Quais órgãos você não precisa para viver?

POR A redação    EM Ciência e Tecnologia      22/07/15 às 14h13

Você conhece o Papa Francisco? Ele não tem parte de um pulmão mas continua vivo. O pontífice de 78 anos, teve parte seu pulmão removido para tratar uma infecção que ele tinha cerca de 40 anos atrás, de acordo com a NBC News. Naquela época, esse era o tratamento mais comum contra infecções como a tuberculose.

As pessoas podem sobreviver mesmo que um pulmão inteiro seja removido. Quando um pulmão é removido, o pulmão remanescente infla para ocupar o espaço extra. Viver com um pulmão geralmente não afeta as tarefas diárias ou expectativa de vida, embora uma pessoa com um pulmão não seja capaz de exercer algumas atividades tão tenazmente como uma pessoa saudável.

Confira a seguir quais os órgãos que você pode viver sem:

Rim

1

Como você já deve saber, os seres humanos têm dois rins mas só precisam de um para sobreviver. As pessoas podem nascer com apenas um rim, ou ter um removido após uma lesão ou de uma doação. Em geral, as pessoas com um rim têm poucos ou nenhum problema de saúde e têm uma expectativa de vida normal, de acordo com a National Kidney Foundation. Tecnicamente, as pessoas podem viver sem os dois rins, mas nesse caso precisariam de diálise.

Baço

2

O baço filtra o sangue e ajuda o organismo a combater infecções, mas não é essencial para a sobrevivência. O baço pode ser removido, se, por exemplo, for danificado. No entanto, as pessoas sem baço são mais propensas a infecções.

"rgãos reprodutores

3

Mulheres podem viver sem útero. A cirurgia que faz essa remoção se chama histerectomia e geralmente é utilizada como tratamento para câncer, miomas uterinos, dor pélvica crônica ou por outros motivos. Cerca de 1 em 3 mulheres com mais de 60 anos nos Estados Unidos já fizeram o procedimento, de acordo com o National Institutes of Health. Os homens podem ter seus testículos removidos. Geralmente a remoção é feita como um tratamento para câncer de testículo.

Estômago

4

O estômago pode ser removido como forma de tratamento para o câncer de estômago. O procedimento é chamado de gastrectomia total. Neste procedimento, o intestino delgado fica ligado ao esôfago. Pessoas que fizeram uma gastrectomia total recebem alimentos através de uma sonda por algumas semanas enquanto eles se recuperam. Depois disso, eles são capazes de comer a maioria dos alimentos. Entretanto, a maioria precisa comer refeições menores e tomar suplementos alimentares já que podem apresentar problemas na absorção de vitaminas, de acordo com o Serviço Nacional de Saúde da Inglaterra.

Cólon

5

As pessoas podem ter o seu cólon removido como uma forma de tratamento do câncer do cólon ou da doença de Crohn, ou em alguns casos, para evitar o câncer do cólon. As pessoas podem viver sem o órgão mas podem precisar usar um dispositivo fora do seu corpo para recolher as fezes. No entanto, um procedimento cirúrgico pode ser realizado para criar uma bolsa no intestino delgado, que toma o lugar do cólon, e, neste caso, o dispositivo externo não é necessário, de acordo com a Clínica Mayo.

Apêndice

6

Apêndice é um pequeno apêndice do órgão em forma de tubo que se projeta para fora da primeira parte do intestino grosso. Não está claro qual sua função mas ele pode ser removido se ele se romper ou inflamar.

A redação
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+