Curiosidades

Pirâmide de rainha egípcia desconhecida é descoberta com centenas de múmias

0

Quando pensamos em Egito, uma das primeiras coisas que vem à mente são as pirâmides, seguida talvez de Cleópatra. Mas o que muitas pessoas não sabem, e até mesmos os pesquisadores não sabiam, é que existiram mais rainhas egípcias. Isso foi visto na descoberta de uma pirâmide de uma antiga rainha egípcia não documentada.

Junto com essa descoberta também estava um esconderijo de caixões, múmias e artefatos e uma série de túneis interconectados. A pirâmide está localizada na antiga necrópole Saqqara em Gizé, não muito longe do túmulo do rei Tut.

O que os pesquisadores acreditam é que o tesouro tenha pertencido a alguns dos generais e conselheiros mais próximos de Tutancâmon. A região de Saqqara tem sido escavada pelos arqueólogos nos últimos dois anos. E desde o começo do ano eles já fizeram várias descobertas, dentre elas, cinco túmulos pintados, o túmulo de um antigo dignitário e um sarcófago pertencente ao tesoureiro do rei Ramsés II.

Pirâmide

Aventuras na história

No começo da expedição, o foco foi na pirâmide vizinha de Teti, o primeiro rei da Sexta Dinastia do Egito. “Teti era adorado como um deus no período do Novo Império, então as pessoas queriam ser enterradas perto dele. No entanto, a maioria dos enterros conhecidos em Saqqara anteriormente eram do Reino Antigo ou do Período Final. Agora encontramos 22 poços interconectados, variando de 30 a 60 pés, todos com enterros do Novo Reino”, disse Zahi Hawass, um egiptólogo que trabalhava na escavação e que já foi ministro de Antiguidades.

Dentro desses poços, os pesquisadores encontraram um sarcófago enorme de calcário e 300 caixões do período do Novo Império, que também é chamado de Império Egípcio, datado do século 6 a.C. até o século 11 a.C.

“Os enterros do Novo Reino não eram comuns na área antes, então isso é totalmente exclusivo do local. Os caixões têm rostos individuais, cada um único, distinguindo entre homens e mulheres, e são decorados com cenas do antigo texto funerário egípcio Livro dos Mortos. Cada caixão também tem o nome do falecido e frequentemente mostra os Quatro Filhos de Hórus, que protegiam os órgãos do falecido”, explicou Hawass.

Descobertas

Gazeta do povo

Em cada caixão, os arqueólogos encontraram corpos de múmias bem preservadas, o que foi surpreendente, visto que elas estavam empilhadas. Mesmo assim, as múmias ficaram intocadas e em boas condições.

Além das múmias, nos caixões encontrados eles também descobriram vários artefatos, como por exemplo, jogos, pequenas estatuetas conhecidas como shabtis e estátuas do deus Ptah-Sokar, que representa o ciclo de nascimento, morte e ressurreição.

Eles também descobriram uma pirâmide de uma rainha até então desconhecida chamada Neith. “É incrível reescrever literalmente o que sabemos da história, adicionando uma nova rainha aos nossos registros”, disse Hawass.

Construção

Conhecimento científico

A história das pirâmides do Egito é envolvida em teorias da conspiração por aqueles que não acreditam que elas foram construídas por humanos como nós. De fato, a história pode gerar algumas dúvidas, já que os blocos de algumas das pirâmides podem chegar a ter dez toneladas. Da mesma forma, não haviam máquinas computadorizadas para realizar o “trabalho duro”, mas isso não impediu que tantas pirâmides fossem construídas.

Por 3800 anos, a Grande Pirâmide de Gizé, construída em 2560 a.C., foi considerada o “prédio” mais alto do mundo. Uma curiosidade a respeito da pirâmide que já quebrou recordes é que, na época em que foi construída, a roda ainda não havia sido inventada, então os egípcios não contaram com a ajuda de alguma espécie de veículo para transportar os grandes blocos.

Alguns acreditam que o serviço foi feito por alienígenas e não por humanos, mas tudo pode ser explicado para provar que pessoas, exatamente como nós, foram responsáveis por toda a construção. Apesar de muito interessante, o projeto das pirâmides é simples. Ela é, do ponto de vista arquitetônico, uma das ideias mais primordiais, o que contribuiu para que fosse construída em várias sociedades, como os mesopotâmios, os chineses, os maias e os astecas.

A tecnologia que deu origem às pirâmides é antiga e foi inventada pelo arquiteto Imhotep, que fez a pirâmide mais antiga de todas, a de Djoser (2648 a.C.). Antes dela, os faraós eram enterrados nas mastabas, que são tumbas subterrâneas cobertas por pilhas retangulares de blocos e com paredes inclinadas, que continuaram a ser usadas ao longo de milênios por egípcios fora da realeza.

A ideia de Imhotep, que corroborou na criação da primeira pirâmide, foi a de construir uma mastaba pequena sobre uma grande, depois uma menor ainda sobre essa, criando seis camadas. Ao final do processo, o “edifício” possuía 62 metros de altura e 125 de largura. A pirâmide de Djoser existe até hoje.

A ideia foi copiada pelo sucessor de Djoser, Sekhmet (2645 a.C) e assim por diante. No reino de Snefru (2613-2589 a.C.), uma inovação foi criada: a pirâmide lisa, da forma como conhecemos hoje. Uma parede única inclinada era feita do solo até o topo e coberta por calcário polido, dando um aspecto branco e brilhante. Essa parte, no entanto, desabou com os anos, sobrando só o “esqueleto”, como pode ser visto nos dias atuais.

Fonte: ARTnews, Recreio UOL

Imagens: Aventuras na história, Gazeta do povo, Conhecimento científico

Conheça o Koo, rede social que promete ”roubar” lugar do Twitter

Artigo anterior

Baba Yaga, conheça a história assustadora da bruxa do folclore eslavo

Próximo artigo