• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE

Isso é o que você deveria fazer se uma bomba nuclear explodisse perto de você

POR Jesus Galvão    EM Ciência e Tecnologia      05/04/19 às 15h07

Caso uma bomba nuclear explodisse próximo a você, tudo o que você conseguiria ver é uma gigantesca fonte de luz. Tão brilhante que você provavelmente acharia que o Sol teria explodido. Após alguns minutos de cegueira temporária, você conseguiria ver no horizonte uma grande bola de fogo laranja.

As chamas em uma coluna de fumaça escura formariam um grande cogumelo e um barulho ensurdecedor provavelmente lhe fariam tapar os ouvidos. Isso caso você tenha sobrevivido a uma explosão nuclear de energia de cerca de 10 mil toneladas (10 quilotons) de dinamite. Isso é 66% da energia liberada pela bomba atômica que caiu no Japão, em 1945.

Pode parecer algo completamente hipotético e um tremendo exagero, mas existem aproximadamente 14.900 armas nucleares ao redor do mundo. A detonação de uma bomba nuclear deste tipo nas mãos de pessoas mal intencionadas facilmente poderia ocorrer.

O que não fazer

Caso você entrasse em pânico, uma vez algo desse tipo não acontece todos os dias, Brooke Buddemeier, físico e especialista em radiação do Lawrence Livermore National Laboratory, disse ao Business Insider que há uma coisa que você não deve fazer em hipótese alguma: "não entre em seu carro". E completou dizendo para que as pessoas, de forma alguma, dirijam ou assumam a direção, uma vez que o vidro e o metal de um veículo não poderão protegê-las.

Evitar dirigir após uma explosão é uma decisão sábia porque muito provavelmente as ruas vão estar repletas de destroços. Além de muitas pessoas tentando se locomover em seus carros e com muitos acidentes, que ocorreriam em decorrência disso. Mas, segundo Buddemeier, ainda existe um outro fator para lhe manter longe de um carro. O terrível efeito chamado fallout.

O fallout é uma complexa mistura de produtos de fissão ou radioisótopos, criados na divisão dos átomos. Muitos desses produtos vão cair rapidamente e emitem radiação gama. A exposição a essa radiação, mesmo que em um curto período, pode danificar as células do seu corpo e a capacidade de se curar. Essa condição é chamada de doença da radiação aguda.

"Isso também afeta o sistema imunológico e sua capacidade de combater infecções", diz Buddemeier. Apenas materiais muito densos e espessos, como muitas camadas de terra ou chumbo, poderiam interromper a ação da radiação de forma confiável.

"A bola de fogo de uma explosão de 10 quilotons é tão quente que, na verdade, dispara para a atmosfera a mais de 100 quilômetros por hora. Estes produtos de fissão se misturam com a sujeira e detritos que são extraídos para a atmosfera da bola de fogo", disse Buddemeier.

O que fazer

Uma vez preso em qualquer outra coisa na área da explosão, com areia, sujeira, cimento, metal, etc., os produtos de fissão com radiação gama podiam voar a mais de 8 km no ar. Grandes peças iriam cair, enquanto leves partículas poderiam ser carregadas pelo vento para áreas muito distantes.

"Perto do local da explosão, eles podem ser um pouco maiores que o tamanho de uma bola de golfe, mas realmente estamos falando de coisas como partículas do tamanho de sal ou areia. E é a radiação gama penetrante que sai daquelas partículas que é o perigo". afirmou o físico. O que nos faz lembrar o porquê de um carro não ser um bom lugar para nos escondermos ou para nos ajudar a fugir.

"Os veículos modernos são feitos de vidro e metais muito leves, e quase não oferecem proteção. Você só vai se sentar em uma estrada em algum lugar e ser exposto", disse ele. Ainda segundo Buddemeier, muitas pessoas afirmaram que seria essa a sua primeira reação a uma explosão nuclear.

O melhor a se fazer, de acordo com ele para garantir a sua sobrevivência após um desastre nuclear, é se abrigar em algum tipo de "estrutura robusta" o mais rápido possível. "Entre e chegue ao centro do prédio. Se você tiver acesso a áreas abaixo do solo, ótimo. Fique por lá de 12 a 24 horas", afirmou.

A razão para esperar é aguardar os níveis de radiação diminuírem exponencialmente e representarem menor perigo. Só saia de lá caso tenha que procurar um abrigo mais forte. Depois de se abrigar, procure contato com alguém. "Tente usar qualquer ferramenta de comunicação que você tenha", disse ele.

Então pessoal, o que acharam da matéria? Deixem nos comentários a sua opinião e não esqueçam de compartilhar com os amigos.

Próxima Matéria


Matérias selecionadas especialmente para você

Jesus Galvão
Goiano, Canceriano e Publicitário.
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+