Ciência e Tecnologia

Memórias de um helicóptero: missão da Nasa que fez voos históricos em Marte chega ao fim após acidente

0

O mini helicóptero Ingenuity da NASA, que tem seu lugar no “Guinness World Records” pelo voo mais longo em Marte, se aposentou e saiu de serviço neste mês. No entanto, o encerramento foi forçado, devido a danos resultantes de um pouso de emergência.

Ao longo de mais de três anos, a missão do Ingenuity marcou avanços científicos notáveis. Ele foi pioneiro ao realizar o primeiro voo motorizado e controlado por humanos em outro planeta.

De acordo com a NASA, o término da missão aconteceu por conta de danos em uma ou possivelmente mais de uma de suas hélices, resultantes de um acidente após um voo vertical. A extensão exata ainda não foi determinada pela agência espacial norte-americana.

Um marco na história

Não se pode subestimar o impacto histórico do Ingenuity desde o momento em que chegou a Marte, embalado e acoplado à parte inferior do Perseverance, o robô que aterrissou no planeta vermelho em fevereiro de 2021, na cratera de Jezero, uma região que já foi um lago há bilhões de anos.

Inicialmente concebido como um dispositivo de teste tecnológico de curto prazo, em três anos, o helicóptero completou 72 voos, superando significativamente as expectativas da NASA.

Durante esses voos, acumulou mais de duas horas no ar e percorreu 18 quilômetros, ultrapassando em mais de 14 vezes o trajeto planejado.

4 recordes do Ingenuity

1. Primeiro voo em outro planeta

Via Nasa

Após realizar testes de rotação, em 19 de abril de 2021, o Ingenuity alcançou seu histórico primeiro voo motorizado e controlado na fina atmosfera de Marte, como parte de uma iniciativa da agência espacial americana para avaliar as condições de voo no planeta.

Na ocasião, o helicóptero subiu a uma altitude de 3 metros, permaneceu pairando e então pousou suavemente na superfície marciana.

Enquanto isso, o rover Perseverance, posicionado na área de “Van Zyl Overlook”, cerca de 64,3 metros de distância na Cratera Jezero, registrou as operações de voo por meio de suas câmeras.

Diferentemente do Ingenuity, o Perseverance continua operacional. Ele está no planeta como parte do Programa de Exploração de Marte da NASA.

Isso se deve ao objetivo do projeto, que não se limita apenas a uma melhor compreensão da formação e evolução inicial do astro, mas também à análise da história dos processos geológicos que moldaram Marte ao longo do tempo e à interpretação científica do potencial do planeta para ter hospedado vida.

2. Voo recorde no Guinness

Em um período de quatro semanas desde o início de suas operações, o Ingenuity realizou mais de quatro voos, totalizando 499 segundos de voo e cobrindo uma distância horizontal de 357 metros sobre a superfície de Marte.

Entretanto, quase um ano depois, em 8 de abril de 2022, o helicóptero alcançou diversos recordes em seu 25º voo, percorrendo 704 metros pela cratera Jezero.

Oficialmente reconhecido pelo Guinness, este foi o voo mais longo já registrado em Marte até o momento.

Além disso, na mesma data, o Ingenuity estabeleceu um novo recorde de velocidade no solo, atingindo 5,5 metros por segundo, e outro recorde de duração de voo, totalizando 161,3 segundos.

Durante esta missão, sua câmera de navegação em preto e branco capturou registros significativos. Este equipamento fornecia dados em tempo real para o processador de navegação do Ingenuity, possibilitando respostas imediatas às condições do terreno durante suas operações.

Via Nasa

3. Desvendou os mistérios da poeira marciana

Durante seu penúltimo voo em 6 de janeiro, o Ingenuity enfrentou a necessidade de realizar um “pouso de emergência”. Ele acabou descendo mais rápido do que o planejado devido a problemas de navegação.

Doze dias depois, os controladores da NASA tentaram realizar um pequeno voo vertical para determinar a localização do helicóptero. Inicialmente, ele decolou, porém, logo começou a descer antes de perder contato com o Perseverance.

Consequentemente, a NASA teve que realizar um pouso de emergência que resultou em danos ao dispositivo.

Apesar da falha durante o 72º voo, o Ingenuity evidenciou a viabilidade de voar em Marte. Além disso, demonstrou como a exploração aérea pode contribuir para futuras missões no planeta vermelho e em outros corpos celestes.

Por meio dos dados dos voos, os cientistas puderam estudar, por exemplo, a dinâmica da poeira marciana, analisando o tamanho das nuvens levantadas pelo helicóptero e determinando sua densidade, dimensão e dispersão na atmosfera marciana.

Essa análise foi crucial para a ciência, pois ajudou a compreender a quantidade de poeira levantada pelo Ingenuity. Além disso, também auxiliou os engenheiros da NASA na previsão dos possíveis impactos da poeira na visibilidade durante os voos futuros de outras missões, garantindo a segurança das operações em Marte.

4. O começo de novas missões

Podemos afirmar que a missão do Ingenuity também teve como objetivo contribuir para o avanço do entendimento da geologia marciana. Esse foi um aspecto crucial para os preparativos de uma possível viagem tripulada ao planeta.

Missões futuras da NASA, em colaboração com a Agência Espacial Europeia (ESA), por exemplo, buscarão coletar amostras de solo e rochas marcianas para análise aqui na Terra.

Esse projeto faz parte da estratégia de exploração da NASA denominada “Da Lua a Marte”, que engloba as missões Artemis à Lua, visando preparar a exploração humana do planeta vermelho.

Se tudo ocorrer conforme os planos, dois veículos semelhantes ao Ingenuity serão encarregados de trazer amostras de Marte para nosso planeta.

Segundo a NASA, até 30 amostras serão coletadas até 2031 e deverão chegar à Terra em 2033. Isso porque o programa Mars Sample Return (Retorno de Amostras de Marte) está na etapa final de seu projeto de design.

Via Nasa

Mudança de rota

A importância do Ingenuity foi tanta que a NASA mudou seus planos de exploração. Anteriormente, planejava enviar um novo robô para Marte, construído pela ESA, para transportar os materiais científicos coletados pelo Perseverance até um foguete fabricado pelos Estados Unidos.

Agora, a missão visa fazer com que o próprio Perseverance se desloque até o módulo de pouso onde estará estacionado o referido foguete.

Nesse caso, se o robô não conseguir realizar essa tarefa, os novos helicópteros, inspirados no Ingenuity, entram em cena. Os dois dispositivos em construção carregarão as amostras coletadas pelo Perseverance.

Cada helicóptero está sendo projetado para transportar um tubo de amostra do robô por vez, realizando várias viagens de ida e volta.

As agências esperam que essa nova abordagem reduza a complexidade de futuras missões a Marte e aumente a probabilidade de sucesso do programa espacial.

 

Fonte: G1

Imagens: Nasa, Nasa, Nasa

Veja quais foram os 10 carros mais vendidos da história

Previous article

ChatGPT está vazando conversas e dados sigilosos para terceiros, diz relatório

Next article

Comments

Comments are closed.