A incrível história do homem deixado para morrer no Everest duas vezes

POR Gustavo Camargo    EM Curiosidades      16/04/18 às 16h57

O Monte Everest é a considerada a montanha de maior altitude da Terra. Ela está localizada na cordilheira Mahalangur Himal, no Nepal. Seu pico está a 8.848 metros acima do nível do mar.

Beck Weather adorava desafios e durante a década de 90 decidiu escalar os setes cumes mais altos do mundo. Logo após escalar o Vinson Massif, na Antártida, decidiu seu novo destino, o Everest. Em 1996, ele e mais sete alpinistas chegaram a base do morro para subir a montanha, que leva uma média de 12 e 14 horas.

Era programado uma escalada sem complicações, mas não foi exatamente isso que aconteceu. Naquele dia ocorreram uma sequência de fatos que proporcionaram a Weathers uma das mais incríveis histórias de sobreviventes. Apesar do tempo limpo no início do dia, aquele dia estava destinado a ter uma das piores nevascas da história do Everest.

Algum tempo depois, cerca de 12 pessoas foram adicionadas aos mais de 200 cadáveres que se encontram no Everest. E por algum motivo, o nome de Beck não estava entre eles.

Uma das primeiras coisas que Beck aprendeu é que subir uma montanha logo após fazer uma cirurgia ocular não é lá uma ideia muito boa. Algum tempo antes de realizar a subida, ele tinha passado por um método antigo de correção da miopia, que fazia pequenos cortes na córnea.

Ao chegar a uma determinada altura, a altitude gerou algum tipo de reação e ele não conseguia enxergar com clareza. Os líderes da expedição fizeram com que Beck ficasse na lateral da trilha e não continuasse o caminho, porque quanto mais perto do pico da montanhas, mais perigoso fica o trajeto.

Beck ficou no lugar designado, mas o líder da expedição, Rob Hall, nunca voltou para buscá-lo. Quando estavam quase chegando ao pico, outro membro da equipe passou mal e Hall decidiu ficar com ele até que melhorasse. Mas o frio lá em cima é mortal e eles acabaram morrendo.

Depois de mais de 9 horas de espera, finalmente a expedição retornou do topo e levaram Beck com eles. Mas a noite estava logo ali e eles estavam presos em uma nevasca. Um dos alpinistas descreve aquela noite assim: "Tudo era branco, neve de todas as direções, não víamos nada".

Nevasca

Durante a noite avassaladora, um guia russo encontrou toda a expedição e os ajudou a voltar para a terra firme. Entretanto, a mão de Beck estava congelada e estava aparentemente morto, depois de ser derrubado por uma rajada de vento. O guia achou que ele estaria sem vida e ele foi deixado para trás.

No outro dia, um médico teria subido até lá para ver Beck e uma japonesa chamada Yasuko Namba, que também foi deixada para trás. Ela já estava morta, e Beck estava perto disso. O homem estava em coma e seus órgãos congelados. O médico disse que não conseguiria salvar nenhum dos dois.

Só que algo aconteceu e ele acordou. Além disso ele conseguiu descer sozinho até a base. No fim disso tudo, Beck perdeu o braço direto, partes dos pés, dos dedos da mão esquerda e seu nariz.

Everest

E aí, o que acharam da matéria? Comenta aí e não se esqueça de compartilhar com os amigos, lembrando que seu feedback é sempre muito importante.

Gustavo Camargo
A verdade é que eu queria ser astronauta, mas na minha cidade ainda não tem a escolinha. Instagram: gustavoloopi

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+