Nessa hora, os golpistas pedem o número do CPF da pessoa.

Segundo Rose Marie Santini, coordenadora do NetLab, qualquer pessoa com um cartão de crédito consegue postar um anúncio nas redes sociais, sendo ele verdadeiro ou não.

Outro ponto é que não existe uma legislação no nosso pais que obrigue as redes sociais a darem relatórios com dados do que foi anunciado, quem pagou e publicou ou quantas pessoas viram determinado anúncio. Pontos que, na União Europeia por exemplo já são obrigatórios.

“A primeira coisa que a gente precisa fazer é para que as plataformas respeitem as leis brasileiras. Respeitem as leis existentes e se submetam ao mesmo regime jurídico de qualquer publicidade fora do ambiente digital. Então, essa é a primeira questão urgente”, disse Rose.

Conforme o Secretário Nacional do Consumidor, ele disse que deu um prazo de 72 horas para que as plataformas apaguem todos os anúncios falsos do Voa Brasil. Essa mesma ordem aconteceu em setembro com relação ao Desenrola Brasil, outro programa do governo sobre negociações de dívidas.

Mesmo assim, depois de dois meses, o NetLab ainda conseguiu encontrar vários anúncios nas redes sociais que tentavam dar o golpe nas pessoas.

Redes sociais

Olhar digital

De acordo com o relatório divulgado pelo Federal Trade Commission (FTC), dos EUA, os golpes feitos nas redes sociais são os mais lucrativos. Para se ter uma noção, somente em 2021, foram 770 milhões de dólares roubados de norte-americanos. Esse valor foi três vezes maior do que em 2020.

Por conta disso é importante sempre saber como e por onde esses golpes tendem a ser mais comuns. Os vídeos curtos são os favoritos dos golpistas. Até porque, o consumo desse tipo de conteúdo tem crescido bastante. Prova disso é que em 2021, o TikTok ultrapassou o Google como sendo o site mais visitado do mundo.

O crescimento do consumo dessas mídias chamou atenção dos criminosos, fazendo com que os vídeos curtos se tornassem a forma preferida deles para aplicarem seus golpes. Os mais comuns são feitos com o roubo e a edição de vídeos de personalidades e influencers nas redes sociais.

Além disso, um estudo feito pela Tenable mostrou como os golpistas criam suas transmissões próprias no formato de live do TikTok, roubando vídeos para fazer a promoção de gifs com vírus que redirecionam os usuários para sites de relacionamento adulto.

O estudo também fez a análise de 50 canais do YouTube, dos quais a maior parte das publicações era no formato short, com vídeos roubados do TikTok, e tendo mais de 3,2 bilhões de visualizações.

E conforme os tempos foram mudando, as formas dos golpes também sofreram mudanças. Por exemplo, no começo da internet era comum se ouvir falar do e-mail phishing, em que um príncipe nigeriano dizia estar em perigo e queria usar as contas das pessoas para movimentar milhões de dólares.

Mas é claro que hoje em dia os golpes virtuais estão bem mais sofisticados, podendo começar em uma rede social e terminar em outra, além de também usarem outros usuários para legitimar o golpe, ou até usar serviços reais.

No entanto, mesmo que as formas como os golpes funcionam variam e se adaptam a cada nova rede social, seus tipos normalmente são bastante parecidos.

O mais prudente é saber algumas coisas a serem feitas para tentar evitar cair em algum deles.

Ser cético: é importante duvidar de tudo logo de primeira antes de tomar alguma ação.

Veja a qualidade dos vídeos e fontes: é notório que a maior parte dos vídeos de golpe tem uma qualidade baixa justamente por eles serem ilícito ou roubados de outras plataformas. Por isso é sempre recomendável fazer uma análise do perfil.

Atenção em dobro em tweets com marcação de vários perfis: mesmo que o tweet seja feito por uma conta verificada, se a pessoa é marcada com frequência ou se a publicação tem várias contas marcadas é importante ficar atento.

Verificar a veracidade: para evitar cair em golpes, jamais compartilhe informações sensíveis nos sites, se inscreva ou compre alguma coisa sem buscar o site original para comparar o link que foi divulgado nas redes sociais.

Fonte: Olhar digital,  Tecmundo

Imagens: Folha de São Paulo, Olhar digital

Via Láctea: estrelas fugitivas e uma ‘irmã gêmea’, os novos mistérios de nossa galáxia

Artigo anterior

OpenAI planeja levar ChatGPT para salas de aula. Saiba como

Próximo artigo