Compartilhando coisa boaCuriosidades

Homem descobre que sua sumida mãe biológica estava a 103 km dele

0

Às vezes, a pessoa que procuramos pode estar muito mais perto do que a gente pensa… No interior de São Paulo, um homem se encontrou com sua mãe biológica após 40 anos. Para esse momento histórico, ele precisou andar apenas uma hora e meia de carro, no entanto, esse encontro não foi tão simples assim.

Fonte: Arquivo pessoal

Quatro décadas de procura!

Em 1981, Valdir dos Santos Buccioli veio ao mundo, tendo como sua mãe  Aparecida Gomes dos Santos. Ele nasceu no Paraná, onde com apenas dois dias de vida foi entregue à adoção. Sendo assim, uma família de Douradina (PR) ofereceu todas as condições para que o rapaz pudesse se desenvolver com saúde.

Depois de crescer, Valdir se mudou para a cidade de Sorocaba, município de 601 mil habitantes no interior de São Paulo. Apesar de estar em um vida nova, ele não desistiu do objetivo de encontrar sua mãe biológica.

Sendo assim, o homem de 40 anos resolveu fazer uma nova visita ao hospital em que nasceu. Como resultado disso, ele descobriu que sua mãe se chamava Aparecida Gomes dos Santos, e tornou cada vez mais pública a sua busca pela mulher de 61 anos.

Diante disso, a família da senhora ficou ciente da procura de Valdir e entrou em contato com ele. Foi aí que o sujeito atrás de suas raízes descobriu que sua mãe morava em Santa Bárbara D’Oeste, a apenas 103 km de Sorocaba. De carro, o trajeto leva cerca de uma hora e meia.

Fonte: ACISB

Portanto, sobrava agora apenas a promoção do encontro entre mãe e filho, e vontade para isso existia em ambas as partes. Então, após 40 anos, o homem viu a pessoa que lhe trouxe ao mundo, em uma reunião ocorrida no dia 1º de maio.

O abraço do reencontro recebeu registro em vídeo e transmite toda a dor de quatro décadas de distância. “Quando eu vi ele indo embora, eu achei que nunca mais ia vê-lo. Meu pai e minha mãe eram muito pobrezinhos, mas Deus ajudou e eu vi ele de novo. Não tinha um dia que eu não pensava nele”, conta Aparecida ao G1.

Uma nova família

Além de localizar sua progenitora, Valdir descobriu que sua família é bem maior do que ele pensava. Afinal, Aparecida possui outros quatro filhos e cinco netos, ou seja, o homem do Paraná é tio. “Estou feliz por ter conhecido a minha mãe e só tenho a agradecer. Agora tenho duas mães, duas famílias, graças a Deus”, diz ele de forma grata.

A propósito, a vontade do sujeito em saber de suas origens ficou ainda mais aguçada depois que ele se casou com Priscila Wopp, de 35 anos. “Foi depois que eu casei com a minha esposa que fiquei curioso. É do coração da gente de querer conhecer. Não sei se ela está no Paraná“, disse ele na reportagem do G1 que tornou sua busca nacionalmente pública.

Fonte: Arquivo pessoal

Sua esposa, por sua vez, ficou muito feliz com a realização do sonho de seu marido. “Quero mais que ele dê amor para ela, falei que o que precisar a gente vai estar aqui também. Porque agora ele tem uma família maior, ele sempre foi criado sozinho, era filho único com os pais. Agora é curtir essa família”, reflete ela.

Nesse sentido, quanto ao pai de Valdir, este foi morto em um bar no estado de Rondônia, de acordo com o que sua família adotiva lhe contou. Ainda segundo o rapaz paranaense, ele recebeu um tratamento excelente de sua família adotiva, e entende os motivos que fizeram sua mãe biológica lhe doar.

“Na época que ela me teve, era muito nova e não tinha condições, comia casca de mamão para sobreviver. Os meus pais ficaram sabendo que tinha uma criança que precisava ser adotada e assinaram os papéis”, relembra Valdir.

Fonte: Aventuras na História, G1.

Filho de Rihanna já lidera lista de bebês mais ricos de celebridades

Matéria anterior

Aplicativos de encontros podem despertar o que há de pior em algumas pessoas

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos