• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE

A história devastadora de um cadáver do Monte Everest

POR Leticia Rocha    EM Curiosidades      04/09/18 às 14h46

Em maio de 1953, Edmund Hillary e Sherpa Tenzing Norgay conseguiram pela primeira vez na história da humanidade chegar ao topo do Monte Everest. Com 8.848 metros de altitude, trata-se da montanha mais alta do mundo.

Desde que a dupla conseguiu concretizar a escalada, outros inúmeros grupos tentaram fazer o mesmo. Infelizmente,  nem todos tiveram sucesso. Devido as condições do local, várias dessas pessoas acabaram morrendo durante a subida. Há pelo menos 150 corpos abandonados ao longo do Monte Everest.

Os corpos não são recolhidos porque é muito arriscado realizar o resgate, devido a todas as condições do local. Além de também custar caro.

Ponto de referência

Há cerca de 150/200 corpos abandonados ao longo da montanha. Os corpos não são apenas abandonados, eles são usados como ponto de referência por outros aventureiros. Geralmente, se referem ao corpo pela cor de suas roupas. É este o caso do "Botas Verdes". O homem não identificado, morreu em 1996 junto de seus colegas alpinistas.

No total, o grupo era formado por 8 pessoas, 5 dessas pertenciam às expedições Adventure Consultants e Mountain Madness. Os outros 3 faziam parte da expedição da Polícia de Fronteira Indo-Tibetana. Essa última era a equipe do Botas Verde.

Aparentemente a equipe conseguiu chegar ao topo da montanha, no entanto, uma tempestade de neve pegou o grupo, que não resistiu ao frio extremo. O corpo provavelmente é de Tsewang Paljor, o único do trio que não havia sido encontrado. Os corpos dos amigos Paljor, foram localizados e removidos, no entanto o mesmo não ocorreu com Botas Verdes.

O corpo do homem estava em uma caverna de calcário, a uma altitude de 8.500 metros, em posição fetal, apoiado com o lado esquerdo de seu corpo. O local era muito difícil de acessar e talvez por isso, não conseguiram localizá-lo.

Os alpinistas então começaram a usar o Botas Verdes como referência para suas rotas. Em 2014, foi relatado que o corpo de Paljor havia desaparecido. Chegaram a cogitar que o governo da Índia havia pagado para realizar o resgate.

No entanto, em 2017, descobriram que seu corpo ainda estava lá na caverna. A equipe de alpinistas liderada por Alexander Abramov encontrou o corpo do Botas Verdes e o enterrou no local.

Próxima Matéria
Via   Supercurioso  
Leticia Rocha
Estudante de Jornalismo, apaixonada por pequi, vendedora de pão de mel e de tudo que colocar na minha mão!
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+