Curiosidades

Twitter vale menos da metade do que Musk pagou há um ano

0

É quase impossível pensar que, há poucas décadas, a Internet nem existia. Ela criou uma verdadeira bola de neve de tecnologia, o que nos deu várias ferramentas para nos comunicarmos, como por exemplo, as várias redes sociais, como MySpace, Orkut, Facebook, Twitter e Skype.

O Twitter tem estado em foco desde que Elon Musk comprou a rede social. Tanto é que até o nome da plataforma mudou, virou “X”, mas a grande maioria ainda chama a rede social de Twitter. E as mudanças feitas pelo bilionário acontecem periodicamente e parecem não ter um fim.

A relação de Musk com a rede social foi bem complexa com relação à sua compra. Na época, ele desembolsou 44 bilhões de dólares para comprá-la. No entanto, o bilionário revelou em uma reunião com funcionários que atualmente a rede social está valendo 19 bilhões de dólares. Isso é aproximadamente 55% do valor que ele pagou um ano atrás.

Desvalorização

Forbes

Quem revelou as informações foi a Fortune, no último dia 30, e podem até estar superestimadas. Isso porque de acordo com a publicação, a Fidelity, empresa de fundos mútuos que fez um empréstimo de 300 milhões de dólares para Musk comprar o Twitter, citou uma desvalorização de 65% nesse um ano.

Curiosamente, a situação atual da rede social levantada por Musk é ainda pior do que uma previsão feita por ele mesmo há pouco tempo. Em um e-mail mandado para toda a empresa em março, ele disse que acreditava que o Twitter valia aproximadamente 20 bilhões de dólares.

Nem tudo feito na gestão de Musk foi ruim, no entanto, é perceptível que os destaques negativos são maiores do que os positivos. Atualmente, o Twitter tem três assinaturas disponíveis, reparte o dinheiro de publicidade com os assinantes e dá a possibilidade dos criadores cobrarem por um conteúdo exclusivo.

Nos planos de Musk, o Twitter será bastante grandioso. Contudo, se isso realmente se tornará verdade, só o tempo dirá.

Twitter

Rede de notícias

Dentre todas as mudanças feitas, recentemente a rede social divulgou que começou a pagar os criadores de conteúdo brasileiros. Essa monetização já está disponível para quem assina o X Premium, o antigo Twitter Blue.

Essa monetização começou no dia 13 de julho. Nesse momento, os usuários americanos, que tinham um histórico de serem amigáveis com relação a Musk, começaram a receber pelos tweets feitos. Nos EUA, para o pagamento foi levado em consideração o histórico de impressões desde fevereiro, época em que o Twitter anunciou seu plano de monetização. Por conta disso, alguns usuários chegaram a receber até 40 mil dólares de pagamento.

Até o momento, a rede social não disse nada se os usuários brasileiros também vão receber o pagamento retroativo. E como a plataforma não responde à imprensa, o jeito é esperar que os criadores brasileiros digam se receberam ou não esse retroativo desde fevereiro.

Para que aconteça a monetização no Twitter, a pessoa tem que ter, além da assinatura do X Premium, cinco milhões de impressões orgânicas, que acontecem sem que o tweet seja promovido, nos últimos três meses.

Além disso, a pessoa tem que se inscrever no programa de monetização, ser maior de 18 anos, ter incluído todas as informações do perfil, e-mail verificado, não ter violado o termo de uso, ter mais de 500 seguidores e algumas outras exigências.

Uma outra exigência da rede social é uma conta no Stripe, um serviço financeiro que o Twitter usa para pagar seus usuários. Outra coisa que também não ficou clara sobre esse pagamento é o prazo. Segundo a página de suporte, ele é feito com uma “cadência regular”, desde que o usuário tenha feito mais de 10 dólares.

Claro que se o Twitter está pagando os seus criadores de conteúdo, a rede social tem que ganhar dinheiro de alguma forma. E como isso é feito? Embora o Twitter tenha um modelo de negócios parecido com o de outras redes sociais, seu alcance é consideravelmente menor. Isso pode ser uma das razões para explicar, pelo menos em parte, o motivo de o site não ir tão bem assim.

Isso se vê na quantidade de usuários. O Twitter tem 217 milhões de pessoas, em comparação, o Instagram tem mais de dois bilhões de usuários, e o Facebook, mesmo continuamente perdendo popularidade, tem 1,9 bilhões de pessoas. Além disso, ainda que o Twitter seja usado por muitos famosos e pessoas influentes, e seja uma rede onde debates políticos se destaquem, ela não atrai tanto os anunciantes. É por isso que a rede social não rende tanto dinheiro.

Até porque, a forma mais comum das redes sociais ganharem dinheiro é vendendo anúncios e impulsionando contas e posts. Por exemplo, tanto os textos como as imagens com a indicação “promovido” no Twitter aparecem para mais usuários, dependendo da quantia paga pelo anunciante. Isso é a principal fonte de renda da rede social e gerou a ela 1,57 bilhões de dólares. Desses, 1,41 bilhões foram obtidos no último trimestre.

Além da publicidade, a principal fonte de renda do Twitter provém do licenciamento de dados, conhecido como “firehose”. Ele nada mais é do que a venda de dados públicos das redes sociais para empresas que analisam tendências e dizem às marcas como elas estão sendo vistas pelo público, e como seus produtos e serviços são recebidos. Nesse modelo, quanto mais usuários uma rede social tiver, melhor ela funciona. Justamente por isso o Twitter tem uma desvantagem.

Fonte: Canaltech, Tecnoblog,  Superinteressante

Imagens: Forbes, Rede de notícias

Operadoras poderão cortar a internet de quem não pagar conta de celular em 20 dias

Previous article

Nosso universo poderia ser um buraco negro? Gráfico provoca perguntas intrigantes

Next article

Comments

Comments are closed.