Com os avanços tecnológicos na área da medicina, e especialmente com as técnicas de DNA, ficou muito mais difícil, para impostores, se passarem por outras pessoas. Embora ainda aconteçam casos assim, hoje em dia, são pouquíssimos que conseguem êxito. Isso, se olharmos para o passado, onde casos de impostores eram bastante comuns. Várias pessoas passavam, facilmente, por um parente perdido, para viver uma vida boa, ganhar uma herança ou coisa do tipo. Nos dias de hoje, a comprovação de um parentesco familiar poderia ser resolvida rapidamente, com um simples exame de sangue.

Mas até chegar aqui, o processo de confirmação, ou não, de um parentesco era muito mais subjetivo. Isso era ainda mais complicado quando longos períodos de tempo, se passavam. A identificação, no passado, era baseada apenas em documentos, que poderiam ser facilmente forjados. Ou testemunhas oculares, que poderiam mentir ou serem enganadas. Confira a seguir, 6 impostores que tentaram viver a vida de outras pessoas.

1 –Yvonne Calment

Jeanne Calment ficou famosa como sendo a mulher mais velha do mundo, morrendo aos 122 anos de idade. Porém, uma nova pesquisa, feita por cientistas russos, indica que Calment tinha, na verdade, apenas 99 anos. Então, segundo um matemático e um gerontologista (profissional que estuda o envelhecimento), a verdadeira Jeanne Calment morreu em 1934, aos 59 anos de idade.  Os pesquisadores acreditam que sua filha, Yvonne Calment assumiu a identidade da mãe. Tudo isso, para evitar pagar grandes quantidade de impostos da herança. Eles alegam que a mãe foi enterrada, com o nome da filha. Além disso, afirmaram que a sua certidão de óbito foi emitida sem a confirmação de um médico. O marido de Yvonne não chegou a se casar novamente, e viveu, por muitos anos, com a sua “sogra”.

2 – Arthur Orton

Publicidade
continue a leitura

Roger Tichborne vinha de uma família vitoriana muito rica. Durante uma viagem, o herdeiro Tichborne se perdeu no mar, depois que seu navio afundou. Sua mãe se recusava a acreditar que o filho estava morto. E então, ela colocou anúncios, em jornais do mundo todo, procurando o filho. Dez anos depois, ela recebeu uma carta de um homem, que alegava ser o seu filho. Mesmo que o homem tivesse um sotaque australiano e não francês, com o de Roger, mesmo sendo mais gordo e mais baixo do que o filho que havia sumido, Lady Tichborne declarou o homem, como sendo seu herdeiro desaparecido.

No entanto, para recuperar a sua herança, Tichborne tinha que provar sua identidade, em tribunal. No julgamento, várias testemunhas afirmaram que Tichborne era, na verdade, um homem chamado Arthur Orton. Ele não conseguiu responder a uma pergunta, sobre o conteúdo de um envelope, deixado por “ele” antes de partir. E assim, o impostor acabou sendo condenado a 14 anos de trabalhos forçados.

3 – Perkin Warbeck

Perkin Warbeck pensou grande, quando decidiu se passar pelo rei da Inglaterra. O homem tinha uma leve semelhança com Edward IV, o que deu a ele, credibilidade, quando afirmou ser o duque de York. Ele afirmou ser um dos príncipes da torre, que estavam presos pelo covarde rei Richard II, e portanto, declarou ser o legítimo rei. Ele até encontrou apoiadores da sua causa, muitos que realmente acreditaram na sua história. Outros, no entanto, precisavam apenas de uma razão legítima, para derrubar o Henrique VII, que depusera Richard apenas para estabelecer uma nova dinastia Tudor. Caso eles provassem a farsa de Warbeck antes de Henrique se estabelecer como rei, eles poderiam retomar o trono. Depois de perder várias batalhas contra exército de Henrique, Warbeck foi capturado e se rendeu ao rei, admitindo que era um impostor e retirando a sua reivindicação ao trono.

Publicidade
continue a leitura

4 – James Reavis

James Reavis foi um pragmático, que durante a guerra civil, se alistou aos Confederados, e desenvolveu um esquema lucrativo de passes forjados. Depois da guerra, ele começou a fingir títulos de terra. Ele falsificou uma série de documentos, relacionados a um determinado “ancestral”, que aparentemente, trabalhava para o rei da Espanha e fora nomeado barão do Arizona. O rei teria presenteado o antepassado de Reavis, com um grande pedaço de terra, que deveria ser transmitido pelas suas gerações. Enquanto aguardava a resposta da sua reivindicação de terra, Reavis fez um acordo, com uma empresa ferroviária, para ter acesso às terras que ele ganharia. Com isso, ele ganhou muito dinheiro, vendendo títulos de terras que não possuía. Por fim, seu pedido foi indeferido e ele foi condenado a dois anos de prisão, por falsificação de documentos.

5 – Natalya Bilikhodze

Publicidade
continue a leitura

Em 2002, uma conferência de imprensa foi convocada, para mostrar um vídeo, com uma declaração de Natalya Bilikhodze, como sendo Anastasia, a filha mais nova de czar Nicolau II. Apesar de quase certamente a menina ter sido assassinada em 1918, um boato, de que ela, de alguma forma, escapou, persistiu. Foram várias as reivindicações de mulheres, alegando ser Anastasia, mas a de Natalya parecia ser a última.

Mas, no fim das contas, acabou que Natalya Bilikhodze também não era a verdadeira Grã-Duquesa dos Romanovs. O testemunho em vídeo “da herdeira” havia sido dado, vários anos antes, e a própria Natalya já tinha morrido dois anos antes.

6 – Mary Baynton

O rei Henrique VIII era famoso por seu mau humor e tendência de querer cortar a cabeça das pessoas. Então, quando a princesa Mary chegou, de surpresa, a uma vila em Lincolnshire, ninguém teve coragem de desafiar a sua identidade. Segundo a mulher, ela era filha de Henrique e Catarina de Aragão, sua primeira esposa. A suposta princesa também contou sobre uma profecia, feita pela rainha da França, de que “Mary”, um dia, enfrentaria muitas dificuldades”. A mulher estava tentando chegar até a Espanha, onde estaria a salvo. Mas, na verdade, a princesa Mary era a velha Mary Baynton. Em 1533, ela foi presa e renunciou à sua reivindicação de status real.

Publicado em: 19/12/19 15h13