Curiosidades

Primeiro caso de um paciente com duas variantes de COVID-19 é relatado

0

O coronavírus é o assunto mais falado e noticiado nos últimos tempos. De fato, estamos vivendo um momento que ficará marcado na história do mundo. O COVID-19 deixará diversas sequelas no mundo.

Também não é para menos. A doença se espalhou pelo mundo e instaurou um alerta global de pandemia. E fez com que praticamente o mundo todo ficasse em isolamento social até os dias atuais. E o pior de tudo é que, mesmo depois de um ano, a pandemia não acabou e sabemos que o vírus não escolhe quem infectar.

Além de não escolher quem infectar, as pessoas podem se infectar mais de uma vez com esse vírus. E nesse primeiro caso relatado, uma mulher belga de 90 anos morreu por conta do vírus em março e ela contraiu a cepa do Reino Unido e da África do Sul ao mesmo tempo.

Caso

O caso dela foi discutido no Congresso Europeu de Microbiologia Clínica e Doenças Infecciosas (ECCMID) como sendo parte de uma pesquisa belga. E ele é considerado o primeiro caso desse tipo.

Essa mulher, supostamente não foi vacinada, e adoeceu em março. E de acordo com a emissora belga VRT, ela foi tratada em um hospital perto de Bruxelas. Aind  não ficou claro como ela foi infectada. No entanto, os médicos que a trataram disseram que a paciente poderia ter sido infectada por duas pessoas diferentes.

Por mais que os níveis de oxigênio dela, inicialmente, estivessem estáveis, sua condição se deteriorou bem rápido e ela acabou morrendo em cinco dias. Segundo a bióloga molecular Anne Vankeerberghen, é difícil dizer se essa coinfecção teve um papel na rápida deterioração da paciente.

“Ambas as variantes estavam circulando na Bélgica na época, então a senhora provavelmente estava co-infectada com vírus diferentes de duas pessoas diferentes”, disse ela.

Infecção

A bióloga trabalha para o hospital OLV na Bélgica, que está liderando a pesquisa. As descobertas feitas ainda não foram publicadas em uma revista médica.

Mesmo que existam outros casos publicados parecidos de coinfecção, os pesquisadores acreditam que o caso dessa belga mostra que é possível pegar duas variantes de COVID-19 ao mesmo tempo. “O fenômeno rovavelmente está subestimado”, ressaltou Vankeerberghen.

Existem variantes do coronavírus que estão preocupando os especialistas no mundo todo. Uma delas é a Delta que saiu da Índia. Ela é a variante mais infecciosa do que a original e é a que atualmente está causando a maior parte das novas infecções na Europa e nos EUA.

Nós vivemos em um multiverso?

Matéria anterior

10 atrizes que gravaram filmes e séries grávidas e ninguém reparou

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos

Você também pode gostar