Curiosidades

Sonda espacial chinesa captura imagens de toda a superfície de Marte

0

O quarto planeta do Sistema Solar é alvo de curiosidade e pesquisa desde que foi descoberto. Marte, depois do nosso, é o mais popular, e isso por vários motivos. Algumas pessoas alimentam a teoria de que há vida no enorme planeta vermelho. Outras dizem que os extraterrestres que vemos em tantas histórias partiram de lá. Já os cientistas o veem com outros olhos e estudam o planeta à procura de sinais de que vida já existiu nele.

Por isso, agências espaciais ao redor do mundo se mobilizaram para conseguir enviar missões para Marte. A China foi um desses países e enviou sua sonda Tianwen-1.

Agora, a agência espacial chinesa divulgou imagens de Marte que foram capturadas pela sonda. As fotos cobrem toda a superfície do planeta e têm imagens do polo sul marciano, onde ficam quase todos os recursos hídricos de Marte.

Imagens

G1

Para que Tianwen-1 conseguisse capturar as imagens, a sonda teve que dar a volta em Marte mais de 1,3 mil vezes desde o ano passado, conforme informou a mídia chinesa.

A sonda chegou no Planeta Vermelho em fevereiro de 2021 em uma missão inaugural da China. Nela, um robô foi deixado na superfície marciana, enquanto um orbitador examinava o planeta do espaço.


G1

Dentre as imagens feitas pela sonda estão fotografias do desfiladeiro Valles Marineris, de 4 mil quilômetros, e de crateras de impacto no planalto no norte de Marte que são conhecidas como Arabia Terra.

Além disso, a Tianwen-1 também enviou imagens de alta resolução da borda da vasta cratera Maunder. Ela também enviou uma visão de cima para baixo do Ascraeus Mons, que é um grande vulcão-escudo de 18 mil metros detectado pela NASA há mais de 50 anos.

Sonda

G1

A sonda Tianwen-1 já envia imagens para a Terra desde que foi lançada ao Planeta Vermelho. Ela enviou a primeira imagem de Marte enquanto a missão se prepara para pousar no planeta no fim de 2021.

A foto foi divulgada pela Administração Espacial Nacional da China. Ela está em preto e branco, mas mostra características geológicas de Marte, como por exemplo, a cratera Schiaparelli e os Valles Marineris, que é um trecho de cânions na superfície do Planeta Vermelho.

A foto foi tirada de aproximadamente 2,2 milhões de quilômetros de Marte. A CNSA disse que a Tianwen-1 agora estava a 1,1 milhão de quilômetros do planeta. A nave acendeu um dos seus motores para fazer uma correção orbital. Feito isso, ela também desacelerou antes de ser capturada pela gravidade marciana.

O Tianwen-1 tem ao todo cinco toneladas. Nele estão inclusos um orbitador de Marte, um módulo de pouso e um rover, que irá estudar o solo do planeta. A China tem os planos de pousar o rover já em maio em Utopia.

Essa espaçonave irá se dirigir à Utopia Planitia, que é no hemisfério norte marciano. Esse é um lugar ideal para tentar uma aterrissagem suave. Além disso, nessa mesma região existe uma enorme reserva de água congelada no subsolo.

Missão

G1

O país investiu bilhões de dólares no seu programa espacial que está sendo comandado por militares. E na última década eles fizeram grandes avanços. Tanto que, em 2003, até enviaram um humano ao espaço.

Além disso, uma usina asiática já lançou bases para montar uma estação espacial do país até 2022, e com isso, terá uma posição permanente na órbita do nosso planeta.

Engana-se quem pensa que a Tianwen-1 é a primeira tentativa da China de chegar ao Planeta Vermelho. Eles fizeram uma missão anterior junto com a Rússia em 2011. Mas ela terminou prematuramente, porque o lançamento da missão falhou.
Além disso, Marte ainda continua sendo um alvo bem requisitado, mas sem muito sucesso, visto que a maioria das missões enviadas pelos Estados Unidos, Rússia, Europa, Japão e Índia, desde os anos 1960, não foram bem sucedidas.

Fonte: G1

Imagens: G1

A conturbada relação de Steve Jobs com a filha

Matéria anterior

Mãe de Ludmilla revela que cantora foi chantageada por causa de sua orientação sexual

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos